Pastor fala sobre a importância do Rosh Hashaná: “Essa festa não é judaica, é bíblica”

Nenhum comentário
Pastor fala sobre a importância do Rosh Hashaná: “Essa festa não é judaica, é bíblica”

O Rosh Hashaná, que começa no entardecer desta sexta-feira (18) e vai até o pôr do sol de domingo (20), celebra o primeiro dia do ano novo judaico. Embora seja uma festa do calendário hebraico, o pastor Joel Engel esclarece que a celebração marca toda a humanidade.

“Essa festa não é judaica, ela é bíblica”, disse Engel em culto transmitido na última terça-feira (15). “Muito antes de existirem os judeus, já existia a festa do ano novo bíblico, que comemora o aniversário do mundo”.

O Rosh Hashaná é considerado o aniversário do mundo, já que celebra o dia em que Deus criou Adão e Eva. É também o momento em que o homem passa pelo julgamento divido, em que Deus determina o futuro de cada pessoa.

“Deus determina no livro da vida quem irá morrer ou viver”, destaca Engel. “Quem vai decidir se você vive ou morre não é o coronavírus, é Deus. Deus é soberano, Ele decide”.

Nesta sexta-feira, inicia-se o ano 5781 do calendário judaico, o que significa que faltam apenas 219 anos para o ano 6000. 

“É por isso que dizemos que estamos no fim dos tempos, mas isso não quer dizer que é o final de tudo. Quando findar o contrato que Deus tem o homem, o filho de Deus virá sobre as nuvens para governar a Terra por mil anos com paz e prosperidade, em todos os sentidos”, explica o pastor.

A expressão “Shaná Tová Umetuká!”, que deseja “Um ano bom e doce!”, também tem um significado especial, bem como a maçã e o mel, que são consumidos na data. “Estamos profetizando que Deus vai nos dar um ano bom e doce, com bons frutos da terra”, ensina Engel.

Futuro determinado por Deus

Outro costume durante o Rosh Hashaná em Israel é o toque da trombeta por cem vezes. “O shofar é o chamado de Deus para todos os moradores da Terra se arrependerem. No momento em que o shofar é tocado, o trono de Deus desce e Ele se assenta em Jerusalém”, observa o pastor.

Engel também lembra que, durante estes três dias, o futuro de cada pessoa é determinado por Deus. “É um julgamento anual. Cada morador passa pela presença de Deus, e Deus vai definir o que vai acontecer em sua vida no próximo ano”, afirma.

Por isso, o pastor convida todos os cristãos a fazerem parte dessa celebração. “Esta é a hora de apresentarmos nossos pedidos para o ano”, ensina.

“Imagine você chegar na presença de Deus e Ele decidir o seu futuro. Se você vai conseguir aquele emprego, passar naquela prova, fazer aquela viagem. Então você precisa estar presente”, destaca. “Primeiramente, adore a Deus e então apresente a Ele os seus decretos. E quando Ele bater o martelo, você estará junto”.

Também é importante haver um “ato profético de paz” na família, orienta o pastor. “Você precisa se acertar com todos que estão próximos, é uma paz horizontal”, explica.

“O perdão tem tudo a ver com os seus pedidos para o próximo ano. Você precisa perdoar para que você seja abençoado e seus decretos sejam aprovados. Você também precisa pedir perdão a Deus nesse dia, e para receber perdão, é preciso perdoar”, continua.

Durante o Rosh Hashaná, o pastor Joel Engel convida todos a participarem da Escola Profética 2020. O evento será transmitido online neste fim de semana, entre 19 e 20 de setembro.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário