“A palavra de Deus me ajudou a resistir”, diz pastora curada de quadro grave de Covid-19

Nenhum comentário
“A palavra de Deus me ajudou a resistir”, diz pastora curada de quadro grave de Covid-19

A Pra. Adriane Salvitti compartilhou seu testemunho de recuperação da Covid-19 em uma live do Guiame, onde considerou ter vivido um milagre, após 8 dias de internação em UTI com 75% dos pulmões comprometidos.

“Em cinco dias minha situação foi decaindo, acabei sendo trocada de quarto porque meu estado era muito grave”, disse Adriane, que também desenvolveu trombose e teve duas paradas cardíacas.

Ela contou que a primeira pessoa apegar o vírus foi seu marido, o Pr. Rodrigo Salvitti, no entanto, ele teve sintomas leves. O casal lidera a Igreja Apostólica Restaurando Nações (IARN).

Fisioterapeuta, assim como o marido, Adriane diz que após começar a sentir tosse insistente e falta de ar ligou para seu médico que a orientou procurar um hospital. Foi nesse momento que ela diz ter vivido seu primeiro milagre dentro da batalha que começaria a enfrentar.

A família morou no Japão por 9 anos e retornou ao país em julho passado. “Numa quinta-feira fizemos um plano de saúde e no sábado meu marido apresentou os primeiros sintomas. Pra mim esse já foi o primeiro milagre, pois se fosse alguns dias antes não teriam a cobertura do plano de saúde”, diz.

Ao chegar num hospital específico para tratamento de Covid-19, Adriane relata seu sofrimento ao receber a notícia de que ficaria internada no CTI. “Comecei a me assustar, pois ficaria isolada, sem celular e as notícias chegariam ao marido uma vez por dia”, contou.

“Essa é uma doença muito estranha, muito maligna, porque muitas pessoas entram ali isoladas e muitos não saem, vão a óbito sem ninguém da família. Isso que acho muito sofrido. A partir do momento que a pessoa entra ali não sabe se sairá com vida e não vê mais ninguém da sua família. Isso é apavorante”, disse.

Pensamentos de morte

Adriane diz que muitos pensamentos negativos vieram à sua mente, pensamentos de morte devido às notícias de muitas pessoas morrendo. “A primeira coisa que pensei vou controlar meus pensamentos”, diz Adriane, que alertou sobre o excesso de exposição a notícias que geram pânico. Ela disse que ficava lembrando de histórias de morte, que estão acontecendo o tempo todo e isso trazia muita angústia.

“Eu pedi a Deus para me ajudar a controlar o pensamento e trazer à memória a palavra de Deus que me fortalece. O salmo que mais meditei foi o Salmo 23, que diz que Deus não nos falta em momento algum”, contou Adriane.

Foi com a palavra de Deus que renovou minha mente e comecei a repreender os pensamentos negativos, explicou: “Tive que vigiar os pensamentos de morte”.

“Nunca havia chegado a essa sensação de quase morte e nunca mais quero passar por isso”, declarou. Para ela, o momento mais difícil foi quando precisou ser removida para um quarto onde os cuidados eram mais intensos. “Os medicamentos me faziam muito mal”, lembra.

Boas notícias

Adriane diz que ficou muito tempo inconsciente, mas o marido Rodrigo era o que mais sofria com as notícias e com as perguntas dos filhos, sobre quem cuidaria deles.

Ela fala da primeira vez que falou com o filho enquanto estava internada. Era um domingo, aniversário dele e ela conta que acordo se sentido bem e mais animada.

“Seria a primeira vez que a gente passaria o aniversário dele aqui no Brasil. O médico me deixou ligar e falar com as crianças [um menino de 10 anos e uma menina de 9]. Foi o momento que mais marcou”, disse emocionada.

Adriane falou sobre algumas lições que aprendeu com Deus. “O tempo inteiro eu pedia a companhia do Espírito Santo. Eu conversava muito com Ele sobre a minha vida, sobre os meus projetos. Eu falava pra Deus: Senhor eu tenho sonhos e sei que não é minha hora de ir”, compartilhou.

“Acho que as lições que aprendi são de valores, coisas que às vezes a gente gasta muito do nosso tempo com o que não levaremos para a eternidade. A gente se preocupa muito com coisas e muito pouco com pessoas”, disse Adriane, comprometendo-se com Deus a cuidar ainda mais de pessoas.

“Temos uma tendência natural de nos preocuparmos com coisas da nossa vida, mas Deus me disse que não é meu papel cuidar da provisão, pois é Ele quem dá”, disse. Adriane também contou que uma coisa que Deus colocou em seu coração é que deveria se dedicar mais aos filhos, cuidar mais, como mãe.

“Esse relacionamento mais profundo com meus filhos é para que lá na frente eu possa cuidar mais ainda de pessoas”, acredita. “Faz parte do reino de Deus cuidarmos de pessoas, de vidas”.

Em meio às dificuldades, Adriane disse que conseguiu enxergar o bem de Deus e que Ele estava totalmente no controle de sua vida. “Apesar de os pensamentos de morte me assolarem, dentro de mim eu tinha certeza de que nada [de ruim] ia acontecer”, conta.

“Eu vi o amor de Deus através das milhares de pessoas orando por mim”, compartilhou. “Recebi centenas de mensagens. O Senhor levantou um exército de pessoas, gente do mundo inteiro, para interceder por mim. Agradeço muito a Deus”.

Adriane diz que “não tem como a gente passar por uma situação dessa e continuar igual. A gente vive uma experiência com Deus. Com certeza a gente muda”.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário