“Precisamos das batalhas para sermos treinados por Deus”, diz pastor

Nenhum comentário
“Precisamos das batalhas para sermos treinados por Deus”, diz pastor

Junto com sua família debaixo de uma sucá, em celebração ao Sucot, também chamado de Festa dos Tabernáculos festa pastor Joel Engel transmitiu na terça-feira (6) uma mensagem de encorajamento para aqueles que estão preocupados com o futuro.

Debaixo da sucá, uma espécie de cabana usada pelos judeus no Sucot, o pastor celebrou a Santa Ceia junto com sua esposa e um dos filhos, lembrando: “Neste momento em que o mundo está fechado, Deus está valorizando a casa, a família e a mesa. A mesa fala de comunhão e é nela que fazemos uma aliança”, explica Engel.

O pastor também direcionou uma mensagem às pessoas que estão preocupadas com seu futuro e de sua família, especialmente neste período tão incerto em que o mundo vive, em meio à pandemia do coronavírus.

“Aprenda a entregar as preocupações para Deus, por mais legítimas que elas sejam”, orienta o pastor sobre preocupação com os filhos, com o trabalho ou com o futuro. 

“Existe um diretor do filme da nossa vida que está cuidando do roteiro. Não há porque se preocupar. Eu posso até mudar algumas cenas da minha história, mas existem coisas que só o autor da vida decide — quem vai viver, quem vai morrer, quem vai enriquecer”, o pastor destaca.

O pastor lembra que fomos escolhidos por Deus como “protagonistas” e devemos desempenhar nosso papel da melhor maneira possível, de acordo com o que foi designado pelo diretor da produção. “O filme é bom quando tem momentos de dificuldades e lutas”, observa.

“Nós não precisamos tomar uma direção e acabar com tudo porque chegou uma crise. Essa crise vai fazer parte de algumas páginas do livro que vamos escrever. Nós somos atores de um filme que está sendo transmitido ao vivo e nosso Deus Todo Poderoso é o diretor”, acrescenta.

Joel Engel lembra que recebeu a mensagem do Jubileu em Israel, após o nascimento de seu terceiro filho, e aprendeu uma valiosa lição: “Existe um tempo da vida que será de alegria, de vitória, de restauração e recuperação de tudo o que perdemos. Por isso não há com o que se preocupar”.

Por isso, ele incentiva aqueles que estão aflitos por causa da crise a “entregar sua vida ao Senhor e descansar Nele”.

“Os altos e baixos servem como academia de Deus para nós. As tempestades servem para nos fortalecer. Imagine viver uma vida que não te desafie; seria monótona demais. Nós precisamos das batalhas, precisamos das guerras, mas precisamos saber como enfrentá-las. Precisamos entregar o nosso caminho ao Senhor e deixar Ele ser o roteirista da nossa história”, afirma o pastor.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário