Pastor é investigado por abuso sexual contra fiel dentro de igreja

Nenhum comentário
Pastor é investigado por abuso sexual contra fiel dentro de igreja

Uma mulher de 43 anos denuncia o pastor da igreja Assembleia de Deus Belém, por abuso sexual. O caso aconteceu em Nova Andradina, cidade há 300 km de Campo Grande.

Conforme relato da mulher à polícia, ela e o marido fazem parte da igreja há bastante tempo e desde 2014, a mulher diz que vinha passando por situações constrangedoras com o vice-presidente da igreja, o pastor Éder Wilson dos Santos, de 54 anos.

Os abusos segundo ela começaram com abraços longos e beijos prolongados no rosto acompanhados sempre da palavra de Deus para conseguir os contatos físicos. Ela inclusive já precisou se esquivar para evitar um beijo na boca.

Ela nunca havia contado a situação ao marido por ficar constrangida e por isso, o casal continuou frequentando a igreja. Conforme apurado pelo portal Jornal da Nova, no início de dezembro, a mulher teria estacionado o carro na rua lateral da igreja, onde gravaria um vídeo relatando o assédio, quando o pastor chegou e estacionou na frente do veículo dela e a chamou, pedindo para acompanhá-lo até o templo para tratar de um projeto de doações.

O homem a levou para conhecer a sala de música e seu escritório reformado. Na ocasião, pegou um álcool em gel e passou nas mãos delas, em seguida deu um abraço e com suspiros disse: “Gostoso, gostoso. Faz tempo que não recebia um abraço da minha irmã. Quem não gosta de carinho?”.

E continuou com o assédio a segurando pela bochecha e queixo beijando seus olhos quando tentou beijá-la na boca. Ela tentou evitar o beijo, que pegou nos lábios superiores.

Em seguida, pastor ainda disse: “Me perdoa, a gente fica animado né? Eu extrapolei, me empolguei. Desculpa aí, a carne é fraca”. Ele não queria deixá-la sair, mas ao conseguir, ela representou criminalmente contra ele.

Ainda segundo o jornal da cidade, o marido da mulher fez a denúncia aos membros da diretoria da igreja, mas o caso foi arquivado sem investigação. Por isso, a mulher fez a denúncia na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) onde teve o inquérito instaurado no inicio do mês de janeiro.

Há informações de outros casos suspeitos envolvendo o mesmo pastor com irmãs inclusive de outras igrejas. Esses casos não teriam sido levados à delegacia.

O Jornal da Nova procurou o pastor Wilson José, de 83 anos, que é quem administra a igreja há mais de 45 anos. Ele afirmou que não há nenhum crime dentro da igreja envolvendo o pastor Éder, seu filho.

Contou ainda que beijos e abraços não são atos sexuais e classificou a situação como ato de “safadeza” do casal que fez a denúncia. “Não aliso ninguém da minha família, se tiver que ser punido, será, mas nesse caso não há provas”, disse, contando ainda que um de seus filhos já até foi punido por atos que não condizem com a fé cristã. As ligações feitas ao pastor Éder não foram atendidas. 

Fonte: Campo Grande News


Nenhum comentário

Postar um comentário