Missionários revelam como contrabandearam milhares de Bíblias para países comunistas

Nenhum comentário
Missionários revelam como contrabandearam milhares de Bíblias para países comunistas

Por décadas, Antti e Esko contrabandearam Bíblias para os países da União Soviética e do Bloco Oriental, começando de sua fazenda no interior da Finlândia. A “Missão por Trás da Cortina de Ferro” foi uma operação voluntária privada e ultrassecreta que eles mantiveram em silêncio por longos anos.

“Nunca falamos com ninguém sobre isso”, conta Antti em um vídeo da Stefanus em 2018. Fazer isso poderia colocar sua segurança em risco e cortar o suprimento de Bíblias para pessoas famintas por elas sob governos repressivos que baniram o cristianismo e puniram qualquer pessoa encontrada com a Palavra de Deus.

“As pessoas lá no país que trabalhavam conosco, quando foram apanhadas, algumas pegaram três anos, outras cinco anos [de prisão]”, diz Esko. "O senhor Horev, que foi um dos líderes desta operação (a Missão por Trás da Cortina de Ferro), foi condenado a cinco anos de prisão e, depois de cumprido, acrescentaram mais dois anos à sua sentença”.

Antti e Esko nunca foram pegos. O jogo deles era de gato e rato, uma versão cristã das guerras de espionagem, como foi praticado de forma semelhante pelo Irmão André, fundador da Portas Abertas, e está sendo realizado agora em países islâmicos restritivos.

Amor pelas Escrituras

Antti tinha um grande amor pelas Escrituras e sentia que poderia ajudar os irmãos do outro lado da fronteira com a vizinha União Soviética. Através da floresta finlandesa, não havia pontos de verificação, nenhuma cerca, então entrar e sair foi relativamente fácil.

Ele entrou de bicicleta, carregando 20 Novos Testamentos, dois sob a jaqueta nos ombros e o resto escondido nos bolsos dentro de calças largas. Mais tarde, ele inventou um tanque de gasolina com um compartimento escondido para esconder 40 Bíblias.

Mas o clamor por mais Escrituras era interminável, então Antti conseguiu uma minivan de nove lugares que poderia esconder 250 Bíblias.

“Quando percebemos que a necessidade era tão grande, tivemos que criar notícias constantemente sobre isso”, relata Esko. Eventualmente, eles começaram a construir componentes de habitação pré-fabricados para transportar através da União Soviética para a Grécia e Chipre.

Entre as estruturas de casas de madeira pré-fabricadas carregadas em reboques de trator, eles guardaram 40.000 Bíblias para serem descarregadas na madrugada por colaboradores locais na URSS, Romênia e Tchecoslováquia. Eles também levaram Bíblias e folhetos infantis.

Operação contrabando

A rota de Antti era por Leningrado, Moscou, Tula, Oryol, Kiev, Kishinev, Romênia, Bulgária e, finalmente, Grécia. Lá eles descarregavam as estruturas habitacionais para serem vendidas, fornecendo a fachada para a operação de contrabando.

“Houve uma sensação à noite na Romênia quando as Bíblias foram descarregadas, um momento muito especial que nunca esquecerei”, diz Esko.

De um celeiro em sua fazenda, Antti construiu os painéis e estruturas de habitação a serem enviados para a Grécia.

“Houve muitas respostas às orações durante aqueles anos e à proteção de Deus”, diz Esko.

Antes de iniciar sua longa viagem, Antti pesquisava fervorosamente as Escrituras em busca de uma promessa específica. Quando “situações impossíveis” o confrontavam, ele meditava no versículo para manter sua fé e confiança no Senhor.

“Com essas Escrituras, obtivemos forças para seguir em frente”, diz Esko.

Um versículo era o Salmo 121:8: O Senhor protegerá sua ida e sua vinda, agora e para sempre.

Em 1975, Antti e Esko e dois outros viajaram para a Noruega para se encontrar com os líderes da “Missão por trás da Cortina de Ferro”. Eles oraram pedindo ajuda porque não tinham dinheiro e o Senhor supriu suas necessidades.

“A reunião que tivemos naquela época e os relacionamentos duradouros que construímos foram a orientação clara de Deus”, diz Antti.

Ironicamente, a queda do Muro de Berlim em 1989, que abriu os países orientais ao influxo de missionários cristãos e Bíblias, trouxe depressão para Esko. Sua vida havia sido dedicada à missão secreta e agora não havia mais necessidade dele.

“Fiquei muito feliz porque havia liberdade no Oriente e isso me deu muita alegria”, diz Esko. “Mas também me senti muito confuso. Eu nunca poderia imaginar que Deus iria derrubar o muro. De certa forma, fiquei um tempo perdido em meu próprio caminho. Eu não sabia o que fazer a seguir”.

“Agora, olhando para trás, estava nas mãos de Deus e era o seu tempo, e depois disso milhões ouviram o Evangelho”, alegra-se o missionário.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário