Como o 'amor de muitos esfriará' no fim dos tempos? John Piper oferece 4 observações

Nenhum comentário
Como o 'amor de muitos esfriará' no fim dos tempos? John Piper oferece 4 observações

O pastor e teólogo John Piper fez quatro observações interessantes sobre a profecia de Jesus que diz: “Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará”, em Mateus 24.12. 

O Sermão do Monte, como ficou conhecida a conversa que Jesus teve com seus discípulos, no monte das Oliveiras, se referiu ao fim dos tempos e à segunda vinda de Cristo. 

Num dos episódios do podcast “Pergunte ao Pastor John”, postado no site Desiring God, na segunda-feira (06), um ouvinte chamado Alex fez os seguintes questionamentos: “O que Jesus quis dizer ao afirmar que o amor esfriará? Como isso será evidenciado? O que é um 'amor frio' e como podemos evitar que isso aconteça em nossas vidas? ”

Amor frio X Afeição familiar

Piper respondeu fazendo primeiro uma comparação: o amor frio é o oposto do calor da afeição familiar” e usou como exemplo o ocorrido em Gênesis 43.30.

“Quando José estava prestes a revelar sua identidade a seus irmãos, a Bíblia diz que ele ‘se apressou, pois sua compaixão cresceu por seu irmão e ele procurou um lugar para chorar'. A frieza é a casca do amor que perdeu seu calor familiar interno”, explicou.

A segunda observação de Piper é que o amor frio envolve a traição. “Trair um ao outro é mais um efeito dessa frieza. O ódio que vem na sequência é o resultado final do amor hipócrita, ou seja, só existe uma casca gelada, onde o calor do amor já foi dissipado. Já não existe amor, apenas o ódio capaz de trair os próprios irmãos”, detalhou.

“Não queremos ninguém como autoridade”

Piper cita, em terceiro lugar, a relação que há entre o amor frio e a ilegalidade. “Trata-se de um raciocínio lógico: depois de um surto de frieza no amor, vem a hipocrisia e a traição, devido ao aumento da ilegalidade", relacionou.

O pastor esclarece que “a ilegalidade significa que queremos ser nossa própria lei. Não queremos ninguém como autoridade — especialmente um Deus infalível e onipotente — nos dizendo o que fazer”, acrescentou.

“A raiz dessa crescente frieza de amor na igreja, uns para com os outros, é uma profunda hostilidade à autoridade. Essa é a minha interpretação da ilegalidade”, reforçou.

“Parece que a ilegalidade anti-autoritária dentro e fora da igreja está atingindo seu pico febril na história. Mas, Jesus dará um passo à frente e retornará nas nuvens, e haverá uma grande reversão”, alertou. 

Devemos lutar contra o orgulho e a arrogância

E por último, a quarta observação que Piper fez foi que “devemos resistir ao amor frio e devemos lutar contra a arrogância, o orgulho e a autossuficiência”.

“Queremos criar nosso próprio significado, criar nossa própria identidade, criar nossas próprias regras. E quando isso acontece, nós nos separamos de Cristo e do Espírito Santo e, portanto, do verdadeiro amor”, disse ainda.

Piper está trabalhando em um livro sobre a Segunda Vinda de Cristo, onde ele buscar ajudar as pessoas na compreensão sobre o tema. “Vou começar a escrever tudo o que o Senhor imprime em mim”, disse o escritor que chama seu novo trabalho de “projeto de equipe”, já que a equipe do Desiring God está colaborando para encontrar tudo o que ele já escreveu sobre o fim dos tempos, arrebatamento e temas relacionados. 

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário