Mais de 2 mil pessoas assinam petição exigindo a libertação de pastor preso em Cuba

Nenhum comentário
Mais de 2 mil pessoas assinam petição exigindo a libertação de pastor preso em Cuba

Mais de 2 mil pessoas assinaram uma petição exigindo a libertação de um pastor preso pelo regime comunista de Cuba, durante os protestos democráticos no país em julho. 

Organizada pela Christian Solidarity Worldwide (CSW), uma organização cristã que trabalha pela liberdade religiosa, a petição com 2.070 assinaturas foi entregue à embaixadora cubana Bárbara Montalvo Álvarez na embaixada de Cuba em Londres, na quinta-feira (30). 

O documento pede a liberação do pastor Rosales Fajardo, que foi detido sem julgamento há dois meses, após participar dos protestos pacíficos de 11 de julho. As manifestações contra o regime comunista foram consideradas uma das maiores em décadas, em meio a escassez de alimentos e medicamentos na pandemia de Covid-19.

Rosales foi preso por Agentes da Segurança do Estado em Palma Soriano. Depois, o líder foi transferido para a Prisão de Segurança Máxima de Boniato, fora da cidade de Santiago de Cuba, em agosto. 

Pastor há 20 anos na Igreja Monte de Sion, Fajardo foi acusado de “desrespeito” e “desordem pública”, podendo pegar uma pena de prisão entre três a 20 anos. Durante a maior parte da detenção, ele foi mantido incomunicável. 

De acordo com a CSW, as autoridades da prisão não deram permissão nem para a esposa do pastor, Maridilegnis Carballo, o visitar. Ele apenas pode falar com sua família em alguns telefonemas de três minutos.

Carballo foi ameaçada pelas autoridades, alertando que a cristã enfrentaria repercussões caso continuasse a falar sobre a prisão do esposo. “Ela também foi ameaçada de prisão por falar à organizações internacionais de direitos humanos sobre a detenção injusta de seu marido”, afirmou a Christian Solidarity Worldwide.

“A CSW continua com a família do Pastor Lorenzo Rosales Fajardo enquanto eles esperam que este marido e pai retorne para casa”, disse a chefe de defesa da CSW, Anna-Lee Stangl.

Ela afirmou que a organização espera que a petição envie “uma mensagem importante para as autoridades cubanas de que o mundo os está vigiando e que o tratamento dado ao pastor Rosales Fajardo é totalmente inaceitável”.

O pastor Fajardo já possui um histórico de perseguição pelo governo cubano. Em 2012, por exemplo, as autoridades confiscaram a propriedade de sua igreja.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário