Por que o justo sofre? Pastor explica como o sofrimento nos aproxima de Deus

Nenhum comentário
Por que o justo sofre? Pastor explica como o sofrimento nos aproxima de Deus

Por que coisas ruins acontecem com pessoas boas? O pastor Joel Engel relembrou a história de Jó e trouxe uma mensagem de incentivo: você pode passar por dias difíceis, mas Deus continua no trono de sua vida.

Jó foi um homem muito rico que viveu na terra de Uz. Ele foi considerado pela Bíblia um homem íntegro e reto, que temia a Deus e se desviava do mal. Ele era um pai de família e zelava por seus sete filhos e três filhas, sempre os consagrando e oferecendo ofertas em nome deles.

Até que, certo dia, Satanás se apresentou diante de Deus com acusações contra Jó — algo que, segundo Engel, é a principal função do inimigo.

“A função de satanás é acusar. Ele caminha por toda a terra tentando procurar alguém para colocar no banco dos réus. Muitas pessoas também têm esse problema satânico, de analisar o defeito dos outros”, observa.

“Não deixe o diabo desempregado. Falar mal e acusar é trabalho do inimigo. Não faça o trabalho dele”, alerta o pastor.

As acusações de Satanás

O pastor Joel Engel identificou três áreas em que Satanás acusa Jó: sua proteção, sua capacidade e suas riquezas.

Então Satanás respondeu ao Senhor: “Será que é sem motivo que Jó teme a Deus? Não é verdade que tu mesmo puseste uma cerca ao redor dele, da sua casa e de tudo o que ele tem? Abençoaste a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicaram na terra.” (Jó 1:9-10)

Engel explica que Satanás questionou se Jó servia a Deus pelas bênçãos e a primeira coisa que buscou atacar foi sua proteção.

“Satanás queria tirar a proteção de Deus, mas há algo muito importante: a soberania. Satanás não pode mover uma palha sem a permissão de Deus. Não vemos aqui uma briga entre Deus e o diabo, nem uma disputa do bem contra o mal. Deus é soberano”, afirma.

Em seguida, Satanás atacou a capacidade de multiplicação dada a Jó. Engel acredita que Satanás tinha “ciúmes” dos dons derramados sobre ele. “Ele acusa as pessoas de servir a Deus por causa do dinheiro”, observa.

Por fim, Satanás quis tocar nos bens de Jó, e teve a permissão de Deus para isso — apenas não era permitido tocar nele. “Nada pode vir contra você sem que Deus autorize. A sua vida e os seus problemas estão nas mãos de Deus”, afirma o pastor.

Lábios que louvam

Jó perdeu toda sua riqueza, seus servos e seus filhos. Como se não bastasse, depois de uma nova acusação de Satanás, ele perdeu também sua saúde. Mas em todas essas coisas, ele nunca blasfemou a Deus.

“Jó passou por todas as aflições e nenhuma vez blasfemou. Você passaria por tudo isso sem reclamar? Passaria por tudo isso e continuaria servindo a Deus?”, questiona Engel. “Como você se comporta ao perder seus bens? Continua adorando ou blasfema? Será que Deus lá de cima pode dizer: ‘Você reparou no meu servo?’”

No final, porém, Deus mudou a sorte de Jó e restaurou em dobro tudo o que ele tinha perdido: riquezas, família e saúde.

“O livro de Jó dá um motivo para nos alegrarmos com a prova: ‘Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem’”, diz o pastor, mencionando Jó 42:5.

“Ele permite que você passe por provas, e no final, Ele mesmo vai se vingar das injustiças. Para cada dia de vergonha, Ele vai dar dupla honra. Para cada dia de doença, Ele dará saúde. Para cada dia de prejuízo, ele trará multiplicação”, conclui.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário