Governo do País de Gales tentou impedir evento de Graham por considerá-lo “homofóbico”

Nenhum comentário
Governo do País de Gales tentou impedir evento de Graham por considerá-lo “homofóbico”

O primeiro-ministro do País de Gales, Mark Drakeford lamentou por não ter conseguido impedir a conferência de Franklin Graham no Reino Unido.

Na quinta-feira passada (12), o evangelista iniciou a turnê “Deus Te Ama”, que passa por quatro cidades do Reino Unido: Liverpool, Gales do Sul, Sheffield e Londres.

Franklin Graham tem enfrentado muita resistência de governantes britânicos desde que disse em uma entrevista a BBC que o casamento gay é pecado. “O casamento é para um homem e uma mulher e é isso que a Bíblia nos ensina”, disse ele em 2018.

O evangelista irá levar sua turnê ao País de Gales no próximo sábado (21), no Centro Internacional de Convenções de Wales, na cidade de Newport, em Gales do Sul. 

O centro de convenções é parcialmente propriedade do governo galês, o primeiro-ministro disse que a decisão de seguir em frente com o evento era de responsabilidade do resort Celtic Manor, que também tem parte do local.

A realização da conferência de Franklin Graham chegou a ser pauta no Parlamento do País de Gales, segundo a BBC News. 

O político galês Adam Price, líder do partido de esquerda Plaid Cymru, afirmou: “O senhor Graham pode ter direito a suas crenças homofóbicas, mas certamente não tem o direito de receber um palco para transmiti-las em um centro de convenções que é 50% de propriedade do governo galês”.

Price perguntou se o País de Gales poderia enviar uma mensagem de que “a homofobia e o ódio ainda são aceitáveis”, por aceitar a realização da conferência.

O primeiro-ministro então disse: “Lamento que o evento a que Adam Price se referiu venha acontecer, mas a decisão não é do governo galês. Nós não administramos esse centro e cabe a quem é responsável por ele tomar essas decisões.”

Mark Drakeford continuou: “Lamento ver uma pessoa com esses pontos de vista recebendo uma plataforma para expressá-los aqui no País de Gales. Eles com certeza não refletem nada que o governo galês estaria preparado para apoiar ou aprovar".

O Centro Internacional de Convenções de Wales afirmou que recebeu garantias da Associação Evangelística Billy Graham de que o evangelista “não falará contra ninguém ou qualquer grupo de pessoas”.

Em um comunicado, Franklin Graham esclareceu que estava indo ao País de Gales simplesmente “para compartilhar uma mensagem do amor de Deus”.

“É profundamente preocupante que os funcionários públicos eleitos para representar toda a sua comunidade descrevam as visões tradicionais que os cristãos mantêm há mais de mil anos no País de Gales como 'mensagem de ódio'”, acrescentou o pastor.

Prefeito de Liverpool tentou banir anúncios

O prefeito de Liverpool, na Inglaterra, Steve Rotheram, quis remover o anúncio de ônibus para o evento de Franklin Graham, por considerá-lo "discurso de ódio". Ainda assim, a conferência atraiu mais de 3.500 pessoas.

“Mais de 3.500 pessoas estiveram presentes e centenas encheram o palco, respondendo ao convite de Franklin Graham para receber Cristo”, informou a Associação Evangelística Billy Graham.

“Foi uma grande noite em Liverpool”, relatou o evangelista. “Eu disse à multidão que as pessoas estão procurando por propósito e significado e não estão encontrando. Temos um buraco em nossas almas que só Deus pode preencher. Deus nos ama e enviou Seu Filho, Jesus Cristo, do céu para a terra, para nos salvar dos nossos pecados e para que ‘todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16)’”.

Fonte: Guiame com informações de BBC News

Nenhum comentário

Postar um comentário