Dilemas do cristão solteiro: pastor esclarece sobre pessoa certa, pureza e defraudação

Nenhum comentário
Dilemas do cristão solteiro: pastor esclarece sobre pessoa certa, pureza e defraudação

Para o Dia dos Namorados, o Guiame entrevistou o teólogo David Riker, que tem aconselhado jovens cristãos a respeito de relacionamento amoroso nas redes sociais e em cursos online, para falar sobre os desafios e dilemas que solteiros e casais de namorados enfrentam.

Casado há 16 anos e pai de dois filhos, David é pastor na Igreja Batista Central em Belo Horizonte e pós-graduando em sexualidade humana no Child Behavior Institute, nos Estados Unidos.

Orientando diariamente solteiros cristãos com inseguranças e dúvidas sobre relacionamento, Riker conta que os dilemas mais recorrentes são como escolher a pessoa certa, qual o tempo ideal de namoro e como manter a pureza sexual antes do casamento.

“Um dos principais questionamentos é como conseguir escolher a pessoa certa, como se essa pessoa certa de fato existisse de uma maneira muito específica. E as pessoas ficam muito ansiosas em não cometer equívocos”, disse o pastor.

“A outra questão é como viver um relacionamento a dois antes de casar e não se envolver sexualmente. Essas são duas questões muito presentes no imaginário evangélico nos nossos dias. E também tem a questão do tempo: quando começar e quanto tempo namorar”.

Em relação à escolha de uma pessoa para se casar, David aponta três fatores que são bandeira vermelha e que devem ser observados com atenção. 

“Existem três coisas inegociáveis e inadmissíveis na hora de escolher alguém para se relacionar. Primeiro é violência; qualquer tipo, verbal, patrimonial, física, mesmo que seja inicial, com empurrão e grito, por exemplo”, ressaltou o líder.

“A segunda coisa é a infidelidade no namoro. Isso é muito sério e esse relacionamento não deve se desenvolver em casamento. A terceira é o engano e a mentira. Tem muitos relacionamentos que estão envolvidos em uma série de mentiras, que a pessoa precisa enxergar como uma bandeira vermelha”.

Pureza sexual

Sobre a questão da pureza sexual durante o namoro cristão, David lembra que o desejo sexual é algo natural do ser humano, e que manter um relacionamento puro tem mais a ver em ter com um coração consagrado a Cristo do que a regra em si.

“Devemos pensar no coração e não apenas no comportamento. Só vamos parar de fazer algo sexualmente com o nosso parceiro, quando amarmos mais a Deus do que a nós mesmos. Se estamos em pecado sexual é porque estamos considerando a nós mesmos mais importante que Deus”, ponderou.

Está mais difícil se casar?

Diante de tantas reclamações de solteiros de está difícil se casar hoje em dia, o teólogo observa que era para ser mais fácil encontrar alguém para se relacionar, com as redes sociais que permite conhecer pessoas, porém, as relações estão mais superficiais e instáveis.

“Muita gente procurando apenas satisfazer seus interesses sexuais no outro ou preencher carências e lacunas emocionais”, avaliou David.

“Acredito que os impedimentos atuais para o casamento dizem respeito à qualidade dos relacionamentos, cada vez mais líquidos e vinculados às nossas cobiças. Isso sempre ocorreu, mas na nossa geração, há uma ideia de que você pode usar o outro sem muitas consequências”. 

A tal da defraudação emocional

Hoje, muito tem se discutido sobre defraudação emocional no período de conversa, quando dois solteiros estão se conhecendo, mas o que é defraudar alguém? David explica que defraudação é despertar sentimentos em uma pessoa, sem realmente estar interessada em um compromisso com ela.

“Você não tem nenhum interesse pela pessoa, mas mesmo assim mantém uma aura de que está interessado, brinca com aquele sentimento”, disse o teólogo.

Entretanto, ele esclarece: “Isso não significa que todas as vezes que a pessoa se aproxima da outra tem que necessariamente dar certo. Há uma área cinzenta no tema da defraudação difícil de avaliar”.

Não faltam homens, falta Cristo nos homens

Outro dilema recorrente entre os solteiros cristãos hoje é a reclamação das mulheres de que faltam homens maduros para se casar. Para o pastor David, o problema não é a falta de pretendentes disponíveis, mas a crise na qualidade da masculinidade.

“Não falta homem na igreja, falta Cristo nos homens que frequentam a igreja”, comenta David. 

“Isso fala sobre o tipo de criação que temos tido para com os homens. O homem, na nossa cultura, é criado para ser servido e não para servir. Muitas vezes ele não apresenta o mínimo necessário para liderar uma casa”.

O líder observou que hoje, as mulheres estão mais atentas e mais maduras na hora de avaliar um pretendente e que os homens estão sendo mais cobrados em ter uma postura mais responsável.

“Antigamente, não se discutia muito isso. O homem não era muito cobrado, quem era muito cobrada para se adequar era a mulher. Isso mudou e, por isso, falamos muito dessa insuficiência masculina”, disse.

Lidando com a pressão e descansando em Deus

Muitos cristãos que desejam casar, e chegam aos 30 anos solteiros, enfrentam uma alta carga de ansiedade e pressão, para resolverem todas as áreas de sua vida o quanto antes.

De acordo com David, esse solteiro precisa regular a fonte de seu contentamento. “Ele deve aprender a medir sua realização a partir de Cristo e não a partir do cumprimento de uma lista de conquistas sociais”, ensina o pastor. 

“E ele deve aprender a lidar com as pressões externas e internas. As pessoas falam muita coisa, cobram demais, e fazem ele confundir o alvo da vida cristã. O alvo é Cristo, não é o casamento, embora quem casa faz uma coisa muito boa”.

O teólogo também esclareceu que as pessoas estão solteiras por fatores que ela controla e por fatores que ela não pode controlar. 

“As coisas que a pessoa controla, ela deve melhorar e aperfeiçoar. E as coisas que não controla, ela deve aceitar e descansar em Deus. Ou seja, o solteiro não deve viver uma vida de passividade, mas de descanso no Senhor”, declarou David.

Como a Igreja deve lidar com os solteiros

O pastor também chama a atenção para a forma como a igreja lida com os crentes solteiros, afirmando que esse público necessita de acolhimento e não de cobrança para se casar.

“A igreja precisa ser um lugar de cuidado para o solteiro. Falando não apenas sobre o casamento, mas de outras demandas dele, como fé, trabalho e estudos. Como servir a Deus, alertar para os relacionamentos tóxicos que podem acontecer”, afirmou David.

Segundo ele, há muitos solteiros que se sentem deslocados na igreja, porque se sentem velhos demais para o grupo de jovens e solteiros demais para o culto da família. 

“O pastoreamento deve focar na busca do contentamento em Cristo. A igreja precisa também criar momentos na qual ela possa escutar o solteiro, e não pressioná-lo. Criar espaços de acolhimento e compartilhamento para essas pessoas é muito importante”, destaca David.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário