“A marca da besta é um sinal que vai nos excluir do mundo”, explica Lamartine Posella

Nenhum comentário
“A marca da besta é um sinal que vai nos excluir do mundo”, explica Lamartine Posella

Ao falar sobre a marca da besta em seu canal no YouTube, na última terça-feira (26), o pastor Lamartine Posella disse que o tempo é propício para o cumprimento dessa profecia, já que a tecnologia avançada oferece todas as condições necessárias.

Ele fala sobre a possibilidade de “marcar pessoas” de forma global e como isso pode ocorrer. “Apocalipse 13.16-18 é a chave bíblica que nos levará ao entendimento do número 666”, destacou. 

“A marca envolve a economia mundial — dinheiro sem moeda — e o Anticristo vai controlar o mundo inteiro e quem não tiver a marca não poderá nem mesmo comprar alimento, pois o dinheiro estará atrelado à marca da besta”, citou. 

“O mundo será dividido”

O falso profeta será o chefe da propaganda religiosa do Anticristo e estará à frente da campanha de implementação da marca da besta. Além disso, vai induzir o povo a adorar a imagem da besta. 

“Quem não adorar a besta será morto. Todo mundo terá que assumir um lado. De um lado haverá aqueles que aceitaram a Cristo, durante a Grande Tribulação e não vão adorar a besta, e do outro os que aceitaram adorar a besta”, disse. 

“O mundo será dividido. Obviamente que a grande maioria vai aceitar e uma minoria não vai aceitar e vai tentar fugir ou se esconder, mas vai acabar morrendo”, sublinhou. 

É dessa forma, conforme o pastor explica, que os cristãos serão excluídos do sistema mundial, por não aceitar as imposições do Anticristo e viverão marginalizados: “O mundo civilizado não será mais para os cristãos”. 

Dicas para interpretar a marca da besta — 666

O pastor acredita que a marca da besta será algo externo ou visível. Ao citar Ezequiel 9.4 que diz: “Percorra a cidade de Jerusalém e ponha um sinal na testa daqueles que suspiram e gemem por causa de todas as práticas repugnantes que são feitas nela”, o pastor justifica. 

“O texto mostra que o sinal é visível, poderia ser uma espécie de tatuagem, por exemplo”, disse ao observar que Apocalipse cita 8 vezes “marca como sinal” e em todas elas se refere, especificamente, à marca da besta. 

Nos tempos atuais, o pastor diz que “pode ser uma tatuagem visível ou subcutânea. “Apocalipse 13.17-18 nos dá algumas dicas para interpretar a marca da besta — primeiro que a marca levará o nome do Anticristo, segundo que há um número no nome dele”, disse ao relacionar a gematria, que revela nomes a partir da soma de cada letra, conforme o número que cada uma representa. 

“A terceira dica é que o 6 é número de homem, conforme a Bíblia. Então 666 é a trindade satânica — Satanás é anti-Deus, Anticristo é anti-Jesus e o falso profeta é anti-Espírito Santo”, detalhou. “Tudo isso ficará mais claro quando o Anticristo se manifestar”, resumiu.

“A marca só pode ser para os nossos dias”

“Eu creio que a marca ou número da besta só pode ser para os nossos dias por depender de uma tecnologia moderna para ser implementada”, disse ainda. 

O pastor explica que é necessário haver um controle mundial para que todas as pessoas recebam a marca. “Câmeras modernas, tecnologia 5G que vai controlar todo mundo, até mesmo dentro das casas e tudo estará a serviço do governo do Anticristo”, apontou. 

“Não vai ter para onde fugir. Nós já estamos caminhando para isso. As nações estão perdendo autonomia e terão que obedecer ao presidente deste novo comando do governo mundial. Leis e políticas serão submissas”, continuou. 

“Quem não aceitar a marca vai morrer e poucos conseguirão viver escondidos. Estamos caminhando para esse tempo e a Igreja tem que pregar dentro e fora de tempo. Alegrem-se, pois nós somos selados pelo Espírito Santo”, concluiu. 

Fonte: Guiame 

Nenhum comentário

Postar um comentário