Recent post

Pastor incentiva noivos a não deixarem de casar na pandemia: “Não desista do sonho de Deus”

Pastor incentiva noivos a não deixarem de casar na pandemia: “Não desista do sonho de Deus”

O casamento é parte da história da criação de Deus, mas muitos têm adiado a celebração desta aliança diante das restrições decretadas pelos governos por causa da pandemia de Covid-19.

Segundo um levantamento do site de casamentos iCasei, pelo menos 61% das cerimônias marcadas para 2020 foram canceladas — e o cenário continua o mesmo no início de 2021, quando governos estaduais voltaram a restringir atividades não essenciais devido ao aumento de casos de coronavírus.

Este é um dos motivos que irá transformar o casamento do pastor Guilherme Batista e Mariel da Rocha em uma cerimônia intimista, apenas com a família. 

Guilherme e Mariel ficaram noivos em dezembro de 2020 e tiveram poucos meses para planejar o casamento, marcado para esta quinta-feira (4). O plano seria realizar uma festa com 150 convidados, mas a restrição para a realização de eventos, anunciada a pouco menos de uma semana da data marcada, mudou a programação.

“A princípio ficamos assustados, porque não foi isso o que planejamos. Mas quando vimos que não tinha outra saída, nós decidimos orar”, disse ao Guiame o pastor Guilherme, líder dos movimentos Exército de Oração, O Retiro e CEU (Conexão Estudantil e Universitária).

Por serem exemplo para muitos jovens, Guilherme e Mariel decidiram priorizar o casamento, em vez da festa. “Reduzimos apenas para os nossos familiares, mas decidimos não cancelar para mostrar às pessoas que elas não precisam cancelar seus sonhos. Às vezes não é do jeito que queremos, mas é do jeito que Deus havia planejado”, afirmam.

“A principal instituição de Deus é a família. Nós vimos o casamento como uma oportunidade de dar início ao nosso projeto de família. Nós não tínhamos feito um projeto apenas para curtir uma festa, mas sim para que a gente pudesse viver uma vida inteira juntos”, explica Guilherme. 

O conselho de Guilherme para os noivos que estão com o casamento marcado para 2021 é: “não desista do sonho do casamento”. 

“Eu sei que muitos estão sonhando com esse momento especial e, por conta de um decreto como esse, se frustram. Mas a nossa mensagem é: não desista”, afirma. “Se você pode fazer com 15 pessoas, então faça. Se você está projetando um casamento para os próximos meses, reúna apenas a sua família e celebre a festa depois. Temos visto muitas pessoas se readaptando a este novo cenário que estamos vivendo”.

“Não desista de fazer o casamento na data que você havia proposto, todos vão entender”, acrescenta. “O principal, que é o sonho de Deus sendo realizado através de uma união como essa, é o que vai valer a pena”.

O casal decidiu adiar a festa com convidados para março de 2022, quando completarem um ano de casados. Mas isso não irá impedi-los de consagrar sua aliança a Deus. “Nós priorizamos aquilo que é realmente importante, que é aquilo que Deus estabeleceu”, destaca.

Guilherme conheceu Mariel através das lives de oração, feitas todos os dias às 3h da madrugada, no ano passado. Segundo o pastor, a história dos dois é especial, já que ambos já foram casados.

“Durante esses últimos anos nós oramos e esperamos para que Deus pudesse nos direcionar para um tempo novo, debaixo da vontade Dele. Às vezes as pessoas se frustram com algumas respostas que ouvem da Igreja, como ‘você não pode mais casar’ ou ‘você deve ficar solteiro pelo resto da vida’, sendo que, muitas vezes, a separação não parte da pessoa. Muitos foram traídos e agredidos, e muitas vezes escutam isso”, explica.

Por fim, Guilherme reforça: “Nós acreditamos muito no casamento e nossa ideia é trazer esperança para aqueles que sonham com o casamento”.

Fonte: Guiame

“Brasil, é hora de se arrepender e voltar para Jesus”, diz pregador americano em Brasília

“Brasil, é hora de se arrepender e voltar para Jesus”, diz pregador americano em Brasília

Vestido com pano de saco, o evangelista americano Philip Blair chamou o Brasil ao arrependimento em uma mensagem proclamada na Praça dos Três Poderes, em Brasília, localizado entre o Palácio do Planalto, o prédio do Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional.

“Brasil, é hora de se arrepender e voltar os olhos para Jesus Cristo”, declarou Blair em um vídeo publicado na quarta-feira passada (24) pelo Torch of Christ Ministries, um ministério de evangelismo de rua e pregação pública com sede em Louisiana (EUA).

“Arrependa-se Brasil. É hora de se arrepender pelo amor ao dinheiro, pela busca da fama e do poder”, disse Phillip. “Você está buscando poder, mas Deus está dizendo: coloque sua boca no pó. Você quer se encher de orgulho, mas se você não se arrepender, Deus vai te rebaixar”. 

O evangelista também fez um pedido ao presidente Jair Bolsonaro, para que ele convoque um jejum nacional. 

“É hora de parar a corrupção e o abuso de poder”, alertou. “O regime político está ganhando lucro nas costas do homem comum. Tem muita corrupção no governo. Arrependa-se e volte-se para Jesus Cristo. Busque o Senhor enquanto Ele pode ser achado e clame o nome Dele enquanto está perto”, declarou.

“Estamos em uma guerra pela alma do Brasil e a fome pelo poder está envenenando a alma do Brasil”, acrescentou Phillip. “Jesus Cristo está voltando logo. Está na hora de preparar a sua casa. O julgamento está vindo se vocês não se arrependerem”.

Phillip Blair tem feito evangelismos nas ruas e pregado em diversas cidades brasileiras. Em março de 2020, ele também chamou Nova York ao arrependimento na Times Square, um dos principais pontos da cidade. O vídeo de sua pregação já soma mais de 2 milhões de visualizações no YouTube.

Abram caminho para o Senhor

Na Praça dos Três Poderes, o evangelista citou Isaías 40:3-5, que diz: “Ouçam! Uma voz clama: ‘Abram caminho no deserto para o Senhor! Preparem para nosso Deus uma estrada reta na terra desolada! Aterrem os vales, nivelem os montes e as colinas. Endireitem as curvas, tornem planos os trechos acidentados. Então a glória do Senhor será revelada, e todos a verão. O Senhor falou!’”

Por fim, Phillip chamou os banqueiros e empresários a também se arrependerem. “Por muito tempo, vocês têm pisado nos pescoços do homem comum. Em sua busca do poder e das riquezas, vocês têm levado o Brasil a uma destruição potencial”, alertou. 

“Jesus Cristo quer o nosso coração. E hoje é hora do seu acerto de contas. Se arrependa Brasil. Jesus Cristo é o Rei da glória”, finalizou.

Fonte: Guiame

Casado há 66 anos, pastor diz que a Bíblia é o melhor ‘manual de casamento’ que existe

Casado há 66 anos, pastor diz que a Bíblia é o melhor ‘manual de casamento’ que existe

Em um vídeo publicado por seu ministério recentemente, o Pr. Robert Nichols, fundador da televisão Lighthouse, diz que a Bíblia é o melhor manual de casamento que qualquer casal irá ler.

Casado há mais de 66 anos, o Dr. Nichols também acredita que, para um casamento mais saudável, o marido e a esposa devem zelar pela maneira como se comunicam.

Ele explicou também que os dois ingredientes mais importantes no casamento são o amor e o perdão.

“O casamento é feito no céu, é ideia de Deus. É o plano de Deus. E Deus nunca criou nada, sem nos dar as instruções de como seguir em frente”, disse ele.

“Nosso amor falha, mas o amor de Deus nunca falha. Proponha em seu coração colocar Deus em primeiro lugar em tudo”, disse ele, citando Mateus 6:33.

“Uma coisa que eu tenho dito repetidamente por tantos anos é; nenhum casamento é impossível com Deus. Os casamentos mais felizes que conheço hoje em dia já foram um desastre total”, disse ele.

O Dr. Robert Nichols explicou que o período de vida de solteiro para os jovens é único e repleto de desafios e oportunidades.

Ele incentivou o público a usar o período de solteiro para se preparar para o casamento.

“Se você não é casado, agradeça a Deus por não ser casado com a pessoa errada e ter a graça de preparar seu coração e sua vida para ser um bom marido ou esposa”, enfatizou Nichols, que também é fundador da Calvary Cathedral em Fort Worth (EUA).

Fonte: Guiame

Pastor cria restaurante missionário para ajudar moradores de rua: “Dei um passo de fé”

Pastor cria restaurante missionário para ajudar moradores de rua: “Dei um passo de fé”

Um restaurante se tornou uma ferramenta missionária sob o comando do pastor John Stout, um missionário da Assembleia de Deus dos EUA. O faturamento do Ugly Heifer Grill, no Texas, tem financiado missões e servido como um lugar de aprendizagem para moradores de rua no país.

Stout, de 44 anos, é chefe de profissão. Junto com sua esposa, Rachel, ele serviu como pastor de jovens e crianças. Ele se aposentou por deficiência médica do Exército dos EUA após quatro missões no Afeganistão e Iraque, como soldado e membro da equipe culinária militar.

Com o passar do tempo, Deus mudou o coração de Stout para ajudar os moradores de rua, a quem ele chama de “amigos ao ar livre”. Ele foi movido pelo Espírito Santo a contribuir com o projeto da “Casa de Neemias”, uma residência de transição de nove meses para homens sem-teto.

Esse programa, no entanto, exige o orçamento mensal de US$ 20.000, uma quantia alta para ser mantida pelas igrejas, especialmente durante a pandemia. 

Foi aí que Stout teve a ideia de inaugurar o restaurante Ugly Heifer. Para isso, ele esvaziou sua poupança e orou: Deus, aqui estão 20 mil dólares e o Senhor fornece o resto.

Desafios da pandemia

Com o início da pandemia de Covid-19, as doações para o projeto diminuíram e os restaurantes passaram a fechar suas portas. Ainda assim, Stout creu que Deus o abençoaria e que 2020 seria o ano de inauguração do novo negócio.

“Comecei a acreditar que Deus abençoaria e multiplicaria isso”, diz Stout à AG News. “Precisamos aprender a dar um passo de fé. Quando Deus te disser para fazer algo, faça e creia que Ele vai prover”.

A data de inauguração do restaurante Ugly Heifer era 1º de setembro de 2020, mas foi adiada depois que a construtora deixou a obra. Foram os homens da Casa de Neemias que ajudaram o pastor a terminar o local de 335 metros quadrados, que acomoda 54 pessoas.

O novo dia da inauguração, 4 de dezembro, foi um pesadelo. A energia acabou e, quando voltou, queimou os disjuntores do restaurante. “Eu disse à minha equipe que o inimigo não nos queria ali”, lembra Stout. “A vida dos homens vai mudar, o vício vai acabar, as mulheres vão ser resgatadas da prostituição. Vamos continuar lutando contra isso”.

Depois de ser inaugurado, o restaurante passou a ganhar popularidade e receber boas avaliações. Além dos 30% dos lucros designados para o ministério de moradores de rua, os clientes também podem fazer doações através de códigos QR.

O Ugly Heifer compartilha sua cozinha e equipe administrativa com o Giovenca's, um restaurante italiano que será inaugurado em março. Assim, os custos são reduzidos e melhor aproveitados para a finalidade do negócio, que é a caridade. Além disso, os restaurantes servem como ponto de doação de roupas e outros produtos. 

“As pessoas veem valor no que estamos fazendo”, diz Stout. “Eles entendem que é um ministério e doam”.

Fonte: Guiame

Ratos e comida podre: pacientes relatam tortura em clínica mantida por pastor

Ratos e comida podre: pacientes relatam tortura em clínica mantida por pastor

O Instituto Restaurando Vidas, localizado em Valparaíso, em Goiás, foi alvo de investigação da Polícia Civil na quarta-feira (24). Devido a irregularidades e indícios de que os gestores praticaram crime de cárcere privado, o local acabou sendo interditado.

O responsável pela clínica, o pastor Sergio Maciel de Freitas, foi preso. Pacientes relataram uma série de abusos e agressões ocorridas aos policiais no instituto.

Os investigadores tiveram conhecimento do fato por meio da denúncia de um servidor da Secretaria de Saúde de Goiás. 

O homem informou que trabalha na Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás e esteve presente na primeira operação realizada na clínica, de cunho sanitário, em 22 agosto de 2019. Ele afirmou que após os fiscais constatarem diversas irregularidades foi feito um termo de intimação para que os problemas fossem corrigidos.

Ao voltar ao instituto, na quarta-feira (24), o servidor constatou mais problemas. Entre eles: ausência de um responsável técnico, medicação sem receituário, inexistência de alvará sanitário e falta de vistoria do Corpo de Bombeiros.

Os residentes revelaram aos agentes de saúde que não podiam sair do local por vontade própria. Também afirmaram que sofriam tortura psicológica. Foram apreendidos diversos tipos de medicamentos, sendo alguns deles caracterizados como potentes sedativos. As famílias pagavam mensalidade de R$ 900 por paciente.

Ameaças

Um homem contou aos investigadores que só podia ligar para a família uma vez por semana. Ele também revelou ter sido ameaçado e que os funcionários diziam que iriam lavá-lo para outra clínica, “onde o filho chorava e a mãe não via”. 

Conforme o paciente acrescentou, os responsáveis teriam dito que a família não gostava dele. “Eu pedia para me levarem a uma delegacia e eles mudavam de assunto, mandavam eu sumir”, contou.

O homem disse, ainda, que sempre era informado de que estava melhorando, mas se sentia “aéreo” todos os dias devido à grande quantidade de remédios.

“Lá dentro, eu não sabia de nada o que acontecia no mundo. Se os internados não andassem na linha, do jeito que eles queriam, eram ameaçados. Fui xingado de noiado, marginal. Nunca roubei nem usei drogas. As ameaças ocorriam até na hora do lanche”, disse. A testemunha contou que os pacientes que tentavam fugir eram pegos e castigados com socos. Também relatou que o local tinha mofo, sujeita e ratos.

Operação

A 1ª Delegacia de Polícia de Valparaíso de Goiás deflagrou, em 24 de fevereiro, operação para apurar irregularidades em clínicas terapêuticas de recuperação de usuários de drogas. A ação também teve o apoio do Ministério Público e da Vigilância Sanitária do estado.

Durante as diligências, além das irregularidades administrativas que culminaram no fechamento do estabelecimento, ficou constatado que a clínica impedia os internos de sair. As principais vítimas afirmaram ter sofrido violência psicológica e ameaças.

Os envolvidos prestaram depoimento na delegacia. Uma das vítimas relatou que era constantemente ameaçada e dopada para que não deixasse o local. Outra informou que não autorizou a própria permanência na clínica investigada.

Os envolvidos prestaram depoimento na delegacia. Uma das vítimas relatou que era constantemente ameaçada e dopada para que não deixasse o local. Outra informou que não autorizou a própria permanência na clínica investigada.

Responsável pelo estabelecimento irregular, o pastor não apresentou nenhum documento que comprove os requisitos legais para a internação de pacientes. O homem tem ocorrência por crime similar, também referente ao fechamento de outra comunidade terapêutica.

As investigações confirmaram o crime de cárcere privado, na modalidade internação fraudulenta, razão pela qual foi lavrada a prisão em flagrante do pastor, responsável pela fundação e manutenção da clínica.

Fonte: nd+

Luiz Sayão é excluído da Wikipedia: “Lamento por tentarem descaracterizar o meu trabalho”

Luiz Sayão é excluído da Wikipedia: “Lamento por tentarem descaracterizar o meu trabalho”

Aconteceu de repente. “Recebi o aviso de que o verbete estava sendo ‘analisado para exclusão’. Foi uma surpresa porque alegaram que as fontes não estavam bem documentadas e nem eram confiáveis”, explicou o pastor Luiz Sayão ao Guiame.

Luiz Alberto Teixeira Sayão é reconhecido internacionalmente por seu trabalho extremamente relevante. Pastor, professor e mestre, hebraísta, linguista, tradutor de várias bíblias de estudo e agora diretor da Faculdade Teológica Batista.

Ele conta que nem sabe quem criou o verbete, mas que já existe há cerca de 20 anos. “Ali estavam os desdobramentos de reconhecimento acadêmico e técnico que recebemos pelo trabalho realizado”, compartilhou.

Entre os trabalhos se destacam o lançamento da Nova Versão Internacional [Bíblia NVI], projeto que Sayão coordenou e a versão Almeida Século XXI. Com o desenvolvimento de suas atividades, o verbete sempre foi ampliado e atualizado ao longo das duas décadas.

Critério “um tanto subjetivo”

Esse foi o termo encontrado por Sayão para descrever a ação dos representantes da Wikipedia. “Eles alegaram que a exclusão do verbete seria pelo seguinte motivo: ‘um pastor buscando notoriedade’. Mas eu nunca entendi que o ambiente Wikipedia oferecia essa notoriedade e, muito menos, que isso seria uma necessidade para mim”, argumentou.

O pastor que sempre foi muito respeitado, não só no meio cristão, é notório pelos excelentes trabalhos prestados em favor da comunidade no meio social, acadêmico, eclesiástico, pastoral, linguístico e vai deixar as traduções bíblicas como um legado.

Numa atitude humilde, ele simplesmente diz que lamenta muito o ocorrido. “Eu realmente não entendi. Parece que os revisores não possuem muito conhecimento ou entendimento do ambiente teológico e, muito menos, do conceito de hebraísmo ou sobre tradução bíblica”, observa.

A “irrelevância” e “falta de notoriedade”, dois argumentos do Wikipedia, parecem estar totalmente fora da realidade. É possível encontrar notícias sobre Luiz Sayão em veículos seculares de grande circulação. “Quando lançamos o Antigo Testamento Poliglota, saiu no Caderno 2 do Estadão e tivemos uma entrevista de longo tempo com a CBN”, lembrou o hebraísta.

“A internet é um livro aberto”

Destacando que nada mais é oculto na atualidade, Sayão aponta que as informações a respeito dele estão por toda parte e a publicação de seus artigos e livros tem sido bem propagada. 

“Excluir o verbete do Wikipedia é uma tentativa de descaracterizar o meu trabalho de forma pública e o mais curioso é que a própria Wikipedia divulga os artigos sobre a NVI, a versão Almeida Século XXI e o Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil”, sublinha. 

No artigo sobre a NVI, por exemplo, a Wikipédia diz que “o projeto de tradução para a língua portuguesa começou em 1990, com a reunião da comissão da Sociedade Bíblica Internacional, sob coordenação do linguista e hebraísta, Rev. Luiz Sayão”.

Já no artigo sobre a Almeida Século XXI, o texto diz que Luiz Sayão fez “parte da comissão de tradutores e revisores”. O hebraísta também é mencionado no artigo sobre o Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no qual a Wikipédia informa que “hoje, o seminário é administrado pelo conselho diretor e tem como executivo o prof. ms. Luiz Alberto Teixeira Sayão, diretor geral, desde março de 2013”.

Apoio de amigos e seguidores

Sayão conta que logo que o verbete foi excluído, alguns amigos ficaram sabendo e questionaram sobre o posicionamento dos responsáveis pelo Wikipedia. A defesa ao pastor parece ter incomodado os revisores. 

“Eles responderam de maneira pouco cortês e, no meu modo de entender, pouco profissional. Na verdade, quando os amigos e seguidores cobraram uma resposta sobre a exclusão, eles apressaram ainda mais o processo e excluíram em pouco tempo o verbete, sem dar sequência às discussões. Pelo que entendi, a decisão deles é sem possibilidade de retorno”, explicou.

“Assim que fui removido vi que muitos se manifestaram nas redes sociais, cogitando a possibilidade de intolerância. Possivelmente, meus artigos no Wikipedia não seguem o rigor e o critério dos representantes. A dúvida que fica é: qual seria esse critério?”, questionou.

“Afinal, até onde entendo, o Wikipedia pretende melhorar seus serviços e quer ser uma enciclopédia democrática”, concluiu.

Fonte: Guiame

Kay Warren relata quais são os desafios de ser esposa de pastor

Kay Warren relata quais são os desafios de ser esposa de pastor

Ser esposa de pastor não é uma tarefa fácil. Além dos muitos compromissos que a vida ministerial requer — disponibilidade para aconselhar, ensinar e pastorear, há ainda a sutil exigência de que pastor, esposa e filhos sejam perfeitos, infalíveis e plenos. 

Embora a vida ministerial naturalmente exija um comportamento exemplar, seria realmente bom que todos tivessem em mente que a família pastoral é formada por seres humanos propensos a erros e totalmente dependentes da graça de Deus.

Com o intuito de compartilhar sua experiência pessoal como esposa de pastor e líder com mais de 40 anos de dedicação, Kay Warren, esposa do pastor e best-seller Rick Warren, lança seu mais novo livro Privilégio Sagrado: Desafios e alegrias de ser esposa de pastor, publicado no Brasil pela Editora Mundo Cristão.

Por meio de um relato transparente, Kay apresenta princípios encorajadores e lições de vida que darão às leitoras a confiança necessária para liderar e viver bem. Privilégio sagrado é um testemunho vivo, escrito com honestidade, em que a escritora divide lutas, erros e tristezas, numa verdadeira conversa com as leitoras.

“Ao longo das décadas de meu ministério, o papel das esposas de pastor, bem como das mulheres de modo geral, evoluiu radicalmente.  Desde as esposas de pastor que trabalhavam nos bastidores e passavam boa parte do tempo no lar na geração de minha mãe até as mulheres que atuam como pastoras assistentes ou titulares, e toda ampla gama entre esses dois extremos, o papel da esposa de pastor não permaneceu estático. Isso significa que toda geração precisa se adaptar a uma cultura em constante transformação e contextualizar o ministério.” (P. 14 e 15, Kay Warren – Privilégio Sagrado)

Longe de ser um livro para falar de uma “vida perfeita”, seu relato autobiográfico tem a intenção de ser o mais direto e honesto possível, sem ultrapassar os limites do que é apropriado, proporcionando às leitoras um ambiente de aceitação e segurança. Warren também divide suas alegrias e mais dolorosas experiências, como a perda de um filho, vítima de suicídio, e as constantes tensões no casamento.

Privilégio sagrado não apenas aponta as possíveis dificuldades do ministério, mas oferece caminhos e elucida bênçãos e alegrias, mostrando por que dedicar-se a esse chamado é, de fato, um privilégio. Ideal para grupos de apoio a líderes eclesiásticos e de formação ministerial, a obra também pode ser lida por quem não se dedica ao ministério, mas deseja conhecer uma história de superação, aprendizagem e desenvolvimento pessoal e extrair princípios preciosos para a vida cristã.

Fonte: Guiame

Luciano Subirá alerta para a falta de ensino sobre o inferno: “Nós barateamos o Evangelho”

Luciano Subirá alerta para a falta de ensino sobre o inferno: “Nós barateamos o Evangelho”

Numa pregação recente, compartilhada em seu canal no Youtube, o pastor Luciano Subirá alertou a igreja sobre a falta de abordagem do tema bíblico “inferno” e como isso pode afetar a vida das pessoas, hoje em dia. 

Segundo ele, a sociedade moderna tem acusado os cristãos de “manipulação” quando pregam sobre o inferno e a condenação. Talvez seja por esse motivo pelo qual os líderes da igreja estejam evitando esse assunto. 

“Deveríamos fazer silêncio sobre a realidade do inferno para não provocar nenhum tipo de temor nas pessoas?”, questionou. Na sequência, lembrou que foi o próprio Cristo que disse: “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno”. (Mateus 10.28)

O inferno é real?

Durante sua mensagem intitulada por “Remidos do Inferno”, o teólogo lembra que muitos estão tentando negar a realidade do inferno usando a própria Bíblia. “Isso realmente me incomoda porque as Escrituras falam sobre o inferno com muita clareza”, apontou.

Há consequências quando os pregadores tentam abolir o inferno, segundo Subirá. “É claro que o foco da mensagem da salvação não é o medo do inferno, mas a compreensão do amor de Deus, que nos ofereceu uma alternativa para não estar nesse lugar”, explicou.

“Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno?” Citando o texto bíblico de Mateus 23.33, reforça que Jesus confirmou a existência do inferno e da realidade da condenação. 

Se Deus é amor, por que Ele criou o inferno?

“Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos.” (Mateus 25.41)

O pastor ainda cita que a Bíblia é clara quando diz que o inferno foi preparado para o diabo e seus anjos que se rebelaram contra Deus. “As pessoas que serão destinadas a esse lugar será porque seguiram a mesma trajetória de rebeldia”, acrescenta. 

“Na verdade o inferno não foi criado para o homem, mas a mesma Bíblia que mostra Deus se revelando com amor, mostra que Ele se revela também com justiça. Ele não fará vista grossa, Ele será justo. Só vai para o inferno aquele que se rebelar e não aceitar o livramento que Ele oferece”, esclareceu.

O pastor ressalta ainda que Deus oferece essa salvação, mas que o ser humano tem a sua responsabilidade e participação nisso. Citando John Stott (1921-2011), teólogo britânico e renomado do tempo moderno: “Nós barateamos o Evangelho quando o retratamos apenas como algo que nos liberta da tristeza, do medo, da dor, da culpa e de outras necessidades pessoais, ao invés de apresentá-lo com uma força que nos liberta da ira vindoura”, sublinhou.

Universalismo

Lembrando que a igreja de antigamente falava muito mais sobre a realidade do inferno e que as pessoas compreendiam o valor da salvação porque conheciam a condenação, o pastor faz uma comparação com a igreja do presente século.

“Evitando ser ofensivos ou por outras razões, os cristãos preferem não falar muito sobre o inferno. Há um número cada vez maior de pessoas que têm adotado uma linha que, na teologia, nós chamamos de ‘universalismo’. É basicamente, uma tentativa de dizer que, no final, já que Deus é amor, ninguém vai para o inferno”, disse.

“Mas tudo o que Cristo disse sobre o inferno é verdadeiro. Se não fosse, então tudo o mais que ele falou não deveria ser levado a sério. Não podemos ignorar a realidade do inferno. Jesus o apresentou como um lugar de tormento eterno”, observou.

“Ele traz a pá em sua mão e limpará sua eira, juntando seu trigo no celeiro, mas queimará a palha com fogo que nunca se apaga.” (Mateus 3.12)

Usando esse texto, Subirá sinaliza que João Batista estava fazendo uma alusão ao texto de Isaías 66.24 — “Sairão e verão os cadáveres dos que se rebelaram contra mim; o seu verme não morrerá, e o seu fogo não se apagará, e causarão repugnância a toda a humanidade.”

Segundo o pregador, há vários textos bíblicos que esclarecem o que realmente significa o inferno. E finaliza com o texto apocalíptico que diz: “O diabo que as enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre.” (Apocalipse 20.10)

“Nós não estamos pregando a dúvida ‘vai que exista o inferno’, nós partimos de uma certeza que ele é real, mas graças a Deus que o caminho para escapar dele também é real e verdadeiro. É essa fé que tem que ser comunicada. Então,que a oferta de amor que nos livra da condenação eterna seja abraçada”, concluiu.

“Se, porém, você advertir o ímpio e ele não se desviar de sua impiedade ou dos seus maus caminhos, ele morrerá por sua iniquidade, mas você estará livre de culpa.” Ezequiel 3.19)

Fonte: Guiame

Pastor português escreve livro sobre sua experiência no Brasil

Pastor português escreve livro sobre sua experiência no Brasil

Segundo o romancista americano Paul Theroux, as pessoas leem literatura de viagem porque pretendem visitar o local ou porque nunca viajariam para o determinado destino. 

Há muitas razões para conhecer o Brasil e outras tantas para evitá-lo. Independentemente das razões do leitor, o livro Arame farpado no paraíso: O Brasil visto de fora e um pastor visto de dentro promete uma leitura instigante, a começar pelo nome!

Em Arame farpado no paraíso, Tiago Cavaco, escritor,  pastor e músico português, cruza fronteiras geográficas, emocionais e espirituais entre Portugal e Brasil e divide com os leitores uma espécie de diário de viagem teológico no qual narra as vivências de uma visita que fez ao país, mas que ultrapassou a mera agenda de compromissos e passeios turísticos: foi em meio à realidade do país sul-americano que ele empreendeu uma jornada ao seu interior, perscrutando realidades de seu coração que também dizem respeito ao nosso.

Como estrangeiro, o Brasil que Tiago visita e tenta entender é o Brasil evangélico do século 21, um espaço tão diverso e heterogêneo que os próprios evangélicos do país não o entendem por completo. Assim, o que ele descreve com bom humor e referências excêntricas nos ajuda a ponderar as contradições — nossas e da sociedade — e a valorizar o papel e a relevância da fé em meio às luzes e sombras do cotidiano.

Pastor da Igreja da Lapa, em Lisboa, Portugal, o autor é reconhecido por textos provocantes, que cativam pela profundidade e sutileza, que são gostosos de ler. Arame farpado no paraíso trata-se de um livro paradoxal escrito por um roqueiro e pastor que não é apegado a estereótipos ou rótulos. É com esse estilo ímpar que Tiago dá uma pequena amostra de que é possível ser comprometido com as dimensões do evangelho sem abrir mão do melhor da cultura, da literatura, da música e da arte.

Arame farpado no paraíso é mais do que um choque de cultura e crenças. Com ele, Tiago Cavaco nos emociona ao perscrutar detalhes, alguns aparentemente corriqueiros ou imperceptíveis ao brasileiro, mas que são facilmente notados pelo olhar estrangeiro: o autor se assusta com a tranquilidade que a população demonstra ao relatar histórias de crime e tragédia, mas também se admira com a afetividade calorosa, que parece deixar toda a vida brasileira mais leve, apesar do caos.

Sobre o autor

Tiago Cavaco é pastor da Igreja da Lapa, em Lisboa, Portugal. É formado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Músico, compositor e cantor, fundou, com Samuel Úria, a editora musical FlorCaveira. Escreve regularmente em seu blog Voz do Deserto. É casado com Ana Rute e pai de Maria, Marta, Joaquim e Caleb.

Fonte: Guiame


Pastores aderem a ‘caixinhas de perguntas’ para esclarecer dúvidas cristãs; veja algumas

Pastores aderem a ‘caixinhas de perguntas’ para esclarecer dúvidas cristãs; veja algumas

As mídias sociais aproximaram as pessoas de pastores e líderes evangélicos, não importando onde estão. Instagram, TikTok e outros meios de relacionamentos virtuais deixaram os contatos mais acessíveis.

Nesse ambiente digital, pastores que gostam e têm facilidade de se comunicar estão experimentando forte crescimento em número de seguidores. Para manter esse público por perto, eles usam a criatividade, suas habilidades e as ferramentas disponíveis pelas próprias plataformas.

Aproveitando a onda das 'caixinhas de perguntas' (canal em que os seguidores fazem questionamentos diretos às pessoas que seguem, desde que sejam abertos para isso), os pastores têm usado esse ambiente virtual para pregar, ensinar e para responder as perguntas e curiosidades referentes à Bíblia.

São perguntas que exigem respostas rápidas. Não se trata de estudos teológicos. Algumas, inclusive, são opinião dos pastores sobre determinado assunto, comportamento, notícia.

Entre os que mais têm se destacado nesse tipo de relacionamento com os internautas, estão: André Valadão (Lagoinha Orlando), Josué Valandro (Igreja Atitude), Larmartine Posella (YAH Church), Pastor Lipão (Onda Dura), Teo Hayashi (Zion Church) entre outros.

Com respostas que variam entre sérias e divertidas, o cantor e pastor André Valadão, que é seguido por mais de 2,8 milhões de pessoas, procura tirar dúvidas que chegam a parecer brincadeira. Mas nem por isso, são desprezadas. Fazendo um tipo matuto mineiro, responde a todas.

“Pastor, pode ir de havaiana pra igreja?”, perguntou alguém a André Valadão, que respondeu: “Você tem que ir pra igreja. Você pode até ir descalço”. Em uma questão semelhante, disse que “o importante é ir pra igreja, porque igreja é lugar de bênção”.

Josué Valandro, do Rio de Janeiro, também aderiu às perguntas. Com mais de 200 mil seguidores, em uma delas, sobre perdão, respondeu:

“Pra liberar perdão, basta você querer ser feliz. Se você não liberar perdão, você vai ser um infeliz e carregar essa pessoa com você pra onde você for. Quando você libera perdão, você fica na liberdade. Não tem preço a liberdade. Jesus ensinou que você tem que perdoar.”

Incentivos

Os pastores incentivam seus seguidores a enviarem perguntas, sem limitar o conteúdo delas. “Manda uma pergunta braba”, pede o Pr. Lipão. Em seguida, recebe a seguinte questão: “Qual sua opinião sobre as panelinhas nos altares da igreja?”.

Lipão responde que na igreja devemos nos esforçar para viver em paz com todos, porém, é natural que alguns terão mais afinidade conosco que outros. O pastor aproveita para deixar a seguinte reflexão: “Muitas vezes, aqueles que falam da existência de panelinhas são esses que, na verdade, estão querendo uma panelinha”.

Uma questão que causa muito interesse nas pessoas é a vida após a morte. Um seguidor do Pr. Lamartine Posella quis saber: “Quando uma pessoa morre em Cristo, pra onde vai a sua alma?”

O líder da YAH Church que usa o TikTok, o Instagram e o YouTube, onde alcançou a marca de mais de um milhão de seguidores, responde: “Jesus disse: Quem crê em mim não entra em juízo, mas passou da morte para a vida. O crente não vai pro Juízo Final. Vai pro Tribunal de Cristo para receber os galardões. E quando morre está imediatamente no Paraíso com Cristo.”

Teo Hayashi e sua esposa Junia são adeptos das perguntas no Instagram. Juntos, o casal tem quase 900 mil seguidores na plataforma.

O pastor estimula seus seguidores a enviar pergunta. Em uma postagem escreveu ‘Pomandá’. Logo, chega a questão: “Qual o maior problema da juventude evangélica brasileira?”

Uma questão que causa muito interesse nas pessoas é a vida após a morte. Um seguidor do Pr. Lamartine Posella quis saber: “Quando uma pessoa morre em Cristo, pra onde vai a sua alma?”

O líder da YAH Church que usa o TikTok, o Instagram e o YouTube, onde alcançou a marca de mais de um milhão de seguidores, responde: “Jesus disse: Quem crê em mim não entra em juízo, mas passou da morte para a vida. O crente não vai pro Juízo Final. Vai pro Tribunal de Cristo para receber os galardões. E quando morre está imediatamente no Paraíso com Cristo.”

Teo Hayashi e sua esposa Junia são adeptos das perguntas no Instagram. Juntos, o casal tem quase 900 mil seguidores na plataforma.

O pastor estimula seus seguidores a enviar pergunta. Em uma postagem escreveu ‘Pomandá’. Logo, chega a questão: “Qual o maior problema da juventude evangélica brasileira?”

Organizador do The Send Brasil, Hayashi responde que a juventude brasileira é uma das mais apaixonadas por Jesus no mundo. Mas adverte que, apesar disso, “tem muito pouca Bíblia nessa juventude”.

O pastor respondeu também que “teme que tenha muito mais uma aderência a uma cultura evangélica moderna do que à cruz”.

Fonte: Guiame

“Não existe um bom pai onde existe um péssimo marido”, afirma pastor Anderson Silva

“Não existe um bom pai onde existe um péssimo marido”, afirma pastor Anderson Silva

“Não existe um bom pai onde existe um péssimo marido”, afirmou veemente o pastor Anderson Silva em vídeo em sua conta no Instagram na quarta-feira (17), refutando a ideia que um homem pode ser um bom pai para os filhos, enquanto desonra sua esposa.

Defensor do resgate da masculinidade bíblica, o pastor disse que “nenhum adúltero é um bom pai. Nenhum agressor de mulher é um bom pai”.

E chamou a atenção para a responsabilidade paterna na educação cristã dos filhos: “Se ele fosse um bom pai, ele não teria dado o pior ensino que esse filho pode ter; ser o traidor da mãe desta criança ou ser o espancador da mãe desta criança é o pior ensino que este homem, que não é um homem, poderia dar a essa criança”, criticou Anderson Silva.

O pastor advertiu também os pais que são omissos e só se fazem presentes através da pensão alimentícia e visitas aos filhos nos finais de semana. “O melhor ensino que um homem dá ao filho é o amor que esse homem pratica com a mãe desta criança, quer seja casado ou divorciado da mãe”.

Anderson Silva, conhecido por não ser ameno em suas críticas, finaliza o vídeo dirigindo-se aos homens que não são bons pais: “Eu quero dar esse recado para você, seu moleque: Homem, você está longe de ser. Bom pai, jamais será”.

Resgatando a hombridade

Anderson Silva é pastor da Igreja Vivo por Ti em Goiânia (GO) e tem promovido eventos, como a Confraria Nacional de Homens (Machonaria), com o propósito de resgatar a masculinidade bíblica para que homens cumpram a missão dada por Deus de serem íntegros e fieis ao Senhor.

Fonte: Guiame

Pastor transforma prédio antigo em centro para jovens carentes recomeçarem suas vidas

Pastor transforma prédio antigo em centro para jovens carentes recomeçarem suas vidas

O pastor da Igreja Chosen em Atlanta, na Geórgia (EUA), Yannik McKie, transformou um prédio antigo da cidade em um lugar para jovens em vulnerabilidade social terem uma segunda chance na vida. O Porpuse Center oferece programas de desenvolvimento pessoal e orientação profissional.

 “Nosso objetivo é equipar esses jovens para desenvolvimento de caráter e recolocação profissional e tutoria para ajudá-los a terminar o ensino médio, para que possam continuar seus estudos, entrar no exército, começar um negócio, seja o que for que seus corações desejam fazer", disse o pastor McKie.

 O centro social também será usado para desenvolver um programa de música para jovens que desejam cantar e compor. “Muitos deles querem fazer rap, querem cantar, alguns querem fazer batidas. Então, eles podem canalizar a dor emocional que sentem e colocá-la na música, em vez de levá-la para outra pessoa”, disse Devron Mitchell, Diretor Executivo de Operações do Purpose Center.

 Devron Mitchell atua na indústria da música há 20 anos e hoje tem auxiliado as crianças da comunidade a terem um futuro melhor. “Isso me traz muita empolgação, porque percebo que posso ser aquele que faz diferença se eles estão mortos ou na prisão”.

 O pastor e idealizador do Porpuse Center, Yannik McKie, perdeu os pais aos 15 anos vítimas de AIDS, de acordo com a Igreja Chosen. Sua história e experiência de vida se tornou um propósito para ajudar outros órfãos e jovens em situação de risco, assim como suas famílias.

Fonte: Guiame

Helena Tannure: “Proteja a família, cuide dos filhos e priorize o lar”

Helena Tannure: “Proteja a família, cuide dos filhos e priorize o lar”

Numa postagem recente, em seu canal no YouTube, a pastora Helena Tannure faz uma reflexão sobre como uma ligação “forte, singular e profunda” entre pais e filhos, pode se tornar um campo de batalha. 

Ela começa falando sobre sobre o propósito de Deus para a família e sobre a construção dos relacionamentos, desde Adão e Eva até os dias de hoje. “Será que as famílias de antigamente enfrentavam desafios? É claro que sim, mas de Gênesis a Apocalipse, Deus demonstra seu amor, seu poder, misericórdia e redenção”, citou.

A queda, no início da história da humanidade, reflete até o presente século, mas devemos lutar por um final feliz, segundo a pastora. “Quebre o paradigma! E saia desse ciclo que promete liberdade, mas na verdade escraviza”, alertou.

Como quebrar o paradigma?

Protegendo a família, cuidando dos filhos e priorizando o lar. “A família é a primeira instituição divina e tem sido a mais atacada. Precisamos voltar ao plano original de Deus e fazer do lar o nosso refúgio, um oásis na sequidão desse tempo”, disse.

Para manter uma família é necessário que o lar seja um lugar de amor e respeito, afeto e ensino, de acordo com a teóloga. “Cada um tem o seu papel designado nessa construção, mas no cenário atual vemos pais omissos que invertem prioridades, colocando trabalho, dinheiro e interesses pessoais acima da família”, apontou.

Por outro lado, ela também lembra que os filhos estão desobedientes e rebeldes, desafiando a autoridade de pai e mãe. “Estamos vendo a completa inversão de valores estabelecidos pelo próprio Deus. O que é certo ficou ultrapassado e, o que é errado, tem sido tolerado sem resistência”, sublinhou.

A triste realidade de uma sociedade adoentada é fruto do distanciamento do plano de Deus, segundo Tannure. “É nossa responsabilidade discipular nossos filhos e investir tempo na vida deles, conversando e orando em família. No relacionamento genuíno com Deus, muito além da religião, nossas relações serão curadas e reestruturadas Nele [Jesus], onde encontramos o prumo para edificarmos a família”, conclui.

“Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais.” (Malaquias 4.6)

Fonte: Guiame