Recent post

John Piper: Casamentos não cristãos são válidos, mas se distanciam do propósito de Deus

John Piper: Casamentos não cristãos são válidos, mas se distanciam do propósito de Deus

O pastor e autor John Piper afirmou, recentemente, que acredita que os casamentos não cristãos são válidos perante Deus, embora fiquem aquém do propósito divino para o matrimônio. 

A declaração foi uma resposta a pergunta de um ouvinte num episódio do podcast “Ask Pastor John” da segunda-feira (11), que perguntou se casamentos seculares são válidos para Deus.

“Um colega de trabalho me perguntou se eu achava que Deus honrava os casamentos seculares. Minha reação instintiva foi sim. Meu colega de trabalho disse não. Ele acredita que se duas partes não acreditam em Deus, então Deus não está naquele casamento e, portanto, Deus não reconhece o casamento”, escreveu ele.

“Ele foi além ao afirmar que Deus nem mesmo ouve orações não-cristãs. Vou ser sincero, não sabia como responder ou defender minha oposição à sua postura. Existe apoio bíblico para a legitimidade dos casamentos seculares?”.

Piper respondeu que considera um casamento não cristão válido, mas ressaltou que “ficam aquém do propósito mais elevado de Deus para o casamento”. O pastor se baseou em Romanos 14:23 , onde diz: “Mas quem tem dúvidas está condenado se comer, porque o comer não provém da fé. Pois tudo o que não procede da fé é pecado”.

“Deus pretendia que a comida fosse consumida com gratidão e fé nele. Todos os outros usos de seus dons são pecaminosos. Eles são falhas em cumprir o desígnio de Deus para carne e bebida ”, argumentou o pastor.

E concluiu: “Deus não exige dos incrédulos que parem de comer; ele exige que confiem nele e lhe agradeçam quando comem. E se não o fizerem, eles terão grandes problemas. A mesma coisa vale para o casamento, visto que casar sem confiar em Jesus e agradecer a Jesus é pecaminoso”.

John Piper observou que um casamento secular também pode refletir os princípios do matrimônio cristão segundo a Bíblia, mesmo que os cônjuges não façam isso conscientemente.

“O propósito final do casamento, de acordo com Gênesis 2:24 e Efésios 5:32, é retratar o amor da aliança entre Cristo e sua igreja. Isso é feito de forma mais clara em um casamento cristão fiel e obediente”, explicou.

“Mas isso é feito de forma obscura, mesmo em um casamento ao longo da vida, que cumpre a promessa e evita o adultério. Portanto, os casamentos cumprem alguns dos propósitos de Deus de maneira imperfeita, mesmo quando os cônjuges são incrédulos”, concluiu o pastor.

Fonte: Guiame

Pastores fazem alerta sobre personagens infantis LGBT: “Imposição ideológica”

Pastores fazem alerta sobre personagens infantis LGBT: “Imposição ideológica”

O universo infanto-juvenil está sendo cada dia mais invadido pela ideologia de gênero, segundo muitos cristãos têm se expressado pelas mídias sociais. Personagens antes representativos dos gêneros feminino, como a Mulher-Maravilha, e masculino, como o Superman, agora são retratados como gays ou trans.

Empresas gigantes da área de entretenimento audiovisual têm explorado o tema LGBT, incluindo nas histórias “revelações” sobre sexualidade dos personagens, como a feita pelo Superman de que agora é bissexual.

A repercussão sobre essa nova abordagem da ideologia de gênero nas histórias de super-heróis levou diversos pastores a se manifestarem.

“Somos convictos na palavra de Deus, a Bíblia, infelizmente por esta convicção nossas opções de entretenimento e diversão nesta terra e mundo passageiro cada vez mais será seleta, e de uma certa forma, com menos opções”, escreveu André Valadão em seu perfil do Instagram, que recebeu quase 175 mil curtidas.

Na mesma plataforma, o Pr. Josué Valandro disse: “Até o super-homem agora tem sexualidade alterada! Até onde vai esta militância? Os isentões se calam! Isto não é respeito à diversidade! É imposição ideológica!”.

Lucinho Barreto foi um dos primeiros a comentar sobre o tema, estimulando os cristãos a rechaçar a investida. “Enquanto você crente isentão fica aí com a boquinha calada, satanás trabalha forte com a mulecada pra ferrar de vez a cabeça deles! Nem o Super Homem é homem mais! Bora agir Jesus Freaks!”.

Fonte: Guiame

Ex-preso que virou pastor é nomeado para reabilitar detentos: 'Ninguém é irrecuperável’

Ex-preso que virou pastor é nomeado para reabilitar detentos: 'Ninguém é irrecuperável’

Depois de 29 anos de prisão e 14 anos em liberdade, Lacir Moraes Ramos, de 63 anos, dedicou as últimas três décadas de sua vida trabalhando na reabilitação de presos. O ex-detento, que se tornou pastor, quer usar seu testemunho de vida para inspirar presidiários no Rio Grande do Sul. 

Lacir foi nomeado na sexta-feira (8) para exercer o cargo em comissão (CC) de Chefe de Seção na Secretaria Estadual de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo (SJSPS).

A nomeação de Lacir foi criticada pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários do Rio Grande do Sul (AMAPERGS), que pede a realização de um concurso público. Após as críticas, Lacir chegou a pedir que seu nome fosse excluído da nomeação “para não prejudicar ninguém”, mas ainda não teve seu pedido respondido, informou o G1.

Filho de agricultores, Lacir nasceu em Ibirubá (RS). Aos 19 anos, ele cometeu seu primeiro crime: furtou um Fusca junto com um amigo. Ele foi condenado a 6 anos e meio de prisão, por ter fugido por cinco vezes do sistema prisional, foi alvo de mais processos. 

Sua vida no crime foi tomando proporções maiores, incluindo infrações como homicídio, latrocínio, roubo e furto. Entre os anos 1980 e 1990, Lacir passou por 28 presídios diferentes e perdeu muitos companheiros.

“Não era para eu ter chegado onde cheguei. Infelizmente, eu sou fruto do sistema. A ociosidade dentro do presídio é muito grande”, revela Lacir. “[Os jovens] infelizmente estão trancafiados dentro das penitenciárias planejando revolta, planejando crimes, ordenando crimes, porque é só isso que eles recebem lá dentro, essa é a instrução que existe”.

Para mudar esta realidade, o ex-detento e pastor têm trabalhado com presos há 31 anos, baseado em três pilares: a igreja, o trabalho e a educação.

“Vejo três pilares na recuperação do preso: o primeiro é o fator psicológico, onde entra a espiritualidade, a igreja, lançando luz na alma do preso. O segundo fator é quando tem alguma atividade que o preso possa desenvolver, um trabalho dentro do presídio. O terceiro é quando tem a escola, que o preso consegue estudar dentro do presídio”, explica.

“Nós temos que acreditar no ser humano. Não existe ser humano irrecuperável e eu sou um exemplo [disso]”, destaca Lacir.

Lacir é casado há 37 anos, tem quatro filhas e é autor do livro Um milagre na escola do crime – condenado a 200 anos hoje livre!, onde conta sua experiência na ressocialização de ex-detentos. 

Trabalho reconhecido

A experiência de Lacir é de grande valor para o ex-juiz da Vara de Execuções Penais (VEC), Sidinei Brzuska, que acompanha seu trabalho há 13 anos. Ele conta que Lacir era conhecido por levar foragidos para se apresentar voluntariamente à Justiça.

“Eu perdi a conta, mas foram dezenas, talvez centenas de condenados pela Justiça, foragidos, com mandado de prisão na rua, que o Lacir me apresentava no fórum, para eles cumprirem suas penas e saírem do crime”, relata o ex-juiz. “Ele tem uma visão apurada de quem já pode voltar a viver em sociedade”.

Brzuska revela ainda que a única galeria da Penitenciária Estadual do Jacuí, em Charqueadas, que era possível a entrada de policiais, era aquela em que havia o trabalho de reabilitação feito por Lacir.

“Ele faz um trabalho importante de conscientização do preso, no sentido de mudar de vida. E faz isso com bastante autoridade. Os presos respeitam a palavra de quem, mesmo tendo cumprido praticamente 30 anos, deu a volta por cima. Aliás, existem raríssimas pessoas que sobreviveram 30 anos presas. E dessas, até onde sei, o Lacir é o único que se dedicou a fazer esse trabalho, de mostrar que é possível uma nova vida, dentro da lei e dos costumes sociais”, reconhece.

Fonte: Guiame

Valdemiro Santiago é condenado a pagar R$ 35 mil por acusar governador de fazer “pacto com capeta”

Valdemiro Santiago é condenado a pagar R$ 35 mil por acusar governador de fazer “pacto com capeta”

O pastor Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, foi condenado a pagar R$ 35 mil ao governador da Bahia, Rui Costa, por danos morais. De acordo com a decisão, Rui alegou à Justiça que o pastor teria dito que ele fez “fez pacto com o capeta”, por causa das medidas adotadas de combate à pandemia da Covid-19.

As medidas proibiam, entre outras coisas, o funcionamento de igrejas. Conforme consta na decisão, a fala do pastor teria sido registrada durante um programa de televisão, que foi transmitido no dia 24 de março de 2020.

A decisão foi assinada pela juíza de direito Indira Fábia dos Santos Meireles, da 1ª Vara Cível e Comercial de Salvador, no dia 24 de setembro deste ano. Não há detalhes se a decisão cabe recurso.

De acordo com a decisão judicial, o pastor refutou as alegações de Rui e afirmou que em nenhum momento o que foi dito se direcionou ao autor, bem como alegou que possui liberdade de expressão, e requereu a improcedência dos pedidos.

Em réplica, o governador da Bahia negou as alegações da defesa do pastor, além de reafirmar que teve a honra ferida pela fala do pastor.

No documento a juíza detalha que o governador afirmou que o pastor, ao se referir às medidas adotadas pelo estado, não teve cuidado em direcionar ofensas à honra e integridade de Rui Costa.

Descreveu ainda que Valdemiro, líder evangélico há mais de 18 anos, “ao fazer menção sobre as medidas restritivas em decorrência da pandemia da Covid-19, aduz que o governante “bate cabeça aí na Bahia que eu sei”, dizendo ainda que o mesmo é “autoridade tonta, incrédulo e arrogante”, e que deveria “ameaçar o pessoal ai de sua casa””.

Na decisão, a juíza aponta que na oportunidade de se manifestar, o pastor alegou que o discurso não foi direcionado a Rui Costa e que o fez em clara manifestação de liberdade de expressão. Diante disso a juíza escreveu:

“Ora, não há de prosperar qualquer dessas alegações. A uma, que não é preciso ser nenhum expert para vislumbrar que, a todo momento em seu programa, o que fora dito pelo requerido foi sim, direcionado ao Governador da Bahia, ora autor desta demanda”.

Segundo a juíza, em um vídeo Valdemiro, já ciente do processo movido pelo governador, demonstrou deboche, falou piadas no decorrer do programa e reconheceu que “ao proferir as palavras no programa televisivo do dia 24/03/2020, estava se referindo sim, ao autor desta ação.”

A Justiça condenou Valdemiro ao pagamento da indenização, com juros de mora de 1% ao mês e correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) a partir da publicação da sentença, bem como a arcar com os honorários advocatícios, fixando-os em 15% sobre o valor da condenação.

Por meio de nota, o governo da Bahia informou ser muito bom saber que a Justiça brasileira está atenta e age com o rigor da lei contra aqueles que causam danos morais e outros prejuízos à honra dos cidadãos.

O portal G1 tentou contato com a assessoria do pastor Valdemiro Santiago, mas não obteve retorno.

Fonte: G1

Silas Malafaia e Marco Feliciano criticam demora na sabatina do “terrivelmente evangélico” André Mendonça

Silas Malafaia e Marco Feliciano criticam demora na sabatina do “terrivelmente evangélico” André Mendonça

O pastor Silas Malafaia e o deputado federal e também pastor, Marco Feliciano (PL-SP), cobraram a realização da sabatina do ex-ministro da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, chamado por Bolsonaro de "terrivelemente evangélico", para ingresso ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em vídeos divulgados na tarde de sexta-feira (8/10), os pastores criticaram o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, responsável por pautar a sabatina na comissão.

Também foram feitas críticas ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e ao líder do governo no Senado Federal, Fernando Bezerra (MDB-PE).

“Estou aqui com um nó entalado na minha garganta de tanta indignação. O presidente da CCJ vem procrastinando, adiando, empurrando para sabe Deus quando fazer a sabatina do doutor André Mendonça, que foi indicado ao STF pelo presidente Jair Bolsonaro, na vaga do terrivelmente evangélico”, disse Marco Feliciano.

O pastor, que é defensor de Bolsonaro, disse que existiria um acordo interno no Senado para barrar o ingresso de Mendonça ao Supremo. “Tomei conhecimento que já existe inclusive um outro nome no páreo. Quem prometeu um ministro terrivelmente evangélico foi o presidente Bolsonaro e ele tem palavra”, afirmou.

A fala de Feliciano faz referência à declaração dada pelo mandatário em maio deste ano. Na ocasião, Bolsonaro disse que sua indicação à vaga no STF seria alguém “terrivelmente evangélico”.

Feliciano disse que a “esmagadora maioria” dos líderes evangélicos brasileiros apoiam o ingresso de Mendonça ao STF. “Em não sendo o nome do doutor André Mendonça aprovada, a palavra do presidente não perde eficácia. A promessa não acaba. Pois a cadeira continuará pertencendo a um ‘terrivelmente evangélico’”

“Cuidado com o que estão fazendo porque nós evangélicos não somos palhaços”, concluiu o deputado. Veja.

O pastor Silas Malafaia chamou de “safadeza” o atraso para pautar a sabatina de André Mendonça no Senado. “Estou há 90 dias calado vendo a safadeza contra a indicação de André Mendonça ao STF. Nunca aconteceu isso na história do Brasil com um indicado do presidente da República. Isso tudo capitaneado pelo inescrupuloso senador Davi Alcolumbre”, disse.

Malafaia também disse que a escolha de um nome para o STF passará pela comunidade evangélica, seguindo a promessa feita por Bolsonaro. Ele teceu críticas ao ministro Ciro Nogueira e ao senador Fernando Bezerra.

“Queria aproveitar e mandar uma mensagem também para o ministro Ciro Nogueira e para o líder do governo, Fernando Bezerra, que ninguém vai enganar a comunidade evangélica. E que não adianta jogo debaixo dos panos para botar alguém de interesses porque não vai dar certo”, disse Silas Malafaia.

Malafaia também anunciou no Twitter que fará uma denúncia “arrasa quarteirão” sobre dois ministros do governo Jair Bolsonaro que, segundo ele, teriam perdido a “condição moral” para permanecerem em seus cargos. O líder da Advec (Assembleia de Deus Vitória em Cristo) afirmou que divulgará os nomes nesta segunda-feira (11).

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), informou ao ministro Ricardo Lewandowski, do STF, que ainda não pautou a sabatina de André Mendonça para o cargo de ministro da Corte porque não há “consenso” em torno da indicação.

Fonte: Metrópoles

Mais de 2 mil pessoas assinam petição exigindo a libertação de pastor preso em Cuba

Mais de 2 mil pessoas assinam petição exigindo a libertação de pastor preso em Cuba

Mais de 2 mil pessoas assinaram uma petição exigindo a libertação de um pastor preso pelo regime comunista de Cuba, durante os protestos democráticos no país em julho. 

Organizada pela Christian Solidarity Worldwide (CSW), uma organização cristã que trabalha pela liberdade religiosa, a petição com 2.070 assinaturas foi entregue à embaixadora cubana Bárbara Montalvo Álvarez na embaixada de Cuba em Londres, na quinta-feira (30). 

O documento pede a liberação do pastor Rosales Fajardo, que foi detido sem julgamento há dois meses, após participar dos protestos pacíficos de 11 de julho. As manifestações contra o regime comunista foram consideradas uma das maiores em décadas, em meio a escassez de alimentos e medicamentos na pandemia de Covid-19.

Rosales foi preso por Agentes da Segurança do Estado em Palma Soriano. Depois, o líder foi transferido para a Prisão de Segurança Máxima de Boniato, fora da cidade de Santiago de Cuba, em agosto. 

Pastor há 20 anos na Igreja Monte de Sion, Fajardo foi acusado de “desrespeito” e “desordem pública”, podendo pegar uma pena de prisão entre três a 20 anos. Durante a maior parte da detenção, ele foi mantido incomunicável. 

De acordo com a CSW, as autoridades da prisão não deram permissão nem para a esposa do pastor, Maridilegnis Carballo, o visitar. Ele apenas pode falar com sua família em alguns telefonemas de três minutos.

Carballo foi ameaçada pelas autoridades, alertando que a cristã enfrentaria repercussões caso continuasse a falar sobre a prisão do esposo. “Ela também foi ameaçada de prisão por falar à organizações internacionais de direitos humanos sobre a detenção injusta de seu marido”, afirmou a Christian Solidarity Worldwide.

“A CSW continua com a família do Pastor Lorenzo Rosales Fajardo enquanto eles esperam que este marido e pai retorne para casa”, disse a chefe de defesa da CSW, Anna-Lee Stangl.

Ela afirmou que a organização espera que a petição envie “uma mensagem importante para as autoridades cubanas de que o mundo os está vigiando e que o tratamento dado ao pastor Rosales Fajardo é totalmente inaceitável”.

O pastor Fajardo já possui um histórico de perseguição pelo governo cubano. Em 2012, por exemplo, as autoridades confiscaram a propriedade de sua igreja.

Fonte: Guiame

Pastor que forneceu fonte de água para muçulmanos é assassinado por extremistas na Nigéria

Pastor que forneceu fonte de água para muçulmanos é assassinado por extremistas na Nigéria

Uma multidão de muçulmanos matou um pastor num brutal ataque com facão, após queimar sua casa, igreja e escola no estado de Kano, na Nigéria. 

De acordo com o Morning Star News, em 22 de setembro, o reverendo Yohanna Shuaibu da Igreja Nova Vida foi atacado no vilarejo de Massu, depois que uma mulher foi morta por um homem que teria se convertido ao cristianismo.

"Os muçulmanos sentiram que o jovem que matou a mulher em uma briga era um cristão e, provavelmente, atacaram o pastor porque foi por meio do ministério de Shuaibu que muitos muçulmanos se converteram à fé cristã", disse Hosle Tongnan Michael, amigo e colega do pastor.

Um dia antes do ataque, o reverendo Shuaibu decidiu se esconder em um vilarejo vizinho para se proteger, depois ele retornou a Massu para ajudar a evacuar os alunos de sua escola como medida de segurança.

"O pastor Shuaibu acreditava que a tensão gerada pelo terrível incidente havia diminuído e pensou que ele poderia ficar com sua família e outras pessoas em Massu", contou Michael. "No entanto, os muçulmanos reuniram sua turba e desceram sobre ele, atacando gravemente com facões e incendiaram sua casa, a igreja e a escola”.

A esposa e os filhos do pastor conseguiram fugir com vida do ataque. Então, os cristãos de aldeias vizinhas souberam do atentado e chamaram a polícia. Shuaibu foi levado a um hospital próximo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo Michael, os conflitos na comunidade de Massu começaram quando o jovem, que havia deixado o Islã, se entregou à polícia depois de matar uma mulher muçulmana durante uma discussão, no dia 21 de setembro.

"Sabemos que, neste tipo de momento, é um risco incomensurável ser cristão, especialmente na parte norte da Nigéria. Quem serve a Cristo não pode ter certeza de estar vivo no dia seguinte no norte da Nigéria”, explicou.

Pastor Shuaibu: um defensor da paz

Michael destacou a importante obra social que o pastor desenvolveu em sua comunidade. Numa tentativa de promover a paz, Shuaibu forneceu uma fonte de água para os muçulmanos. "A certa altura, uma das fontes de água da mesquita foi reformada por nós como nosso apoio à comunidade muçulmana, que acreditávamos promoveria a paz e evitaria algumas das ameaças contra os pacíficos irmãos cristãos”, relatou.

Além disso, "sob sua supervisão, conseguimos arrecadar fundos e perfurar poços de onde as comunidades cristãs que não tinham acesso a fontes de água do governo pudessem ter acesso à água".

O pastor também contribuiu para a construção de uma escola para crianças cristãs indígenas, da qual o acesso à educação havia sido negado devido à sua fé.

Michael concluiu: “Esta é a história da vida de um soldado cristão, o embaixador do Senhor, que foi caçado e horrivelmente morto em seu posto de trabalho, e seu erro foi que ele era um servo de Deus”.

Fonte: Guiame 


Pastor decide pregar na rua, após pessoas serem impedidas de entrar para culto em hotel

Pastor decide pregar na rua, após pessoas serem impedidas de entrar para culto em hotel

Um grande incêndio florestal atingiu Little Grand Rapids e Pauingassi First Nations, duas comunidades de Manitoba, no Canadá. Centenas de pessoas precisaram ser evacuadas de suas casas e foram colocadas em hotéis de Winnipeg, onde estão há meses. Os incêndios destruíram as linhas de transmissão de energia o que dificulta o retorno dos moradores para suas casas.

Toda essa situação promoveu alguns encontros. As pessoas, que estavam vivendo no hotel, expressaram o desejo de realizar uma reunião de adoração, assim a Cruz Vemelha entrou em contato com a Encounter Life Ministries (Vida de Encontro), uma Igreja local para ajudá-los.

Quando o pastor Marty McLean e outros ministros da igreja chegaram à sala de conferências do hotel, encontraram-na quase vazia. Eles descobriram que a maioria das pessoas não tinha códigos QR de vacinação da Covid-19, e o hotel não podia permitir que pessoas entrassem sem o comprovante da imunização.

"Pensamos rápido, dissemos 'OK' e entramos em contato com o gerente do hotel e ele disse que poderíamos instalar [a estrutura para o culto] do lado de fora, então em questão de 15 minutos retiramos o equipamento e o instalamos no estacionamento, que virou uma igreja”, explicou o pastor.

Derrubando obstáculos

O que poderia ter parecido um obstáculo para alguns simplesmente se tornou um pequeno desvio para McLean e sua equipe.

“Sabe, só de ir lá, acho que era muito melhor realmente estar lá do que entrar em uma sala de conferências fechada”, disse o pastor. Ele também diz que significava que muitas pessoas que talvez não tivessem vindo para o culto da igreja acabaram ficando por perto e ouvindo a música de adoração e a pregação do Evangelho.

A pregação aconteceu com a ajuda da pastora Hilda Leveque, que compartilhou as boas novas de Jesus com os presentes, tanto em inglês quanto em ojibway. "Graças a Deus por tocar a vida das pessoas esta noite", escreveu Leveque em um post no Facebook no domingo à noite.

“A equipe orou pelas pessoas que vinham para o altar na rua. A música era tão ungida. Deus abriu um caminho para mim quando eu pensei que não seria possível eu estar lá. Deus criou um caminho para a Encontro Vida para ministrar de uma forma que eles nunca esperaram. Eu dou a Ele todos o louvor pelo que ele fez esta noite. Miiway!"

O pastor McLean diz que não ficou frustrado quando foi informado que seus planos para o culto não funcionariam dentro do hotel como planejado.

Fazer como Jesus

"Tudo bem! Vou fazer como Jesus e vou encontrar uma montanha para pregar", decidiu o pastor. Eles conversaram com a administração sobre usar o estacionamento e os funcionários do hotel ajudaram a equipe a desmontar todo o equipamento e encontrar tomadas elétricas do lado de fora.

McLean diz que até orou por alguns funcionários do hotel que estavam presentes, que não tinham formação cristã, e que estavam enfrentando dificuldades na vida. E tiveram oportunidade de orar por vários outros também.

“Houve uma grande resposta quando se tratou de dizer às pessoas que, se precisassem de oração, poderiam vir e orar”, diz McLean. "Acredito que era algo de que eles realmente precisavam. Trouxe-lhes muita esperança e alegria."

A energia elétrica acaba de ser restaurada para as duas comunidades que estão aproximadamente 235 quilômetros ao norte de Winnipeg. O pastor McLean pede às pessoas que orem pelos membros da comunidade enquanto eles finalmente voltam para casa.

Fonte: Guiame


“Pandemia nos fez entender os propósitos do Senhor”, diz pastor sobre ajuda a necessitados

“Pandemia nos fez entender os propósitos do Senhor”, diz pastor sobre ajuda a necessitados

“A igreja local é o plano A de Deus para a mudança de vida em qualquer comunidade”. Com essas palavras Eddie Bevill, pastor líder e professor da Igreja Parkridge em Coral Springs, na Flórida, começa a contar seu testemunho de como a igreja se mobilizou em favor dos necessitados durante os tempos mais difíceis: a pandemia.

“É sempre certo assumirmos esse manto de liderança, mas especialmente quando há necessidades críticas a serem atendidas. Os desafios do ano passado trouxeram muitas necessidades à tona. Tem sido um trabalho árduo, mas também maravilhoso, pois o Senhor tem usado muitas igrejas, assim como a nossa, para ver alguns deles se encontrarem”, relata.

Eddie diz que “nossa igreja foi maravilhosamente ampliada ao ver o Senhor nos usar para alcançar outras pessoas”.

Ele diz que a pobreza sempre foi um problema, tanto internacionalmente quanto nos Estados Unidos, mas as consequências econômicas da Covid-19 tiveram um impacto devastador e desproporcional nas pessoas de baixa renda que já estavam lutando com essas questões. E que é ainda pior para muitos outros países em todo o mundo.

“Vimos em primeira mão o impacto econômico da pandemia. Vimos isso como uma oportunidade de dar um passo à frente, fazer uma diferença positiva e mostrar a igreja em ação”, testemunha.

Fazendo a diferença

Eddie diz que a escala do problema parecia esmagadora. “Sabíamos que precisávamos trabalhar com uma organização que pudesse nos apoiar no fornecimento de socorro à nossa congregação e comunidade”, diz ele, sobre atender às necessidades das pessoas durante a pandemia.

Fizemos parceria com a Food For The Poor (FFTP), uma das maiores organizações cristãs internacionais de desenvolvimento e assistência, para fornecer alimentos, água e produtos domésticos essenciais para aqueles em nossa comunidade que ainda lutam durante a pandemia.

A distribuição foi um sucesso e fornecemos a centenas de famílias o necessário e o apoio espiritual de nossa tenda de oração. Não apenas fizemos a diferença na vida de cada um, mas ajudar e servir aos outros nos renovou como congregação.

Parceiros com coração e propósito

Parkridge adora qualquer projeto como esse porque nos permite colocar a cabeça, o coração e as mãos para trabalhar simultaneamente. Em parceria com o FFTP, nossa igreja cresce em nossa compreensão da graça e dos propósitos do Senhor.

Desde o início do FFTP em 1982, eles têm se concentrado na construção de relacionamentos com pastores e igrejas, bem como com doadores, agências governamentais e as pessoas que estão apoiando.

Minha viagem ao Haiti com FFTP me fez apreciar seu foco intencional em necessidades específicas e áreas específicas. A ênfase deles em pontos de distribuição para socorro local é uma bênção, e a Igreja de Parkridge tem o prazer de fazer parceria com eles para ajudar a atender às necessidades cruciais.

Juntos em Cristo

O FFTP permitiu que nos reuníssemos depois de um ano difícil para fazer o que Cristo nos desafiou a fazer em Mateus 25 - servir ao “menor destes”. Eles agora estão ampliando seu envolvimento em parcerias evangélicas tanto nos Estados Unidos quanto internacionalmente.

Eles têm sido um ótimo grupo para trabalhar com o objetivo de atender às necessidades físicas e, ao mesmo tempo, atender às necessidades espirituais maiores que somente o evangelho de Jesus Cristo pode prover.

Fonte: Guiame

Teólogo diz que denunciar pecado não torna os cristãos homofóbicos: “Somos todos pecadores”

Teólogo diz que denunciar pecado não torna os cristãos homofóbicos: “Somos todos pecadores”

Em entrevista ao Gazeta do Povo, no podcast “Diálogos da Liberdade”, o teólogo Yago Martins, do canal Dois Dedos de Teologia, reflete sobre a forma como os cristãos estão sendo vistos dentro de uma sociedade plural, que se incomoda cada vez mais com as regras e os valores estabelecidos pela Bíblia.

O jornalista Paulo Polzonoff Jr, que promoveu o debate, questionou o motivo pelo qual é tão importante lutar por liberdade religiosa. “A liberdade religiosa não existe sozinha. As pessoas precisam de liberdade para viver suas vidas de acordo com seus interesses”, iniciou Yago.

Liberdade religiosa não é uma forma de proteger minorias, mas de conceder a todos a liberdade de crença. O contrário de liberdade religiosa é o cerceamento de ideias e de fé”, disse. 

“Como sociedade estamos retrocedendo”

Yago comenta que as pessoas possuem o direito de enxergar o mundo a partir de ideias que os outros podem achar ridículas. “Os ateus progressistas podem olhar para os religiosos e pensar isso — que possuem ideias estúpidas sobre o mundo”, comentou. 

Ele também considerou o outro lado, que religiosos conservadores também podem enxergar nos outros “uma forma horrível de viver a vida” e que é através da persuasão e nunca da imposição que as questões podem ser resolvidas. “Mas, como sociedade, parece que estamos retrocedendo”, disse.

O jornalista citou que, atualmente, as leis ou as armas estão sendo usados como instrumentos de força para impor às pessoas uma maneira de viver a vida. 

“Em alguns lugares é proibido agir ou pensar de determinada forma. A liberdade religiosa parece ser algo restrito a apenas um grupo fanático, que quer liberdade apenas para falar mal de gay”, Yago citou como exemplo. “É essa a imagem que o pessoal tem, quando na verdade, a liberdade religiosa é para mostrar que sua crença é inviolável", continuou. 

As realidades são diferentes

Yago fala de algumas realidades atuais. “Se dentro de uma ética própria do ambiente religioso, algumas pessoas fazem o que é visto como prática pecaminosa, elas não devem ‘apanhar’ ou sofrer por conta disso”, disse ao se referir aos homossexuais, novamente como exemplo. 

Ele cita os pastores que, por conta do atual movimento LGBT, têm seus “discursos tolhidos socialmente”, ou seja, líderes religiosos têm sido investigados pelo Ministério Público quando falam contra a autodeterminação sexual. 

“A mensagem cristã é uma mensagem de graça e de misericórdia, que condena ‘todo mundo’. Se tem uma coisa que o cristianismo sabe fazer, é dizer que a gente é pecador”, disse após citar que os cristãos não se concentram em homossexuais e que não são homofóbicos. 

E continuou explicando que, o cristianismo condena os adúlteros, orgulhosos, preguiçosos ou lascivos. Nós somos condenados de muitas formas”, disse. “Mas há um grupo específico, que está dentro de uma pauta política, com uma agenda social muito bem manifesta que se ofende”, concluiu.

Fonte: Guiame

Cerca de 5 mil pessoas recebem Jesus durante turnê evangelística de Franklin Graham

Cerca de 5 mil pessoas recebem Jesus durante turnê evangelística de Franklin Graham

Cerca de 5 mil pessoas receberam Jesus como seu Salvador durante os 14 dias da turnê evangelística “God Loves You” de Franklin Graham pelos Estados Unidos, no mês de setembro. Franklin, filho de Billy Graham, viajou para oito cidades pregando o Evangelho em cruzadas ao ar livre, com a participação de grandes artistas cristãos, como Newsboys e Marcos Witt.

De acordo com a Billy Graham Evangelistic Association, mais de 56 mil pessoas participaram dos eventos evangelísticos ao longo da Rota 66, começando por Chicago em 19 de setembro e terminando em San Bernardino, Califórnia, no  sábado (2). A turnê também passou pelos estados americanos de Missouri, Texas, Oklahoma, Novo México e Arizona.

Após a última parada da turnê, Franklin Graham, falou sobre os frutos do evento, um de seus maiores desde o início da pandemia. "Duas semanas atrás, começamos o God Loves You Tour ao longo da histórica Rota 66 para compartilhar uma mensagem de esperança em 8 cidades no coração da América".

“E esta noite, na última parada em San Bernardino, eu disse à multidão que não estou oferecendo religião a ninguém, porque a religião não pode salvar sua alma do inferno. Somente Jesus Cristo pode. Agradeço a Deus por todos aqueles que responderam ao convite para vir a Jesus em arrependimento e colocar sua fé e confiança nele. Se juntem a mim para orar por eles”, escreveu o evangelista.

Mais de 1400 igrejas em oito cidades trabalharam em parceria com a turnê para levar a mensagem de esperança. As igrejas parceiras irão fazer o acompanhamento dos novos convertidos que aceitaram Cristo durante o evento.

O evangelista Graham também destacou a necessidade das boas novas do Evangelho num mundo que enfrenta tantas dificuldades. “Os tempos mudam, a cultura muda, mas a necessidade das pessoas de um relacionamento com Deus por meio de Seu Filho, Jesus Cristo, não muda”, disse. 

"Com todas as más notícias ao nosso redor dia após dia, as pessoas precisam de esperança. Quero que as pessoas ao longo da Rota 66, e do resto desta nação, saibam que Deus as ama”, finalizou Franklin Graham.

Fonte: Guiame

Pastor canadense preso no aeroporto alerta americanos: “Vocês são os próximos"

Pastor canadense preso no aeroporto alerta americanos: “Vocês são os próximos"

O pastor canadense Artur Pawlowski, que foi preso na pista do aeroporto, na segunda-feira (27), enquanto voltava para casa de uma viagem aos Estados Unidos, emitiu um alerta aos americanos: “Vocês são os próximos”.

A Agência de Serviços de Fronteiras do Canadá prendeu o pastor por dois mandados pendentes — um por não usar máscara e outro por realizar um culto em junho, na ocasião da Páscoa. 

Pawlowski tem uma audiência no tribunal em 13 de outubro, onde um juiz decidirá se ele será sentenciado a 21 dias de prisão por “desacato ao tribunal” por realizar cultos de adoração, violando as restrições por Covid-19.

“Se eles vieram atrás de mim, tenham certeza, eles estão indo atrás de vocês também”, disse o pastor em entrevista à Fox News. “Fui algemado como um criminoso comum, como um terrorista”, disse ao se referir à prisão anterior, em maio. 

Tirania dos governantes

Na opinião de Pawlowski, os governantes estão querendo mostrar ao mundo todo, o que “eles fazem com aqueles que se atrevem a falar contra a tirania”. E alertou que aqueles que não seguirem essa tirania serão os próximos.

A advogada de Pawlowski, Sarah Miller, considerou sua prisão “ilógica”, já que seus supostos crimes teriam acontecido antes de sua viagem aos EUA. O pastor foi liberado 7 horas depois da prisão, através da atuação de sua advogada.

Pawlowski comparou o ocorrido com as antigas ações do regime comunista polonês. Em junho, ele compartilhou ao Christian Post que sua igreja vem sendo monitorada por policiais.

O pastor é acusado de não obedecer às regras durante a pandemia — de seguir as diretrizes e manter o distanciamento social. Para ele, as intrusões não eram necessárias porque ele transmitiu os cultos da igreja online. 

Tratamento diferenciado a cristãos e muçulmanos

Além disso, apontou que enquanto sua igreja está sendo perseguida, “as mesquitas estão operando normalmente” e que os muçulmanos não são interrompidos. “Nenhum imã [líder espiritual muçulmano] foi assediado ou intimidado”, protestou e disse que os muçulmanos se reuniram aos milhares durante todo o Ramadã”.

Em seu canal no YouTube, Pawlowski postou um vídeo mostrando a reunião do último dia do Ramadã — mês mais sagrado do calendário muçulmano — que a polícia permitiu sem interrupção. Ele estimou que “cerca de 2 mil pessoas, talvez mais, estavam lá”. 

Em março de 2020, o pastor foi informado que sua igreja, que ministra aos sem-teto, em Calgary, deveria “fechar e parar de cuidar dos pobres”. Ele se recusou a obedecer a ordem, justificando que sem ajuda eles poderiam morrer de fome. “E alguns morreram”, ele compartilhou.

Na época, Pawlowski enviou um apelo aos ministros em Alberta pedindo-lhes uma isenção das restrições por Covid-19, mas o pedido foi recusado e a ordem continuou sendo a mesma: fechar as portas. 

Fonte: Guiame

Silas Malafaia pode ser vice de Bolsonaro nas eleições de 2022

Silas Malafaia pode ser vice de Bolsonaro nas eleições de 2022

Ainda não há um nome de consenso sobre quem disputará, como candidato a vice, na chapa do atual presidente Jair Bolsonaro nas eleições 2022. Porém, o nome do pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, começa a ganhar força nos bastidores.

De acordo com o colunista Igor Gadelha, do Metrópoles, o nome do líder evangélico já está sendo considerado por Jair Bolsonaro, após o trabalho de bastidores dos apoiadores da ideia. Entre essas sinalizações positivas do presidente para a escolha, estaria o fato dele convidar o pastor para viagens oficiais pelo Brasil.

Outro fator que faz aumentar as especulações é que Malafaia foi o único, além do presidente, que discursou durante o ato na Avenida Paulista, no 7 de Setembro. Na ocasião, uma parte dos manifestantes chegou a defender Malafaia como vice.

Por enquanto, porém, o discurso do líder religioso é que ele “não tem a pretensão de ser candidato”, mas que o “futuro pertence a Deus”.

Vale lembrar que o atual vice-presidente da República, Hamilton Mourão, avalia a possibilidade de concorrer ao Senado em 2022. Por outro lado, ele descartou ser candidato à Presidência da República, argumentando que não iria participar de uma eleição contra o presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: Último Segundo