Recent post

‘É preciso lembrar que Deus tem um plano e propósito’, diz pastor sobrevivente de câncer

‘É preciso lembrar que Deus tem um plano e propósito’, diz pastor sobrevivente de câncer

Desânimo. Depressão. Até suicídio. Mais e mais estudos revelam que as pessoas estão respondendo de maneiras sombrias e perigosas aos estressores que enfrentamos em todos os lados.

Até mesmo os crentes foram vítimas do que os psicólogos agora chamam de "fadiga da pandemia", e assistir as notícias ou vê-las online muitas vezes fazem pouco para nos tirar de uma mentalidade negativa.

"O desânimo é uma droga poderosa", diz o Pr. Doug Stringer presidente da Somebody Cares America / International.

O escritor e palestrante sabe o que isso significa. Em 2015, ele recebeu o diagnóstico de linfoma em estágio 4, um câncer agressivo ao qual sobreviveu.

Ele conta que o fez seguir em frente foi olhar além das circunstâncias atuais e acreditar que Deus tinha um propósito maior do que o que ele enfrentava naquele momento.

"Agora, mais do que nunca, precisamos encorajar as pessoas a olhar além das circunstâncias de tudo o que estão passando", disse ele ao Dr. Steve Greene em um episódio recente de Greenelines na Charisma Podcast Network.

Líderes corajosos

O escritor diz que as circunstâncias atuais exigem liderança corajosa. "Precisamos de líderes que sejam corajosos, perseverantes e piedosos mais do que nunca", declarou Stringer, lembrando que “vivemos em um mundo de grandes desafios, até mesmo incertezas”.

"E há um fluxo constante não apenas de desafios corporativos, mas pessoais em meio a tudo isso. Portanto, mais do que nunca, precisamos daqueles líderes corajosos e daqueles que podemos buscar, que têm a Palavra de Deus, que devem compartilhar a verdade e o amor a verdade mais do que eles se amam”, explica.

“E ainda, quando nos deparamos com desvios inesperados, eles podem se tornar uma perturbação e desanimar para nós e nos impedir até mesmo de focar em nosso destino”, diz o autor do livro O despertar da liderança.

"Então eu acho que durante esses tempos, é importante para todos nós lembrarmos que Deus tem um plano e um propósito que é maior do que as circunstâncias temporárias que podem nos atormentar", reafirma o pastor.

Fonte: Guiame

Barco missionário leva médicos e o Evangelho a comunidades da Amazônia

Barco missionário leva médicos e o Evangelho a comunidades da Amazônia

Uma caravana missionária levou atendimento médico e a pregação do Evangelho às comunidades ribeirinhas no estado do Amazonas na última semana, entre os dias 5 e 10 de janeiro.

A equipe do projeto Missão Saúde, promovido pela Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira, foi formada por quatro médicos, seis dentistas, dois enfermeiros e mais de 20 outras pessoas, todos voluntários.

Os voluntários se emocionam logo na chegada, quando são recebidos pela comunidade. A necessidade nestas regiões é grande, já que muitos estão doentes e sem acesso a medicamentos.

“É muito bonito de ver. É extraordinário mesmo! Quando o barco está chegando na comunidade, a criançada enche a margem do rio, esperando o barco aportar. É, de fato, uma viagem missionária que está integrada com todo um projeto que já está acontecendo”, conta o pastor Pedro Veiga, que trabalha na Gerência de Missões.

Além do atendimento médico, os grupos que chegam pelo barco missionário realizam atividades com as crianças, estudos bíblicos, trabalhos de evangelização, cultos e visitação nas casas, reforçando um trabalho que já é realizado diariamente através do programa Radicais Amazônia.

“Os Radicais já fazem um trabalho continuado nessas comunidades e as caravanas levam reforço, ânimo e encorajamento para os que já estão lá, e levam profissionais para abençoar a comunidade, que viabilizam o projeto Novo Sorriso da Amazônia, voltado para procedimentos da saúde bucal”, explica o pastor.

Médicos impactados

A caravana missionária costuma ser formada por cristãos, mas desta vez, uma médica que não frequenta nenhuma igreja resolveu participar como voluntária — Anna, uma médica polonesa, que foi impactada pelo trabalho. 

“Ela ficou muito feliz! Disse que pretende vir outras vezes e que quer saber mais sobre esse amor de que falamos tanto”, afirma a coordenadora do Projeto Amazônia, Germana Matheus.

Voluntária na viagem para a Amazônia pela primeira vez, a médica Dana Liza Martinicorena de Souza conta que estava em busca de servir as comunidades ribeirinhas, que também são alvo do amor de Deus.

“Eu tenho o chamado para servir. Já tive outras experiências no Acre e no Sertão. Quero poder ser benção, demonstrar o amor por meio de ações e também ser impactada pelo Evangelho”, conta. “O amor de Cristo por mim é o amor de Cristo pelos ribeirinhos. Eu voltei da viagem com vontade de estar lá novamente!”

A dra. Dana também foi marcada ao ver a disposição dos missionários batistas que moram e trabalham nas comunidades. “São jovens realmente comprometidos com a obra. Ministram a Palavra de Deus com intensidade e se desprenderam de muitas coisas para viver o chamado deles”, comenta a médica.

Em mais uma viagem missionária, o coração da coordenadora do projeto é tomado de satisfação. “A cada viagem missionária eu sinto gratidão a Deus, por não ficar de fora do que Ele está fazendo. Mesmo em meio a tanta tristeza, posso levar a esperança de Cristo Jesus”, conta Germana.

A próxima caravana especial “Missão Saúde” no Barco O Missionário pela Amazônia será realizada entre os dias 28 de maio e 2 de junho de 2021. Para informações e inscrições, entre em contato pelo telefone (21) 96800-9032 e e-mail barco@missoesnacionais.org.br.

Fonte: Guiame

Pastores recorrem ao Ministério Público para evitar fechamento de igrejas

Pastores recorrem ao Ministério Público para evitar fechamento de igrejas

Presidentes dos Conselhos Estadual e Municipal de Pastores procuraram o Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul para manter as igrejas evangélicas abertas durante a pandemia da covid-19.

No encontro com o procurador-geral de Justiça, Alexandro Magno, o presidente do Conselho Estadual, Wilton Acosta, afirmou que o papel da igreja é acolher as pessoas, ainda mais em momento de crise que atinge a sociedade e diz que estão atentos às medidas de segurança.

“Viemos reforçar a importância do diálogo da igreja com o Ministério Público e dizer que somos solidários e trabalhamos para garantir a segurança da população que vai à igreja em busca do fortalecimento espiritual”, diz.

Os pastores querem que sejam respeitados os decretos federal e estadual que qualificaram as igrejas como “serviços essenciais” e, desta forma, permita seu funcionamento sem os obstáculos enfrentado em diferentes municípios de Mato Grosso do Sul.

A medida ocorre em um momento onde os religiosos indicam aumento na procura das igrejas por parte dos fiéis, temerosos quanto aos efeitos da pandemia –que no Estado já registrou mais de 146 mil infectados e de 2,6 mil óbitos até esta quarta-feira (13), conforme a Secretaria Estadual de Saúde.

Os números abalam o interior das pessoas à medida que avançam as infecções, hospitais vêm a lotação de UTIs aumentar e os debates sobre vacinação ainda avançam no Brasil, enquanto a imunização já ocorre em diferentes locais do mundo. A ideia é permitir que, nesse cenário, dê-se condições para se oferecer “conforto espiritual” à população.

O apelo ao chefe do MPMS foi mais um entre os já feitos ao poder público, e incluiu ainda pedido para que religiosos integrem o grupo de trabalho que analisa as ações de combate à pandemia.

“Estamos fazendo uma jornada. Já estivemos com prefeito, governador e Câmara [Municipal] e, agora, com o Ministério Público”, explicou Acosta ao Jornal Midiamax.

“Estamos conscientizando o nosso povo. Agora, quando você encontra adversidades nos decretos nos municípios por conta de uma parcela da população não estar colaborando, a igreja ‘paga o pato’ sozinha”, prosseguiu o presidente do Conselho Estadual de Pastores, ao afirmar que os decretos acabam “tolhendo nosso direito de realizar os cultos e demais atividades”.

Conforme a assessoria do MPMS, o presidente do Conselho Municipal de Pastores, Ronaldo Leite Batista, destacou a importância do diálogo com o MPMS e frisou que a igreja sempre irá respeitar as regras de segurança e cooperar no combate à doença.

O procurador-geral destacou que o Ministério Público trabalha para “garantir a liberdade religiosa à luz da Constituição Federal e é solidário à necessidade de o cidadão buscar o fortalecimento espiritual para enfrentar este momento tão difícil que afeta a vida de todos”.

Wilton Acosta ainda afirma que decretos estaduais e federias, assim como em diferentes municípios, consideram as igrejas como serviço essencial e, desta forma, deve ter seu funcionamento autorizado durante a pandemia.

Na semana passada os pastores também se reuniram com o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para cobrar voz nas decisões tomadas nos decretos sobre a covid-19.

Atualmente, a Capital e o Estado estão sob toque de recolher, determinando que toda a população fique em casa das 22h até às 5h do dia seguinte.

Fonte: MidiaMax e Campo Grande News

‘Estamos muito próximos do arrebatamento da igreja’, diz Lamartine Posella

‘Estamos muito próximos do arrebatamento da igreja’, diz Lamartine Posella

O Pr. Lamartine Posella fez uma live para tentar responder a duas principais perguntas que rondam os pensamentos dos cristãos acerca do “momento na história em que nós estamos vivendo do ponto de vista Profético”.

As duas questões colocadas pelo líder da Igreja YAH Church são: Como será o início da a Grande Tribulação e o fim dos tempos? O arrebatamento será antes ou depois da Grande Tribulação?

Com base em Apocalipse no capítulo 5, Posella começa dizendo sobre o livro na mão direita visto por João. O pastor explica que a mão simboliza o poder, aquele que tem toda autoridade nos céus e na terra e o livro representa um título de propriedade da terra. “Cada um desses selos ao ser quebrado vai revelar um tipo de juízo que vai ser descortinado na história dos homens. Ou seja, no início da grande tribulação”, diz.

O pastor diz que Deus iria revelar para João o conteúdo daquele livro que é o título de propriedade terra. “Não se esqueça que a Bíblia diz que os céus são do Senhor, mas a terra ele deu aos filhos dos homens. Deus passou para Adão esse título de propriedade e Adão, por ter pecado, passou para Satanás. Agora está chegando a hora de Deus a tomar de volta”, explicou.

Juízos de Deus

O pastor disse que isso acontecerá através dos juízos de Deus. Mas para abrir era necessário alguém que fosse “digno de abrir o livro e desatar os selos”. Segundo Posella, era necessário saber quem seria digno de determinar o que iria acontecer na história dos homens. João diz que “ninguém foi achado digno de abrir o livro nem mesmo de olhar para ele”.

No entanto, um dos anciãos revela “o leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos”.

“Na primeira vinda Jesus veio para morrer, mas na sua segunda vinda ele virá para reinar, e o leão é o símbolo do rei”, diz o pastor. “Ele é digno para abrir o livro, para tomar aquela escritura de propriedade da terra, tomar das mãos de satanás e começar o seu reino sobre a terra que será eterno”, diz.

Ele explica que a Terra que deveria ser dominada, cultivada e protegida se tornou uma terra cheia de maldições por causa da rebelião do homem.

Para ele, agora é a última oportunidade que os homens vão ter de crer e de se entregar a Cristo ou de rebelar-se, mais uma vez, debaixo de satanás.

Posella diz que não é preciso ter medo do que vai acontecer porque aqueles que são de Deus, Ele os protege. “Nós vamos governar este mundo juntamente com Jesus, seremos um reino sacerdotal, onde todos serão abençoados e a bênção de Deus será multiplicada”, diz.

Grande tribulação

Mas antes que isso aconteça, o pastor diz que tem que vir o tempo da grande tribulação quando Jesus vai extirpar da terra toda a oposição de satanás.

“Deus é amor, mas Deus é justiça. Durante dois mil anos o mundo tem ouvido falar de Cristo como o caminho para salvação e o tem rejeitado. Vivemos num tempo em que muitas coisas ruins estão acontecendo. Nós estamos muito próximos do arrebatamento da igreja, porque este tempo que virar um tempo de juízo, um tempo da ira do Cordeiro, daquele que está assentado sobre o trono, é o tempo para o qual nós não fomos destinados”, diz.

“Estamos vivendo neste tempo que antecede a grande tribulação, mas antes de a grande tribulação acontecer não é um caos simplesmente é uma série de ações coordenadas, pré-determinadas escritas no livro que já está que já foi visto por João”, declara.

 O pastor diz que nada do que acontece na história é aleatório e tudo que acontece está debaixo da supervisão de Deus. “Deus permite que essas coisas aconteçam hoje porque Deus deu autoridade para Adão e Adão a transferiu para satanás. Mas isso terá um fim, tem hora para acabar, tem prazo de validade”, afirma.

“Está chegando a hora em que a palavra de Deus vai se cumprir, a igreja vai ser arrebatada, o Senhor vai ser apresentado na sala do trono, vai tomar o livro, vai abrir os seus selos, e vai começar a grande tribulação. Por isso, o nosso papel como igreja é tocar trombeta, é falar a palavra de Deus e serem advertidos do tempo que virá. Não temos mais tempo de brincar de ficar falando do Evangelho como se fosse simplesmente um meio de tornar a tua vida melhor. “Não, o Evangelho é o Reino de Deus. Jesus nos ensinou a orar: Pais, venha o teu reino seja feita a tua vontade na terra como é feita no céu. Isto será feito através do Senhor Jesus e dos seus servos”.

“Somos sacerdotes, nos dias de hoje, pregando a palavra, libertando os cativos por anos oprimidos, levando a palavra de esperança para aqueles que não têm”, alerta.

Fonte: Guiame

Pastor é condenado à prisão, após tentar impedir retirada de cruz em igreja na China

Pastor é condenado à prisão, após tentar impedir retirada de cruz em igreja na China

Um pastor que tentou impedir a remoção da cruz de sua igreja, foi recentemente condenado a cinco anos de prisão na China.

O pastor Li Juncai lidera a Igreja Zhongxin, no condado de Xinxiang, província de Henan e além da pena a ser cumprida, também foi multado em 210.000 RMB (US $32.487).

O líder cristão foi detido pela primeira vez pelas autoridades locais no dia 20 de fevereiro de 2019, junto com três outros cristãos de sua igreja: Wu Raoyun, Bai Yun e Ma Yanfang, após ser acusado de interromper o serviço público.

Quando o governo de Henan removeu cruzes em toda a província, o pastor Li tentou impedir os oficiais do Partido Comunista de retirar a cruz da Igreja Zhongxin. Ele também se opôs à instalação de uma plataforma para hastear a bandeira chinesa em sua igreja e a substituição da placa com a inscrição “Ame a Deus, ame as pessoas” por “Ame seu país, ame sua religião”.

De acordo com a organização de ajuda a cristãos perseguidos, ‘China Aid’, o pastor Li foi condenado com uma série de acusações, como desfalque, obstrução da administração governamental e destruição de registros contábeis.

No entanto, Li Chao, filho do pastor Li Juncai, afirma que as autoridades do Partido Comunista Chinês forjaram todas as acusações contra seu pai em retaliação por ele ter se oposto à demolição da cruz da igreja pelo Partido Comunista Chinês e à supressão das igrejas domésticas pelo governo para aumentar o controle estatal sobre a religião.

Estima-se que a província de Henan tenha uma população cristã de milhões de pessoas. De acordo com a Fundação Amity, Henan ocupa quase um quarto da população cristã do país. Alguns comentaristas estrangeiros a chamam de "Galiléia da China".

Desde de 2018, as autoridades da província têm reprimido as igrejas, na tentativa de reduzir significativamente o número de congregações e de cristãos.

Fonte: Guiame

Luciano Subirá alerta sobre o uso de ‘superstições’ no meio evangélico: “Muletas da fé”

Luciano Subirá alerta sobre o uso de ‘superstições’ no meio evangélico: “Muletas da fé”

“A Palavra de Deus é digna de confiança e nós podemos simplesmente acreditar nela”. Apesar de parecer óbvia para grande parte dos cristãos, a frase dita recentemente pelo pastor Luciano Subirá foi colocada em meio a um alerta feito por ele sobre o uso de “superstições” no meio evangélico.

Segundo ele, há muitos novos convertidos que acabam incorporando crenças pessoais ou adaptando-as à sua fé depois que se entregam a Jesus formando algum tipo de mistura de crenças que não condizem com o ensino bíblico.

“No meio cristão, muitas vezes, depois que muita gente se converte, elas simplesmente transportam um determinado tipo de comportamento, uma determinada forma de crença e começa a simplesmente adaptar isso para sua nova expressão de fé, dentro do cristianismo”, alertou.

“Com isso, nós temos misturas. Não são consideradas por muitos como um sincretismo religioso, mas em uma análise mais profunda, vamos perceber que em um certo sentido, dá para pensar dessa forma”, acrescentou.

Lendo a passagem de 1 Timóteo 4:1-5, Subirá lembrou que esse tipo de contexto já havia sido anunciado pelo apóstolo Paulo em sua carta.

“Quando Paulo está exortando Timóteo a cumprir plenamente seu ministério, ele faz isso diante de Deus, diante de Jesus Cristo, que vai julgar vivos e mortos, e destaca: ‘você tem que pregar a Palavra, instar, quer seja oportuno, quer não’. Outra versão diz ‘a tempo e fora de tempo’. Nessa questão de instar, ela diz: ‘Exija, corrija e exorte com toda a paciência’. Por que? Obviamente, ele está dizendo: ‘Vai chegar um tempo em que as pessoas vão acreditar naquilo que elas querem acreditar não no que Deus diz que elas devem acreditar”, destacou.

“Muitas vezes, nós estamos tentando aferir a verdade pela popularidade, com um argumento que não necessariamente é bíblico. O texto fala de gente que ‘vai se recusar a dar ouvidos à verdade, se entregando a fábulas’”, acrescentou.

Após ler as definições técnicas dos termos “superstição” e “crendice”, Subirá explicou porque considera a incorporação dessas crenças pessoas à fé cristã como essas características.

“Basicamente, é aquele tipo de crença popular que nunca foi orientada pela instituição religiosa. No nosso caso, não vamos falar da Igreja, mas vamos falar das Escrituras. Tem muita gente decidindo acreditar em algo que não está em linha com a Palavra de Deus”, disse.

“Em nome do exercitar a fé, da busca pela intervenção de Deus - o que em si, eu diria que não é errado - têm muitas vezes pegado caminhos muito perigosos. Uma das culturas dos tempos modernos é o que alguns chamam de materialização da fé”, acrescentou.

Subirá explicou que essa tentativa de “materializar a fé” vai contra o que a própria Bíblia ensina sobre a fé.

“As pessoas precisam, de alguma forma, em vez de entender que a fé, de acordo com a Palavra de Deus é exatamente a convicção daquilo que não se vê, elas muitas vezes querem ver, tocar, sentir e cria-se, às vezes por parte da própria liderança, por parte da própria igreja, uma ideia de que há a possibilidade de vermos a materialização da fé”, alertou.

“São pessoas que fazem todo tipo de campanha, colocando todo tipo de muleta da fé possível: ‘Eu vou orar com o copo de água e quando você beber a água…’”, exemplificou.

Generalizando a experiência

O pastor reconheceu que Deus tem e sempre terá o poder e autoridade para agir de forma sobrenatural e fora do convencional, porém isso também não quer dizer que o que ocorreu em uma situação específica vá se tornar regra.

“Eu não estou dizendo que Deus não pode usar determinadas situações e dar determinadas direções fora do convencional. Quando Jesus ora com os enfermos, cuspindo a saliva no chão, fazendo barro com a própria saliva na terra e aplicando nos olhos deles, você não tem um precedente para isso. Mas você também não vê Jesus nos mandando repetir isso. Então, não significa que aquilo que Ele fez em alguma ocasião específica tenha que necessariamente se tornar um padrão a ser repetido”, explicou.

“A Palavra de Deus fala das pessoas tomando os lenços e aventais de uso pessoal de Paulo e quando levavam aos enfermos, eles eram curados, pessoas endemoniadas eram libertas. Então, eu não posso dizer que Deus não pode usar esse formato”, lembrou.

“O que eu quero comunicar é que eu e você não precisamos de mais nada além da Palavra. A fé se apoia na Palavra, vem por ouvir a Palavra, é uma resposta à Palavra de Deus e há coisas que eu e você podemos experimentar, simplesmente porque levamos a Palavra de Deus a sério, porque a gente se posiciona e diz: ‘Se Deus falou, está falado. A Sua Palavra é verdadeira. Passarão os céus e a terra, mas a Sua Palavra não há de passar’”, finalizou

Fonte: Guiame

Pastor e família superam juntos a Covid-19: “Vencemos uma grande batalha”

Pastor e família superam juntos a Covid-19: “Vencemos uma grande batalha”

O pastor Joel Engel e sua família compartilharam as dificuldades e aprendizados durante sua luta pessoal contra a Covid-19 em um culto de Santa Ceia transmitido online na terça-feira (12).

“Todos nós passamos por dificuldades, mas a maneira como vamos enfrentá-las é que faz a diferença”, disse o pastor. “Vencemos uma grande batalha espiritual”.

Para lidar com o tempo de crise provocado pelo coronavírus, Engel se baseou nas instruções de Jesus em Mateus 10:16, que diz: “Eis que eu os envio como ovelhas para o meio de lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”.

“Se Jesus estivesse aqui nos dias de hoje, Ele diria que nos envia como ovelhas no meio de vírus devoradores”, observa Engel. “A serpente mordeu o calcanhar de Jesus, mas Ele esmagou sua cabeça. O vírus pode ferir você, mas você vai esmagar a doença. A vitória está em vencer o inimigo e sair disso melhor do que antes”.

No contexto atual, ser prudente é “se cuidar e usar todos os meios possíveis para se proteger”, explica o pastor. Também é preciso ser simples como uma pomba, que simboliza o Espírito Santo. “Quem está enfrentando a serpente, ou uma enfermidade, e tem a paz do Espírito Santo, enfrenta a doença de um modo diferente”.

O pastor disse ainda que não há como negar a atuação demoníaca por trás das doenças. “Uma pessoa enferma é assombrada pelo medo e por pensamentos de morte, que levam a pessoa a enfraquecer ainda mais seu organismo. Demônios estão agindo por trás da enfermidade”.

Por isso, “Jesus está nos dizendo que vamos enfrentar os problemas usando os meios naturais — com prudência — mas também em súplicas e orações”, destacou. E foi isso o que a família Engel fez.

O pastor Joel Engel foi o primeiro a sentir sintomas semelhantes a uma gripe. Ao dormir, sentindo que seu corpo não estava bem, ele sonhou com muitos mortos, e um dos corpos era dele. “O diabo atormenta as pessoas com essa enfermidade, trazendo imagens de morte. Entendi que havia algo espiritual por trás dessa situação”, disse.

Em poucos dias, toda a família foi contaminada pela Covid-19 — a esposa, filhos, noras, genro e netos. E assim foi iniciada uma verdadeira batalha em oração.

“Mudei muito nesses dias e reavaliei alguns conceitos sobre as pessoas, amigos e família”, observa o pastor. “Fiquei feliz em ver meus filhos conduzindo isso de forma equilibrada, sem entrar em pânico”.

Mara Engel, esposa de Joel, foi a pessoa que enfrentou os sintomas mais intensos entre a família. Ela lembra que Deus mostrou a ela o “nível de guerra” que estavam enfrentando durante a doença.

Certa noite, com febre alta e muita dificuldade para respirar, Mara foi fortalecida por Joel Engel. “Eu disse ao meu esposo: ‘eu não aguento mais’. E ele sentou na frente da cama e disse: ‘Mara, luta contra a morte! Não aceita! Eu vou orar por você, e você vai vencer’”, conta.

Depois de se recuperar da doença e emocionada por estar com a família reunida para celebrar a Ceia do Senhor, Mara testemunhou: “Estar aqui com minha família é o maior milagre que eu poderia receber de Deus”.

Fonte: Guiame

Refugiado vietnamita se torna pastor nos EUA: ‘A fome de Deus nunca me deixou’

Refugiado vietnamita se torna pastor nos EUA: ‘A fome de Deus nunca me deixou’

Winston N. Bui escapou do Vietnã ainda menino durante a queda de Saigon em 1975. Hoje, o ex-refugiado lidera a Irmandade Vietnamita das Assembleias de Deus nos Estados Unidos e passou os últimos 20 anos como orador popular e pioneiro de diferentes Chi Capítulos do Alpha Campus Ministries em faculdades e universidades em vários estados.

“Chi Alpha é minha família há muito tempo”, diz Bui. “Por meio dele eu fui discipulado, aprendi como pregar e trabalhar no ministério, e como seguir a Deus.”

Bui nasceu em Saigon, filho de um capitão do exército sul-vietnamita (aliado dos EUA). Em 30 de abril de 1975, enquanto Saigon mergulhava no caos, o pai de Winston reuniu a família e alguns pertences e os levou às pressas para o porto. No caminho, Winston se lembra de ter visto muitos cadáveres e ouvido tiros em meio a uma grande confusão.

A família embarcou em um barco, assim como milhares de outras, e escapou do caos. O vietcongue abriu um buraco no barco com um canhão, mas não o desativou. Muitos outros refugiados se afogaram e morreram naquele dia, quando as últimas forças dos EUA se retiraram.

A tripulação de um navio da Marinha dos EUA ajudou a embarcação e consertaram o buraco. O barco vietnamita acabou na Ilha Wake, um protetorado dos EUA no sul do Oceano Pacífico. De lá, a família Bui e outras pessoas foram para um campo de refugiados em Fort Chaffee, Arkansas. O pai de Winston se conectou com um patrocinador em Bartlesville, Oklahoma, que ajudou a família a encontrar moradia e emprego.

Anos depois, um dos colegas de escola de Winston o convidou para um culto de jovens de sua igreja. Naquela noite, Winston respondeu à mensagem do Evangelho.

“Nunca olhei para trás”, diz ele. "Naquela noite houve um fogo de avivamento em mim, uma fome sagrada por Deus que nunca me deixou."

Ministério

Em um acampamento de jovens da Assembleia de Deus no verão seguinte, Bui sentiu-se chamado para o ministério e, depois de se matricular na Northeastern State University em Tahlequah, Oklahoma, foi pioneiro de um grupo Chi Alpha lá e encontrou seu caminho.

Em seu último ano, o capítulo havia se tornado um dos maiores grupos Chi Alpha liderados por estudantes nos EUA. Bui permaneceu e liderou o grupo por vários anos mais, se casando com Kimberly D. Baldwin, uma nativa de Oklahoma que compartilhou seu chamado para o ministério. Ela é uma ministra AG ordenada, como seu marido.

O casal mudou-se para Columbia, Missouri, para liderar o grupo Chi Alpha na Universidade de Missouri, que na época tinha nove alunos. Em poucos anos, o capítulo Mizzou tinha várias centenas de alunos regularmente envolvidos. O mesmo tipo de florescimento numérico, relacional e espiritual aconteceu quando os Buis se mudaram para a Califórnia para iniciar um grupo na UCLA, que cresceu de alguns alunos para centenas.

“A chave é relacionamentos um a um, pequenos grupos, discipulado e uma comunidade dedicada a buscar Deus juntos”, diz ele. “Um debate não ganha um campus, mas o sobrenatural pode. Os dons do Espírito, discipulado um a um, louvor e adoração, palavras de conhecimento e palavras de sabedoria, todos cooperam [para o crescimento]”

Uma voz usada por Deus

Troy Singleterry, pastor líder da Igreja City View em San Diego, diz que Bui “é uma voz que Deus está usando de maneiras tremendas em igrejas, viagens missionárias, conferências e nos campi universitários”.

“Winston fala com amor e ousadia, por experiência própria”, diz Singleterry. “Winston é uma das vozes que Deus está levantando em uma época de incerteza, medo, ansiedade e estresse.”

Hoje, a família Bui está entrando em um novo capítulo de ministério no Estado de Sooner, dirigindo Chi Alpha na University of Central Oklahoma em Edmond.

Winston continua liderando o Vietnamese Fellowship nos EUA, que tem igrejas em cidades como Dallas, Houston, Boston, Los Angeles e San Jose. Ele está lançando uma visão e desenvolvendo líderes com o objetivo de plantar mais igrejas AG em toda a América. Bui, que é um missionário dos Estados Unidos e também membro da Comissão de Etnicidade da AG, viaja e prega globalmente.

Em novembro de 2019, ele voltou ao seu local de nascimento, a cidade de Ho Chi Minh, para falar no 30º Conselho Geral das Assembleias de Deus no Vietnã. Sua família mantém fortes laços com o país, onde Bui ministra com frequência.

“Sinto-me oprimido pela bondade, misericórdia e compaixão de Deus para com um jovem que já foi refugiado”, diz ele. “Sempre abençoarei o Leão da tribo de Judá e a nação Chi Alpha pelo que Deus fez em minha vida.”

Fonte: Guiame

Pastor Jorge Linhares segue internado com Covid-19

Pastor Jorge Linhares segue internado com Covid-19

Na sexta-feira (8), o pastor Jorge Linhares, presidente da Igreja Batista Getsêmani, foi internado em Belo Horizonte, com Covid-19. Ele segue em tratamento e tem apresentado melhoras em seu quadro clínico.

Em um vídeo postado pela filha no perfil do pastor no Instagram, ela explicou que ele passou mal no último final de semana, mas depois de uma aparente melhora, pensou que o mal-estar teria sido causado por alguma refeição.

Porém, ao longo da semana, sentiu-se fraco novamente. Fez um primeiro teste para Covid-19, que deu negativo, mas, como continuou se sentindo mal, fez um segundo teste, que deu positivo.

Diante do resultado, ele foi encaminhado para o hospital Madre Teresa, em Belo Horizonte. Seu estado de saúde se tornou preocupante, quando os pulmões chegaram a ficar comprometidos e ele precisou de balão de oxigênio.

A informação de que ele teria sido infectado ou até mesmo internado com Covid-19 pela segunda foi desmentida pela família.

Melhoras no quadro clínico

Durante o final de semana, a família postou atualizações do estado de saúde do pastor. Na manhã do sábado (09), o próprio Jorge Linhares apareceu em um vídeo, bem-humorado e relatando melhoras em seu quadro clínico.

“Estou muito bem medicado, com soro, antibiótico… tive uma noite muito boa, fico no oxigênio, tomando remédios. Já tomei café hoje, pela manhã, tomei banho agora. Estou bonito, cheiroso”, disse o pastor, que afirmou esperar sair do hospital em breve.

Apesar das notícias animadoras sobre a melhora do pastor, ainda não há previsão de alta, segundo a filha dele informou.

Nas redes sociais do pastor, a família tem agradecido frequentemente pelas orações, mas também pedido a compreensão de todos com relação ao estado delicado dele e também reforçado o pedido que a intercessão pela vida dele continue.

Fonte: Guiame

Pastor é investigado por abuso sexual contra fiel dentro de igreja

Pastor é investigado por abuso sexual contra fiel dentro de igreja

Uma mulher de 43 anos denuncia o pastor da igreja Assembleia de Deus Belém, por abuso sexual. O caso aconteceu em Nova Andradina, cidade há 300 km de Campo Grande.

Conforme relato da mulher à polícia, ela e o marido fazem parte da igreja há bastante tempo e desde 2014, a mulher diz que vinha passando por situações constrangedoras com o vice-presidente da igreja, o pastor Éder Wilson dos Santos, de 54 anos.

Os abusos segundo ela começaram com abraços longos e beijos prolongados no rosto acompanhados sempre da palavra de Deus para conseguir os contatos físicos. Ela inclusive já precisou se esquivar para evitar um beijo na boca.

Ela nunca havia contado a situação ao marido por ficar constrangida e por isso, o casal continuou frequentando a igreja. Conforme apurado pelo portal Jornal da Nova, no início de dezembro, a mulher teria estacionado o carro na rua lateral da igreja, onde gravaria um vídeo relatando o assédio, quando o pastor chegou e estacionou na frente do veículo dela e a chamou, pedindo para acompanhá-lo até o templo para tratar de um projeto de doações.

O homem a levou para conhecer a sala de música e seu escritório reformado. Na ocasião, pegou um álcool em gel e passou nas mãos delas, em seguida deu um abraço e com suspiros disse: “Gostoso, gostoso. Faz tempo que não recebia um abraço da minha irmã. Quem não gosta de carinho?”.

E continuou com o assédio a segurando pela bochecha e queixo beijando seus olhos quando tentou beijá-la na boca. Ela tentou evitar o beijo, que pegou nos lábios superiores.

Em seguida, pastor ainda disse: “Me perdoa, a gente fica animado né? Eu extrapolei, me empolguei. Desculpa aí, a carne é fraca”. Ele não queria deixá-la sair, mas ao conseguir, ela representou criminalmente contra ele.

Ainda segundo o jornal da cidade, o marido da mulher fez a denúncia aos membros da diretoria da igreja, mas o caso foi arquivado sem investigação. Por isso, a mulher fez a denúncia na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) onde teve o inquérito instaurado no inicio do mês de janeiro.

Há informações de outros casos suspeitos envolvendo o mesmo pastor com irmãs inclusive de outras igrejas. Esses casos não teriam sido levados à delegacia.

O Jornal da Nova procurou o pastor Wilson José, de 83 anos, que é quem administra a igreja há mais de 45 anos. Ele afirmou que não há nenhum crime dentro da igreja envolvendo o pastor Éder, seu filho.

Contou ainda que beijos e abraços não são atos sexuais e classificou a situação como ato de “safadeza” do casal que fez a denúncia. “Não aliso ninguém da minha família, se tiver que ser punido, será, mas nesse caso não há provas”, disse, contando ainda que um de seus filhos já até foi punido por atos que não condizem com a fé cristã. As ligações feitas ao pastor Éder não foram atendidas. 

Fonte: Campo Grande News


“Deus não vai te tirar da fornalha, mas vai estar com você na fornalha”, diz pastor

“Deus não vai te tirar da fornalha, mas vai estar com você na fornalha”, diz pastor

A oração mais comum entre as pessoas é o pedido de proteção a Deus. Mas para aqueles que andam em aliança com Jesus, esta é uma promessa garantida, especialmente em tempos incertos como o que vivemos.

“Jesus não disse que iria nos tirar da fornalha, mas Ele estaria conosco na fornalha. Ele não vai tirar você dessa pandemia, mas Ele estará contigo”, disse o pastor Joel Engel em culto transmitido online na terça-feira (5).

O líder do Ministério Engel observa que Israel tem um histórico de “proteção especial de Deus”, que pode ser visto tanto nos tempos bíblicos como nos tempos modernos. O motivo disso é a aliança feita com os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó.

Em Gênesis 28:15, Deus faz uma promessa a Jacó: “Estou com você e cuidarei de você, aonde quer que vá; e eu o trarei de volta a esta terra. Não o deixarei enquanto não fizer o que lhe prometi”.

Engel sugere que, antes de sair de casa, nossa oração seja inspirada por esta palavra. “Senhor, Tua palavra diz que Tu estás comigo, que o Senhor vai me guardar por onde eu for, que o Senhor vai me fazer voltar para casa e não me deixará até que se cumpra sua palavra”.

O pastor também observa que a vida é uma luta constante e, por isso, precisamos das armaduras de Deus. Ele cita também as palavras de Jesus em Mateus 10:16: “Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”.

“Você pisa na cabeça da serpente, mas ela pode ferir o seu calcanhar. Jesus está dizendo que você tem que ter cuidado e se precaver. A serpente é astuta e não podemos ignorar os desígnios do inimigo. Ele faz planos para nos atacar e nos destruir, mas o Senhor nos deu autoridade para pisar sobre serpentes e todo o poder do inimigo; nada nos fará dano (Lucas 10:19)”, afirma Engel.

O testemunho que devemos dar em tempo oportuno, segundo Engel, é este: O Senhor está conosco e Ele é nosso escudo.

Usando um talit, manto usado por judeus na oração, Engel fez uma explicação mais profunda sobre a proteção de Deus. “De geração em geração esse manto de proteção têm sido passado para os filhos de Jacó e para as próximas gerações, chegando a Jesus. E essa promessa vai chegando até os dias de hoje, e nós a recebemos”, explica.

“Eu tenho convicção dessa proteção e tenho convicção que não estou sozinho. Ainda que eu morra, sei que o Senhor me levantará dos mortos”, destaca Engel.

Fonte: Guiame

Pastor suspeito de estuprar criança de 5 anos é preso em Londrina

Pastor suspeito de estuprar criança de 5 anos é preso em Londrina

Um pastor, de 64 anos, foi preso suspeito de estuprar uma criança de 5 anos em Londrina, no norte do Paraná, nesta sexta-feira (8).

De acordo com o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), a prisão é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado.

As investigações apontaram que a vítima faz parte da família do pastor e os atos ocorreram em 2020, época da denúncia.

O Nucria também identificou outra vítima desse homem que afirma que foi violentada sexualmente pelo pastor há mais de 30 anos. À época era uma criança e vizinha do suspeito.

"Os relatos das duas vítimas de violência sexual corroboram uma a outra e trazem maior convicção de que os fatos realmente aconteceram", explicou a delegada Lívia Pini.

Esse homem foi indiciado por estupro de vulnerável e, conforme Lívia Pini, em função da reiteração da conduta, um pedido de prisão foi encaminhado e autorizado pelo Poder Judiciário.

O pastor foi levado para um presídio em Londrina. O Nucria tem dez dias para concluir as investigações e identificar possíveis outras vítimas.

"Nos depoimentos, as vítimas identificadas relatam a possibilidade de outras crianças terem sido abusadas por esse homem", concluiu a delegada Lívia Pini.

Fonte: G1

Pastor é preso suspeito de cultivar maconha nos fundos de igreja em Maceió

Pastor é preso suspeito de cultivar maconha nos fundos de igreja em Maceió

O pastor de uma igreja evangélica de Benedito Bentes, bairro da periferia de Maceió, Alagoas, foi preso na noite da última segunda-feira (5/1) suspeito de cultivar maconha no terreno do local. Segundo a Polícia Militar (PM) outras duas pessoas foram presas, incluindo o filho do religioso.

De acordo com a corporação, foram apreendidos na “Igreja dos Humildes“, 20 pés de maconha e 12 mudas da planta. Os policiais chegaram ao local após denúncias anônimas.

Fonte: Metrópoles