Recent post

Jorge Linhares será investigado sobre postagem de vídeo que defende valores bíblicos

Jorge Linhares será investigado sobre postagem de vídeo que defende valores bíblicos

O pastor Jorge Linhares, diretor geral do Colégio Batista Getsêmani, foi convocado a comparecer no Ministério Público de Minas Gerais, na próxima segunda-feira (02), a fim de ser investigado sobre eventual postagem de um vídeo que “caracterizou discriminação de identidade de gênero” e foi enquadrado pela OAB como “discurso de ódio”.

No vídeo que viralizou nas redes sociais, postado em 28 de junho, aparecem crianças defendendo os gêneros masculino e feminino, logo após a polêmica campanha do Burger King em defesa da causa LBGT, no mês do orgulho gay. 

O vídeo, porém, não foi produzido por alunos do Colégio Batista Getsêmani, mas foi somente compartilhado pelo colégio e pertence ao canal do YouTube “O Mundo de Otávio”. 

As crianças dizem que a “ideia de que meninos podem se tornar meninas é enganosa e que Deus fez meninos e meninas”. Mesmo assim, a instituição de ensino foi acusada de homofobia, conduta que pode ser criminalizada, conforme a lei de discriminação vigente em alguns Estados do Brasil.

“Homem é homem, e mulher é mulher”

“Essa não é uma luta do pastor Jorge Linhares e nem só do Colégio Batista Getsêmani. Eu estou representando todos os pastores, igrejas e instituições de ensino religiosas. É uma luta do sistema educacional brasileiro”, explicou o diretor ao Guiame.

“Eu vou diante do promotor para mostrar que tudo nessa vida deve passar por críticas. Qual o problema em criticar uma ação contra as crianças? O adulto pode fazer o que quer com seu corpo, mas não podem doutrinar as crianças com esses pensamentos”, disse o pastor Jorge ao se referir à militância LGBT quando enfatiza que “meninos podem ser meninas”, e vice-versa. 

“Eu declaro, conforme a Bíblia, que homem é homem, mulher é mulher. Menino é menino, menina é menina. Aliás, todos nós declaramos, eu, o Colégio Batista Getsêmani, a Igreja e a palavra de Deus”, enfatizou.

Sobre o sistema de ensino Getsêmani

O Colégio Batista Getsêmani atende alunos do ensino infantil ao médio e adota o Sistema Mackenzie de Ensino, professando valores cristãos. Segundo o pastor Jorge Linhares, que é formado em Estudos Sociais, História, Teologia e Engenharia Ambiental: “nossa missão é ensinar e transformar vidas”.  

“Queremos que o nosso aluno seja instruído a conhecer Deus, fonte de toda a sabedoria e conhecimento, e a fazê-lo conhecido no mundo, através de seu testemunho pessoal e de uma atuação inteligente e solidária”, escreveu no site do colégio.

O vídeo postado, que defende somente as duas identidades [masculina e feminina], está dentro das crenças ensinadas no colégio. “Nós acreditamos dessa forma, que Deus nunca erra, quem erra é o homem. Quero ser claríssimo ao dizer isso para o juiz que me interrogar”, revelou.

Liberdade de expressão em jogo

Para a OAB, a mensagem seria ofensiva, mesmo sem contar com nenhuma palavra ou menção negativa a pessoas LGBT. 

De acordo com o presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB de Minas Gerais, Alexandre Bahia, embora a liberdade religiosa e de discurso sejam protegidos constitucionalmente, o discurso de ódio ou homofobia podem ser criminalizados. 

Ele lembra que o Supremo Tribunal Federal (STF), por meio da decisão sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão 26 (ADO 26), equiparou a homofobia ao racismo, determinando que casos de preconceito e discriminação em razão de orientação sexual sejam punidos.

Ao abrir o inquérito assim que a Promotoria de Direitos Humanos recebeu o vídeo, o Ministério Público de MG disse que o andamento será rápido, conforme informações do G1. 

O pastor Jorge Linhares, que já foi chamado para prestar depoimentos, saberá sobre as medidas ou ação reparatória após a audiência da segunda-feira (02). O promotor de justiça, Mário Konishi, disse que a ideia do Ministério Público é apurar melhor os fatos para tomar as providências em caso de discriminação, se houver.

“Nós demos uma resposta, como instituição cristã, que tem como base a Bíblia Sagrada. A escola gira em torno de ensinamentos em prol da família”, reforçou Jorge Linhares.

Sobre o vídeo

O pastor Wesley Charles, que é gestor administrativo do Colégio Batista Getsêmani, esclareceu ao Guiame, que o vídeo não foi produzido por alunos do colégio. 

“O vídeo postado tem como tema ‘Meu Deus Nunca Erra’ e foi produzido pelo canal ‘O mundo de Otávio’, que está no YouTube”, esclareceu. 

Ele disse que nunca tiveram a intenção de ofender nenhum movimento e que apenas compartilharam um vídeo que, inclusive, continua no ar. 

O advogado que vai representar o diretor e pastor Jorge Linhares e o Colégio Batista Getsêmani, Dr. Oswaldo Fernandes, disse que a denúncia fere totalmente a liberdade de religião e de expressão garantida pela Constituição Brasileira.

“Eles querem calar a voz daqueles que defendem crenças e valores diferentes, principalmente de quem defende as Escrituras e a palavra de Deus”, disse ao Guiame

“Na verdade, o que está acontecendo é o contrário do que estão dizendo: Eles não estão respeitando a nossa opinião e a nossa convicção que é embasada na Bíblia”, continuou.

“Acreditamos no arquivamento da investigação, haja vista que ficará constatado pelo Ministério Público que não houve qualquer cometimento de crime. O vídeo compartilhado pelo colégio não faz discurso de ódio, pelo contrário, apenas reafirma nossos dogmas e convicções religiosas”, concluiu.

Fonte: Guiame

Max Lucado testa positivo para Covid-19, apesar de ter sido vacinado

Max Lucado testa positivo para Covid-19, apesar de ter sido vacinado

O pastor e autor de best-sellers cristãos, Max Lucado, anunciou que testou positivo para Covid-19, apesar de ter sido vacinado contra o vírus.

Em um tweet no domingo, Lucado mostrou uma foto de um teste positivo para Covid-19 feito no sábado, observando que isso o impediu de pregar no dia seguinte na Igreja Oak Hills em San Antonio, Texas.

“Gemido. Covid me encontrou. Testei positivo ontem. Estava planejando pregar hoje na @oakhillschurch e ir com alguns caras em uma viagem épica de golfe para a Irlanda”, disse Lucado.

“Acontece que sou eu em um quarto no andar de baixo com dores, cabeça entupida e quarentena”, tuitou Lucado.

Lucado acrescentou que “há motivos para agradecer”, citando bons cuidados médicos, sua esposa e estar “em casa em vez de um hotel”.

“Mesmo assim, há motivos para agradecer. Esposa incrível. Estou em casa em vez de em um hotel. Meu cachorro gosta de mim”.

“Embora miserável, a miséria teria sido pior sem vacinação. Portanto, estou fazendo o meu melhor para contar as bênçãos”, continuou ele.

Max Lucado também se ofereceu para orar por qualquer pessoa que postar um pedido enquanto se recupera da Covid-19.

“Ajude-me a usar esse tempo – como posso orar por você? Deus sabe, terei tempo para isso. Publique todas as necessidades de oração e orarei com prazer em seu nome. Nosso bom pai não pode pegar Covid. Eu vou sair dessa com ele”, finalizou.

Fonte: Folha Gospel com informações de The Christian Post e Twitter

Pastor apresenta reflexões sobre o sofrimento humano e como superá-lo

Pastor apresenta reflexões sobre o sofrimento humano e como superá-lo

Em tempos difíceis como a pandemia de Covid-19, de perdas e dores em diversas áreas da vida, o livro Estou sofrendo. Deus tem respostas para o sofrimento humano?, busca resgatar das Escrituras Sagradas a Palavra do Pai sobre alguns dos questionamentos da humanidade.

Por que sofremos? Será que Deus se importa com o nosso sofrimento? Como o Senhor lida com as nossas dores? Como discernir a voz suave de Deus em meio a circunstâncias que nos levam ao pessimismo? O livro, escrito pelo pastor Paschoal Piragine Junior, presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba, relembra a história de Jó e os ensinamentos presentes na Bíblia, na tentativa de confortar a todos que estão passando por dificuldades.

“É fruto de um meditar na palavra de Deus de um longo tempo, e que se intensificou quando a pandemia nasceu e vi tanta gente sofrendo. Comecei a tentar dar forma para aquilo que Deus já estava me respondendo. Todos temos questionamentos parecidos, e passei a encontrar os mesmos questionamentos que eu tinha em meu coração nas Escrituras, nos lábios dos homens de Deus, mas as respostas não estavam todas num mesmo local, elas estavam espalhadas pela Palavra”, explica o Pr. Paschoal Piragine Junior.

O livro é um compilado das respostas presentes na Bíblia com explicações e aplicações. A ideia é ajudar as pessoas a lidarem com o sofrimento, e por isso o pastor destaca as promessas que Deus fez à humanidade no decorrer das Escrituras. “A primeira das promessas do Senhor Jesus é ‘e eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos’, o que quer dizer? Que nessa vida nós passaremos por momentos bons e ruins, mas que nunca estaremos sozinhos, que o Senhor estará conosco todos os dias. O texto está no versículo 20b, do capítulo 28 de Mateus”, destaca.

O grande refrigério

A vida do pastor Paschoal Piragine Junior sofreu um grande impacto há 8 anos, com a descoberta de uma doença da esposa, Cleusa Piragine, sempre muito ativa na Igreja e em projetos sociais. Com o acontecimento, o pastor buscou força na Palavra, tornando amplificadas as promessas de Deus para todos os familiares e amigos. “Deus tem planos e propósitos que eu não consigo entender, mas ele está presente. Lidando com a enfermidade da Cleusa, eu confesso, às vezes dá desânimo, mas é interessante que toda vez que chegamos nesse nível de angústia, de sofrimento, a presença do Senhor se revela. Se revela de inúmeras formas. E vemos a beleza do Senhor”, afirma.

De onde vem o sofrimento?

O pastor relembra que o sofrimento entrou no mundo em decorrência do pecado de Adão e Eva. Mas que ele tem sido amplificado pelos pecados individuais e pela maldade humana. “Os pecados geram sofrimentos para nós e para os que amamos. Eles têm aspectos físicos, emocionais e espirituais, afetando, também, estas três áreas. Elas estão interconectadas e o sofrimento permeia todas elas. Precisamos compreender que o sofrimento é uma parte inerente da vida, mas que Deus está ali conosco”, diz.

O livro Estou sofrendo. Deus tem respostas para o sofrimento humano?, é o 12º livro escrito pelo Pr. Paschoal, e a primeira obra lançada pela editora Águas Profundas e está à venda pelo site do pastor, no endereço www.paschoalpiragine.com.br, por R$ 39,90.

Sobre Paschoal Piragine Junior

É o pastor-presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba desde 1988, hoje uma das maiores do país, com 14.500 membros. Preside, também, a Associação Brasileira de Ação Social (ABASC), entidade responsável pelas atividades humanitárias praticadas pela igreja como Atendimento Psicológico, Sopa Solidária e Assistência Jurídica. É autor de diversos livros, professor universitário e apresentador do programa Face a Face, veiculado por mídias sociais, rádio e televisão.  É casado com Cleusa Piragine e tem um casal de filhos: Pr. Michel Piragine, casado com Silvana Dominguez, e os netos Benício e Nina, e Kelly Piragine, casada com o Pr. Leandro Sonda, e os netos Nicolas e Henrique.

Fonte: Guiame

Pregador de rua é xingado por motorista e responde: “Deus abençoe sua vida e sua família”

Pregador de rua é xingado por motorista e responde: “Deus abençoe sua vida e sua família”

Na quarta-feira (21), um cristão de Guapimirim, região metropolitana do Rio de Janeiro, foi hostilizado enquanto evangelizava na rua, em frente a prefeitura da cidade, por uma motorista, que passava pelo local. 

Em vídeo publicado nas redes sociais, o homem, conhecido na região como Moisés da Márcia, é xingado com palavras obscenas por uma mulher dentro de um automóvel, que passou buzinando e mandando ele “calar a bouca”, numa atitude de intolerância religiosa. 

Em resposta à hostilidade da motorista, o evangelista agiu como um verdadeiro cristão e pagou o mal com o bem, abençoando a mulher: “Deus abençoe sua vida, em nome de Jesus. Que Satanás caia por terra, em nome de Jesus. Deus abençoe sua família!”.

Depois de abençoar a mulher, o cristão continuou o evangelismo, cantando um hino. 

“Recebo muitas manifestações de carinho por causa do ministério evangelístico. Mas a perseguição, o discurso de ódio, também fazem parte da minha história”, disse Moisés em postagem no Instagram, citando as passagens de 2 Timóteo 3: 12 e João 15:18.

Nos comentários da postagem do vídeo, várias pessoas manifestaram seu apoio ao cristão hostilizado, elogiando sua atitude em acordo com os ensinamentos de Jesus. Uma delas comentou: “Eu trabalho lá na prefeitura. Ele não incomoda em nada. O volume do som não atrapalha em nada. Ele prega em todas as ruas da cidade!”.

Já conhecido em Guapimirim por suas ações evangelísticas com uma caixa de som portátil, Moisés e sua esposa Márcia, participam do Drive-Thru da Oração, uma ação da Associação das Igrejas Evangélicas de Guapimirim, durante a pandemia.

De acordo com Simon Calvet, vice-diretor de Relações Públicas do The Christian Institute — uma organização cristã que luta pela garantia da liberdade religiosa de cristãos na Inglaterra, os evangelistas que pregam nas ruas têm o direito de expressarem sua fé.

“Os pregadores de rua cristãos têm tanto direito legal de falar em público quanto qualquer outra pessoa”, afirmou Calvet.

Fonte: Guiame

Pastores cubanos são libertados da prisão após campanha de oração

Pastores cubanos são libertados da prisão após campanha de oração

Depois de 14 dias na prisão e sem comunicação com a família, os pastores cubanos Yarían Sierra e Yéremi Blanco foram libertados no sábado (24). Eles ainda não estão livres de acusações e, portanto, aguardam julgamento.

“Deus nos deu a resposta. Só Deus pode abrir as portas da prisão”, disse o pastor Jatniel Pérez, diretor do Seminário Carey de Cuba, do qual os dois pastores são colaboradores.

“Glória a Deus e obrigado a todos vocês, por orarem por estes dois grandes homens de Deus, que continuarão sendo sal e luz para este mundo”, acrescentou Pérez, que tem sido uma voz ativa nos últimos dias pela libertação dos pastores.

Yarián Sierra e Yéremi Blanco foram presos durante as manifestações pacíficas contra a ditadura cubana, que ocorreram em várias partes do país. Após a prisão, as famílias viveram horas de incerteza, sem saber onde eles estavam e sem poder se comunicar com eles.

O Ministério Público acusa Sierra e Blanco do crime de “desordem pública”, denúncia que foi negada por parentes e amigos dos pastores.

Nos últimos dias, uma campanha de denúncia ao regime cubano tem se intensificado, pela prisão de cerca de 400 pessoas, incluindo líderes religiosos, ativistas e jornalistas. 

A Aliança Evangélica Espanhola e a Federação Evangélica FEREDE enviaram cartas à embaixada cubana na Espanha, intercedendo pela libertação de ambos os pastores.

Igrejas de Cuba convocaram dias de oração — um pedido que ecoou em diferentes partes do mundo.

Fonte: Guiame

Morre filha do pastor presidente da Igreja Quadrangular em MG, após desabamento de deck de restaurante

Morre filha do pastor presidente da Igreja Quadrangular em MG, após desabamento de deck de restaurante

A filha do pastor Antônio Genaro, presidente da Igreja Quadrangular em Minas Gerais, faleceu na  segunda-feira (19).

Ana Elisa Genaro, 26 anos, foi vítima de um acidente quando parte de uma estrutura de um restaurante desabou, em Porto Alegre.

O acidente aconteceu no domingo, a jovem foi socorrida, mas não resistiu e faleceu no dia seguinte.

Além de Ana Elisa, outras pessoas ficaram feridas com a queda de parte do deck do restaurante Marina das Flores. Ana caiu na água e passou um tempo submersa, segundo os bombeiros.

A causa do acidente está sendo investigada pelas autoridades locais. As informações preliminares apontam que cerca de 50 pessoas caíram na água após o desabamento e oito delas, incluindo Ana Elisa, precisaram ser socorridas. Uma delas, inclusive, precisou passar por uma cirurgia no tornozelo.

“Pelo que sabemos, tinha bastante gente no restaurante, e agora vamos ouvir pessoas para saber exatamente qual era a situação. A princípio, tinha algum tipo de aglomeração”, disse a delegada Laura Lopes da 4ª Delegacia de Polícia da Capital.

Fonte: G1 e JM Notícia

Pastores são presos em Mianmar

Pastores são presos em Mianmar

Desde junho, cresceu o número de prisões em Mianmar, sobretudo de pastores cristãos. No mês passado, o líder cristão Thar* foi preso pelos militares no Leste do país. O motivo da prisão do pastor é desconhecido e os membros da igreja pedem oração para que ele seja liberto sem qualquer dano.

No Norte de Mianmar, três pastores locais foram presos e acusados de participar de um serviço de oração interreligiosa no mês passado. Os líderes cristãos foram enviados para a prisão pelo líder da tribo. Um dos detidos é idoso e tem saúde frágil.

Mianmar ocupa o 18º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021 e os seguidores de Cristo enfrentam perseguição vinda de amigos e familiares, comunidade, líderes religiosos não cristãos, autoridades do país e grupos extremistas. Os cristãos enfrentam perseguição da família e comunidade por abandonar ou “trair” o sistema de crença em que cresceram.

Por isso, as comunidades que desejam uma unanimidade budista tornam a vida das famílias cristãs impossível, pois não permitem que usem os recursos da comunidade.

Perseguição após golpe

As minorias cristãs e outras minorias étnicas em Mianmar enfrentam um perigo ainda maior desde que o país do sudeste asiático caiu sob o regime militar do Tatmadaw devido ao golpe de 1º de fevereiro que derrubou o governo civil e iniciou uma onda de violência, alertaram especialistas.

Mianmar, também conhecido como Birmânia, é o lar de vários grupos minoritários cristãos, incluindo aqueles dentro das comunidades Kachin, Chin, Rohingya e Karen. O relatório também aborda os cristãos no estado de Wa, cristãos de etnia indiana e chinesa e cristãos Karenni no estado de Kayah.

Mianmar é predominantemente budista, enquanto os cristãos representam cerca de 6,2% de sua população de 54 milhões. O budismo é reconhecido como a religião oficial.

*Nome alterado por segurança.

Fonte: Portas Abertas

Pastor diz que dedicação de Jonathan Nemer por sua mãe é ‘exemplo’ para esta geração

Pastor diz que dedicação de Jonathan Nemer por sua mãe é ‘exemplo’ para esta geração

A notícia da saída de Sara Nemer da UTI emocionou milhares de pessoas nas redes sociais na quarta-feira (21). Embora o milagre no caso grave de Covid-19 seja impressionante, a dedicação dos filhos, Rebeca e Jonathan Nemer, também chamou a atenção.

Segundo o pastor Joel Engel, a perseverança dos filhos de Sara Nemer durante seus 105 dias de internação, é um exemplo para uma geração que tem sido marcada pela “separação entre pais e filhos”.

“Essa virtude de amor e honra aos pais tem sido cada vez mais rara. Isso porque a Palavra diz que, nos últimos dias, viriam tempos difíceis em que os filhos seriam ingratos, irreverentes e desobedientes aos pais (2 Timóteo 3)”, disse ele ao Guiame.

Quando fala sobre a figura do filho, o pastor aponta para Jesus como o modelo perfeito. “Adão foi o primeiro filho criado por Deus, mas ele o desobedeceu e o desonrou. Jesus foi levantado por Deus para mostrar ao mundo como é ser um filho”, explica Engel.

“Todo o trabalho da pregação do Evangelho e o cerne da mensagem de Cristo é mostrar como um filho age”, ele continua. “Jesus dizia ‘eu e o Pai somos um’, como um filho ligado ao pai; ‘eu só faço o que vejo meu pai fazer’, como diz um filho submisso”.

Com base nisso, Engel indica porque o princípio de “honra aos pais” é o primeiro mandamento com promessa — porque “o filho expressa o Pai demonstrando amor e honra aos pais terrenos”.

Foi isso o que o pastor viu na dedicação de Jonathan Nemer. “Ele conseguiu transmitir fé com seu amor e sua perseverança. E durante todo este tempo, o Deus Pai estava observando do céu a sua fé, bem como milhares de filhos. E, de repente, nosso Deus Pai se manifestou, porque um filho chamado Jonathan demonstrou um verdadeiro amor de filho”.

Segundo Engel, a “fé extraordinária” de Jonathan gerou um resultado. “Sua perseverança, seu amor e a honra à sua mãe nesse momento, provocaram uma reação nos céus”, afirma.

“O Pai do Céu se manifestou para dizer: ‘Eu estou contigo’. O pai do Céu se manifestou para dizer a esse menino: ‘Esse é meu filho amado, que me dá muita alegria’. O nome de Jesus foi glorificado com esse gesto”, continua.

Por fim, o pastor deseja que esse exemplo sirva para levantar uma geração de filhos. “Que essa unção de Elias — que une os pais aos filhos e foi gerada nesses 100 dias — passe para toda a geração. Essa é uma pregação que foi feita não só com palavras, mas com atitudes de amor de um filho por sua mãe. Essa é a forma mais eficaz de mostrar Jesus para o mundo.”

Fonte: Guiame

“Cultura do cancelamento não é bíblica e pode ser um sinal do fim dos tempos”, diz pastor

“Cultura do cancelamento não é bíblica e pode ser um sinal do fim dos tempos”, diz pastor

O pastor da Shadow Mountain Community Church, em El Cajon, Califórnia (EUA), David Jeremiah, disse que a “cultura do cancelamento” envolve uma série de crenças “antibíblicas” que refletem o que Jesus disse que prefiguraria o fim dos tempos. 

Em seus comentários no sermão do último domingo (18), alertou que o ato de "cancelar uma pessoa" tem o objetivo de punir e ostracizar alguém. Isso está em conflito com os mandamentos de Jesus, de amar as pessoas incondicionalmente.

A mensagem faz parte de uma série de sermões sobre os eventos atuais que serão resumidos em seu próximo livro, que vai falar sobre como “as profecias para o futuro prenunciam os problemas de hoje”. O lançamento está previsto para outubro, nos EUA.

Sobre a cultura do cancelamento

Por mais estranho que possa parecer — cancelar pessoas se tornou uma cultura dentro do contexto ocidental. O fenômeno social tem sido muito discutido atualmente, dentro e fora do mundo virtual. As “pessoas canceladas” são expostas publicamente e criticadas por suas “opiniões diferentes”. Resumidamente, elas são boicotadas. 

“A cultura do cancelamento tem como foco o julgamento, a acusação e a punição”, disse Jeremiah. Para o escritor, o objetivo daqueles que cancelam os outros é transmitir seus pecados e nunca permitir que sejam esquecidos. O objetivo de Cristo, por outro lado, é o amor, a misericórdia e a graça”, continuou.

Ele cita Jesus como alguém que passou muito tempo com pessoas que haviam sido canceladas, por assim dizer, e ainda mencionou a mulher samaritana no poço (João 4.9) e os leprosos (Lucas 17.11).

“Seria bom pensar que a prática da ‘cultura do cancelamento’ é uma fase temporária pela qual nosso mundo está passando. Mas a sociedade está se tornando mais intolerante e polarizada a cada dia. E não tenho certeza se veremos uma reversão de todas essas tendências”, apontou.

Um sinal do fim dos tempos?

O pastor entende a cultura do cancelamento como algo maligno e também como algo comum à natureza humana. “O que estamos vendo hoje me lembra o que Jesus descreveu em Mateus 24”, referindo-se aos comentários de Jesus sobre os sinais do fim.

Jesus citou ódio e traição, pessoas enganando umas às outras, o aumento da maldade e o esfriamento do amor (vers. 10 a 12). “Existem vários termos nesses versos que representam os hábitos da cultura do cancelamento. É uma cultura do desdém”, comparou.

“Jesus falou sobre a facilidade com que as pessoas se ofenderiam nos dias que antecederiam a grande tribulação. Rapaz, isso é não é verdade? Você já percebeu como é fácil as pessoas se ofenderem hoje em dia?”, questionou.

E apontou para alguns motivos: “Nenhum de nós quer ser ofensivo. Mas as pessoas se ofendem mesmo assim. Se ofendem se lemos uma Bíblia em público ou se usarmos uma camiseta com o slogan João 3.16. Até uma cruz no pescoço pode nos colocar em apuros”, lembrou. 

Ele também mencionou sobre o quanto a traição tem se tornado algo corriqueiro, a falta de perdão e o rancor. "Há muito engano e desconexão. Um estudo recente revelou que quase metade dos americanos não fez um novo amigo nos últimos cinco anos”, disse.

“A cultura do cancelamento que nos conduz à tribulação e ao fim da história, será caracterizada pela frieza em nossos sentimentos uns pelos outros. A vergonha vai conduzir as pessoas para dentro de si mesmas. O bullying irá levá-las para baixo. O ódio irá conduzi-las para trás”, citou. 

Jeremiah, então, exortou os cristãos a abraçar quatro “conceitos não canceláveis” em um mundo marcado pela cultura do cancelamento: sabedoria, coragem, perdão e amor.

“Não é fácil viver como membros do Reino de Deus em um mundo cada vez mais hostil aos seus valores. Essa é a experiência compartilhada por todas as gerações de cristãos, desde a primeira geração. Portanto, a humanidade teve mais de 2 mil anos para se preparar para estes dias. De uma coisa sabemos — as recompensas de seguir Jesus Cristo sempre valem a pena”, concluiu.

Fonte: Guiame

Liberdade religiosa: Franklin Graham vence na Justiça do Reino Unido, após anúncio banido

Liberdade religiosa: Franklin Graham vence na Justiça do Reino Unido, após anúncio banido

Um conselho do Reino Unido foi multado em £ 109.000 (equivalente a quase R$ 781.600) por proibir anúncios de uma campanha evangelística com Franklin Graham, violando seus direitos humanos.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

Na época, o Conselho decidiu remover os anúncios em meio à pressão de grupos LGBT e islâmicos, devido às declarações de Graham à BBC News sobre o casamento gay e extremismo religioso.

Em abril deste ano, o Tribunal do Condado de Manchester decidiu que o Conselho havia desrespeitado “o direito à liberdade de expressão”. 

O caso chegou a uma conclusão no tribunal em julho, quando foi determinado que o Conselho deveria pagar a multa e emitir um pedido público de desculpas. No dia 9, a entidade desculpou-se “pelos transtornos causados”.

“Este é um momento importante para a liberdade religiosa no Reino Unido”, disse Franklin Graham no site da BGEA. “Somos gratos a Deus pelo resultado final deste caso e pelo que isso significará para as igrejas e cristãos em todo o Reino Unido nos próximos anos.”

Apesar dos protestos e da tentativa de impedir Franklin Graham de entrar no país, o Festival da Esperança de Lancashire atraiu 9 mil pessoas em Blackpool, com mais de 50 mil visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

“As Boas Novas de Jesus Cristo devem ser proclamadas”, disse Graham. “Minha oração é que este caso encoraje os cristãos a permanecerem firmes.”

Fonte: Guiame

Pastor que foi preso por fazer cultos no Canadá ministrou companheiros de cela

Pastor que foi preso por fazer cultos no Canadá ministrou companheiros de cela

O pastor Tim Stephens, que foi preso no Canadá depois que um helicóptero da polícia descobriu onde ele realizava cultos ao ar livre durante a pandemia, teve a oportunidade de ministrar outros presidiários.

Stephens, que é pastor da Igreja Batista Fairview em Calgary, na província de Alberta, foi levado pela polícia em frente à sua casa, enquanto seus filhos choravam.

Ele deveria ficar preso até 12 de julho, mas acabou sendo liberado em 1° de julho, quando o Canadá liberou algumas medidas mais restritas da Covid-19. No total, o pastor passou 18 dias preso.

Stephens relatou ao site canadense Rebel News que, devido às restrições da Covid-19, os presos ficam em suas celas 23 horas e meia por dia. “Você não tem nem travesseiro. Só alguns cobertores e um colchão duro muito fino”, disse.

“É uma experiência muito desumana”, acrescentou. “Basicamente, você é colocado em uma pequena gaiola e é deixado lá, sem saber realmente o que vai acontecer nas próximas horas, dias ou semanas”.

O pastor batista revelou ainda que era tratado com respeito por outros presos. “Quando eles entenderam por que eu estava lá, eles não acharam que era certo eu estar lá”, disse Stephens. 

“Eles me chamavam de 'pastor', eles se abriam sobre seus próprios problemas e queriam conselhos, queriam orientações. Até mesmo os presos que eram ateus endurecidos passaram a apreciar de onde eu vim, e nós criamos uma boa amizade entre os presos lá na cadeia”, continuou.

Stephens também falou sobre os recentes incêndios de igrejas no Canadá e disse que o programa de escolas residenciais para índios canadenses foi resultado do fato de o governo ter abusado de sua autoridade. 

O pastor explica ainda por que sua igreja vai continuar fazendo cultos: “Nossas convicções são estabelecidas pela palavra de Deus e por nossa responsabilidade perante o Senhor Jesus Cristo. Portanto, por obediência a Cristo, continuamos nos reunindo e eu continuo liderando a igreja nas reuniões.”

Fonte: Guiame

Pastor prevê mais repressão em Cuba: ‘As famílias não vão ficar de braços cruzados’

Pastor prevê mais repressão em Cuba: ‘As famílias não vão ficar de braços cruzados’

“Cuba não aguenta mais”, disse Jatniel Pérez, diretor do Seminário Carey de Cuba. Quatro dias depois das marchas massivas em solo cubano, muitos continuam detidos. Pérez disse que nunca viu algo parecido com este movimento nacional. 

Entre os detidos estão os dois pastores evangélicos de Matanzas, Yéremi Blanco Ramírez e Yarián Sierra, cuja detenção arbitrária pode durar até 14 dias, segundo o líder. A esposa de um deles denuncia “abusos, maus tratos e injustiça”. 

O procedimento normal é que a polícia mantenha os detidos durante 3 dias, mas com a manifestação do povo nas ruas, a informação é que os pastores permanecerão presos por duas semanas e isso viola muitas das leis cubanas. 

Pérez, que também é pastor do Centro Bíblico Crescer de Velasco, está realizando uma campanha para divulgar o caso dos pastores para que sejam libertados o mais breve possível. 

Isso porque as ameaças de repressão feitas pelo presidente Miguel Díaz-Canel se concretizaram através das prisões, que podem se transformar em longas penas para muitos. Ele teme que essa repressão aumente nos próximos dias. 

Regime comunista

Cuba é uma nação comunista, desde 1959, e o governo sempre buscou controlar a Igreja no país. Pastores, líderes religiosos e grupos cristãos que criticam o regime enfrentam detenção, sentenças de prisão e perseguição.

Pais cristãos que se opõem à educação controlada pelo Estado na escola também enfrentam sentenças de prisão por ensinarem os filhos em casa. Além disso, a ideologia secularista, apoiada por representantes do governo, tem se tornado mais influente. 

Pérez reforça a importância de orar pela situação, divulgar o que está acontecendo e espera que a pressão internacional da mídia e do mundo possa ajudar na libertação dos detidos.

Situação dos pastores presos

Ramírez e Sierra foram presos numa ala da prisão feminina. De acordo com o veículo de comunicação Protestante Digital, eles não receberam permissão nem mesmo para fazer uma ligação para a família. 

“Há rumores pelas ruas que eles podem ser condenados a cinco ou sete anos de prisão. É por isso que estamos tentando pressionar para que isso não aconteça e eles possam ser liberados”, disse Pérez durante uma entrevista.

O pastor conta que a situação das famílias é muito complicada no momento. “Ramirez tem três filhos, dois meninos e uma menina. Sierra tem um filho com problemas mentais. As duas famílias dependem deles, principalmente nessa fase de pandemia, para sustento, alimentação e remédios”, revelou.

“Cuba não aguenta mais”

Pérez pede orações e alerta sobre algumas denominações em Cuba que estão jogando o jogo do governo, quando pedem a seus membros: “Senhores, não façam nada, vamos ter calma, vamos confiar no Senhor, não saiam”, lembrou. “Entendo que não devemos pegar em armas nem nada parecido, esse não é o apelo do crente. Mas entendo que Cuba não aguenta mais”, continuou.

“Eles cortam nossa energia de 6 a 8 horas por dia, não há remédios, não há comida. Pagamos cerca de 60 a 80 dólares por apenas três comprimidos de antibióticos. Mesmo assim, não devemos fazer guerra ou confrontos, mas precisamos de uma mudança porque não podemos continuar vivendo assim”, desabafou.

Ele também explica o motivo pelo qual poucos pastores falam sobre o que está acontecendo. “Assim que eles falam, o governo faz o que fez com os dois pastores em Matanzas”, apontou.

O povo cubano também tem enfrentado grandes dificuldades com a pandemia. “Muitas pessoas estão morrendo e os hospitais estão falindo”, compartilhou. Pérez acredita que ainda haverá mais repressão por parte do governo.

“Acredito que vão monitorar os vídeos das manifestações, vão prender mais pessoas e vão criminalizar quem participou. Haverá uma lição para todos. Eles vão reprimir o povo, para que isso não volte a acontecer. Mas, também acredito que haverá mais manifestações, porque se as prisões continuarem as famílias não vão ficar de braços cruzados. Se houver repressão governamental, haverá reação nas ruas”, concluiu.

Fonte: Guiame

Mais de 300 mil pessoas se rendem a Jesus durante evangelismo em massa na Tanzânia

Mais de 300 mil pessoas se rendem a Jesus durante evangelismo em massa na Tanzânia

Um exército de evangelistas está sendo mobilizado pelo ministério Cristo para Todas as Nações (CfaN), que carrega o sonho de ganhar 150.000 milhões de pessoas para Cristo nos próximos dez anos.

Após três meses intensos no Spring Bootcamp, um campo de treinamento sediado em Orlando (EUA), os evangelistas colocaram em prática o que aprenderam participando de uma série de eventos evangelísticos em toda a Tanzânia, na África Oriental.

De acordo com o CfaN, o impacto dos evangelistas após o treinamento foi notável: houve mais de 300.000 respostas ao Evangelho.

Depois de três meses de treinamento intensivo na sede do CfaN em Orlando, foram enviados à Tanzânia uma equipe com 19 treinadores de evangelismo e 94 alunos do Bootcamp, que juntos, participaram de cruzadas e evangelismo “um a um” em vários locais do país.

O diretor do Bootcamp do CfaN, Levi Lutz, explica a razão desta resposta notável ao Evangelho.

“Quando você lança o verdadeiro Evangelho, ele produz resultados. Sempre que você tenta torcer e manipular para ser palatável, você não vê resultados. E esses são autênticos evangelistas dos cinco ministérios. Eles pregam o Evangelho. Eles pregam a Bíblia. Eles lidam com o pecado, arrependimento e santidade”, disse Lutz. “316.000 pessoas — em uma estimativa conservadora — correram para a cruz e passaram da morte para a vida.”

Phillip Anderson, um dos graduados do Bootcamp, relembra de alguns desafios inesperados na Tanzânia. “Éramos um dos grupos que tinham um Gospel Truck (caminhão usado para evangelismo) que ficou atolado durante a metade de um dia. Mas não paramos”, disse. 

“Pegamos alto-falantes, fomos a outros mercados e compartilhamos o Evangelho. E quando esses alto-falantes ou microfones quebraram, pegamos mais microfones e fomos para cima. Tivemos de 30 a 50 pessoas em cada apresentação do Evangelho em um mercado, que responderam ao Evangelho puro”, disse Anderson.

Lutz ressaltou os planos do CfaN de expandir seu programa de treinamento Bootcamp para mobilizar um exército de evangelistas em todo o mundo.

“À medida que esses pregadores do Evangelho estão equipados, espera-se que desempenhem um papel na meta da Década da Colheita Dupla do Cristo para Todas as Nações, de obter 150 milhões de salvações”, disse.

Fundado pelo evangelista Reinhard Bonnke em 1974 e agora liderado pelo evangelista Daniel Kolenda, o Cristo para Todas as Nações (CfaN) continua sendo o pioneiro do evangelismo em massa na África. 

Até o momento, mais de 80 milhões de pessoas aceitaram Jesus em campanhas evangelísticas do CfaN, marcadas por demonstrações sobrenaturais do poder de Deus para curar doenças, restaurar vidas e transformar comunidades. 

Fonte: Guiame