Recent post

"Você não deve ser mais apegado à sua pátria do que ao povo de Cristo”, diz John Piper


"Você não deve ser mais apegado à sua pátria do que ao povo de Cristo", diz John Piper


Em meio às celebrações do Dia da Independência dos Estados Unidos, comemorado em 4 de julho, o pastor John Piper alertou os cristãos que priorizam a lealdade à pátria antes da lealdade a Jesus Cristo.

Em um episódio do podcast “Ask Pastor John” (“Pergunte ao Pastor John”, em português), Piper respondeu a um ouvinte sobre o patriotismo na visão bíblica. Ele acredita que ter amor pelo país é bom, pois a Bíblia permite que os cristãos tenham “afeições” a lugares ou pessoas.

“Por exemplo, Paulo diz em Gálatas 6:10: ‘Enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, especialmente aos da família da fé’”, explicou Piper. “Então, é como se houvesse algo especial sobre aqueles que estão perto de você e gostam de você. Há um tipo de carinho que é diferente”.

No entanto, o pastor também disse que estes afetos devem existir “até certo ponto” e que não devemos dar a eles “lealdade absoluta”. “Nunca se sinta mais apegado à sua pátria, à sua tribo, à sua família ou à sua etnia do que ao povo de Cristo”, continuou.

“Todos que estão em Cristo, estão mais próximos e unidos a outros que estão em Cristo — não importa seus outros vínculos — do que ao nosso conterrâneo, ou membro de partido, irmão, irmã ou cônjuge”, acrescentou.

O pastor destacou que é preciso entender que “estamos mais ligados a outros cristãos — não importa sua etnia, alinhamento político ou nacionalidade — do que qualquer pessoa em nossa pátria”.

“No final, Cristo relativizou todas as alianças humanas, todos os amores humanos. Manter Cristo supremo em nossas afeições torna todos os nossos menores amores melhores, não piores”.

O patriotismo ainda é uma marca na cultura americana e tem sido fonte de debate nas igrejas. Algumas denominações, como a Primeira Igreja Batista de Dallas, no Texas, realizam um culto patriótico todos os anos para celebrar o dia 4 de julho.

Robert Jeffress, pastor sênior da Batista de Dallas, defendeu a prática, explicando que se trata de adorar o “Deus que abençoou a América” e não a própria nação. 

“Acredito que não há nada de errado, de acordo com a Bíblia, em expressar gratidão a Deus por Suas bênçãos sobre o nosso país”, disse ele em 2018, em entrevista ao colunista conservador Todd Starnes.

Fonte: Guiame

Morre pastor Valdeny Carneiro, da Assembleia de Deus em São Paulo

Morre pastor Valdeny Carneiro, da Assembleia de Deus em São Paulo

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Paulo – Ministério do Belém e a Convenção Fraternal das Assembleias de Deus em São Paulo comunicaram, nas suas redes sociais, o falecimento do pastor Valdeny Carneiro de Oliveira, na madrugada de terça-feira, 07 de julho de 2020, aos 72 anos, vítima de infarto fulminante.

“Militar na reserva, pastor Valdeny foi pastor auxiliar em nossa Sede Belém, presidiu por muitos anos o Campo de Mogi Mirim no interior do estado; retornou à capital em 2014 e assumiu a direção do Setor 116 – Alto do Ipiranga e desde o dia 07 de outubro de 2015 até hoje estava na condução do Setor 31 do Ministério do Belém com sede na zona leste no bairro de Ermelino Matarazzo”, diz a nota de falecimento da Igreja Assembleia de Deus.

O pastor Valdeny era cunhado do pastor Alberto Resende, falecido na última quarta-feira, 1º de julho de 2020.

O pastor presidente, José Wellington Bezerra da Costa externou seus sentimentos à esposa e família do pastor Valdeny.

“Em nome de minha família, das diretorias da ADBELÉM e CONFRADESP, abalado com esta notícia, externo a sua esposa irmã Raquel Carneiro e toda família os nossos sinceros sentimentos, pedindo ao Senhor que os console neste momento de separação”, disse o pastor José Wellington.
“E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa. Lucas 1:23”, concluiu.


Ver essa foto no Instagram

NOTA DE FALECIMENTO PR. VALDENY CARNEIRO DE OLIVEIRA Com pesar a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Paulo - Ministério do Belém e a Convenção Fraternal das Assembleias de Deus em São Paulo comunica o falecimento de mais um de seus Pastores. Passou para estar com o senhor na madrugada desta terça-feira, 07 de julho de 2020, aos 72 anos o pastor Valdeny Carneiro de Oliveira, vítima de infarto fulminante. Militar na reserva, pastor Valdeny foi pastor auxiliar em nossa Sede Belém, presidiu por muitos anos o Campo de Mogi Mirim no interior do estado; retornou à capital em 2014 e assumiu a direção do Setor 116 - Alto do Ipiranga e desde o dia 07 de outubro de 2015 até hoje estava na condução do Setor 31 do Ministério do Belém com sede na zona leste no bairro de Ermelino Matarazzo. Com toda certeza nossa Igreja perde mais uma valoroso e fiel obreiro. Pastor Valdeny é cunhado do pastor Alberto Resende, falecido na última quarta-feira, 01 de julho de 2020. CONDOLÊNCIAS: Em nome de minha família, das diretorias da ADBELÉM e CONFRADESP, abalado com esta notícia, externo a sua esposa irmã Raquel Carneiro e toda família os nossos sinceros sentimentos, pedindo ao Senhor que os console neste momento de separação. E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa. Lucas 1:23
Uma publicação compartilhada por Pastor José Wellington (@pastorjosewellington) em
Fonte: Folha Gospel

Autópsia conclui que morte de pastor foi por suicídio


Autópsia conclui que morte de pastor foi por suicídio


O pastor Darrin Patrick, pastor de ensino da Seacoast Church, com sede na Carolina do Sul, nos EUA, escritor e autor do livro “O Plantador de Igreja”, morreu por suicídio de um ferimento de bala auto-infligido, segundo um relatório da autópsia divulgado esta semana.

Ferimento auto-infligido é um ferimento deliberado por uma pessoa no seu próprio corpo.

Patrick, que fundou a mega-igreja The Journey no Missouri e serviu como pastor de ensino na mega-igreja Seacoast, morreu no dia 7 de maio, aos 49 anos, enquanto atirava com um amigo nos arredores de St. Louis.

De acordo com o Departamento do Xerife do Condado de Franklin, o relatório da autópsia divulgado quinta-feira indica que uma bala disparada de um rifle a curta distância sob o queixo foi a causa da morte, informou o  St. Louis Post-Dispatch .

O xerife Steven Pelton foi citado como tendo dito que a polícia agora “estaria encerrando o caso”.

Em uma mensagem aos membros da Igreja Seacoast na quinta-feira, os pastores Greg e Josh Surratt disseram:

“Hoje, descobrimos que o médico legista que reviu as circunstâncias da morte de Darrin divulgou suas descobertas e considerou a morte de Darrin um suicídio. Ficamos arrasados com esta notícia. Não sabemos, e talvez nunca conheçamos ou entendamos completamente as razões por trás disso. Somos lembrados de que muitas vezes desconhecemos as maneiras pelas quais os que estão próximos estão sofrendo e lutando. Vamos nos comprometer a amar os que estão ao nosso redor e garantir que eles realmente saibam o quanto suas vidas são preciosas lutando com depressão, desespero ou pensamentos suicidas para procurar ajuda. Temos recursos disponíveis para quem precisa deles, além de mais informações sobre Darrin e maneiras de sustentar sua família, em seatcoast.org/darrinpatrick “.

Após sua morte, a esposa de Patrick, Amie, disse que seu marido “era a pedra da nossa família, o grande amor da minha vida e um pai ferozmente dedicado aos nossos incríveis filhos”.

Em 2016, Patrick foi demitido de sua posição de pastor na The Journey pelo que sua igreja descreveu como “padrões históricos profundos de pecado”. Patrick também renunciou ao cargo de vice-presidente da Rede Atos 29, que planta igrejas em todo o mundo.

Embora os pecados de Patrick não envolvessem adultério, disseram os anciãos da igreja na época, ele “violou o alto padrão dos mais velhos em casamento por meio de reuniões, conversas e telefonemas inadequados com duas mulheres”.

Patrick disse que ficou arrasado por seus pecados e pediu desculpas à igreja.

Respondendo à confissão de Patrick, o especialista em ética batista Russell Moore disse na época que os cristãos não deveriam ficar chocados quando os pastores cedem à tentação da imoralidade, porque o pecado é apenas um elemento da natureza humana.

Fonte: Folha Gospel com informações de The Christian Post

Pastor é preso suspeito de estuprar crianças em Manaus

Pastor é preso suspeito de estuprar crianças em Manaus

Um pastor de 43 anos, foi preso em Manaus no início da manhã da sexta-feira (3) suspeito de abusar sexualmente de crianças com idades de 9 e 14 anos. A prisão aconteceu no bairro Braga Mendes, Zona Leste da capital.

A Polícia Civil informou que o homem já fez, pelo menos, oito menores de idades vítimas de estupro ou importunação sexual e mais casos são investigados. A polícia disse também que ele já estava com mandado de prisão preventiva em aberto.

Todas as crianças e adolescentes que já foram identificados como vítimas frequentavam a igreja presidida por ele, no bairro Cidade de Deus, na Zona Norte de Manaus.

Desta vez as investigações começaram em maio, quando uma criança de 9 anos de idade relatou ao pai que meses atrás, ainda em 2019, havia sido vítima do pastor dentro da própria casa.

A criança contou que foi deixada sozinha em casa por alguns minutos, enquanto a mãe saiu para ir ao mercado. O pastor pediu para entrar na casa e a menina, que sentiu que o pastor não oferecia riscos, abriu a porta e o deixou entrar.

“O boletim de ocorrência relata atos libidinosos cometidos pelo pastor da igreja. Ela estava sozinha em casa e deixou o homem entrar. Foi nesse momento que ele cometeu o estupro. Esse fato aconteceu em 2019, mas a criança só relatou ao pai em maio deste ano”, explicou a delegada Joyce Coelho, da Depca.

Após a denúncia, outra adolescente de 13 anos relatou que era convidada pra fazer estudos bíblicos na casa do homem. Segundo a polícia, quando ficava sozinha com o pastor, os atos eram cometidos.

“Ela era próxima das filhas do pastor. E, por isso, frequentava a casa dele com frequência para realizar estudos bíblicos junto com as filhas dele. Porém, quando ele encontrava uma oportunidade de ficar sozinho com a vítima, passava as mãos nas partes e no corpo da adolescente. Ela achou estranho e relatou aos pais”, contou.

A mãe dessa adolescente relatou que o pastor já tinha um histórico desse tipo de abuso. A partir disso, a Depca fez um levantamento e constatou que já havia um procedimento aberto em 2015, de outras duas adolescentes com relatos semelhantes, pelos quais ele foi condenado a 15 anos de reclusão por estupro de vulnerável. O processo está em recurso.

O pastor foi interrogado e nega as acusações. Ainda assim, no início deste mês, ele publicou um vídeo nas redes sociais comunicando o afastamento do cargo e se despedindo de membros da igreja. Nas imagens, ele pediu perdão por “erros cometidos no passado”.

A polícia entendeu como uma tentativa de fuga e expediu o mandado de prisão.

Ele foi preso em casa, indiciado por estupro e será levado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT).

Fonte: G1

Pastor Abílio Santana é acusado de ter filha não registrada fora do casamento

Pastor Abílio Santana é acusado de ter filha não registrada fora do casamento

O pastor e deputado federal Abílio Santana (PL-BA) está sendo acusado de ter uma filha fora do casamento e de ter sugerido um aborto para a mãe da criança quando a gestação ainda estava no começo.

A denúncia foi publicada pelo jornalista Léo Dias, dedicado a fofocas da vida de pessoas públicas. Ele colheu o depoimento de Letícia Mariane, que teria sido amante do pastor em 2012, quando o assessorava em suas visitas a São Paulo para pregar.

“Ele é pastor presidente da Assembleia de Deus de Salvador, mas viaja o mundo fazendo palestras e cultos. Quando ele vinha para São Paulo eu que o acompanhava. Tivemos um relacionamento amoroso, mas nunca soube que ele era casado. Na minha cabeça nunca passou que um pastor iria ter uma amante. Mas a coisa foi ficando séria e eu engravidei. Quando dei a notícia a ele, tive o primeiro choque: ele sugeriu fazer um aborto. Não com essas palavras diretamente, mas deixou subentendido ao me oferecer dinheiro para que eu resolvesse o problema”, relatou Mariane.

A filha da mulher se chama Esther e hoje tem sete anos, conforme informações do portal Metrópoles. O registro da menina não traz o sobrenome de Abílio e nem seu nome como pai. Segundo a mãe, o líder religioso – atualmente deputado federal – não aceita fazer um exame de DNA, mas contribui com pensão alimentícia.
“Já me dispus varias vezes a fazer o DNA, mas ele foge, diz que não é obrigado. No entanto, ele vê a filha quando vem a São Paulo e até diz para nossos amigos em comum da igreja que é filha dele. Mas o negócio muda de figura quando está na Justiça ou em locais públicos. Outro dia fui levá-la ao aeroporto para vê-lo e ele a tratou com muita frieza. Ela ficou arrasada, porque apesar de tudo sabe que é o pai dela e sofre”, contou Mariane.

Segundo a mãe, o pastor envia R$ 3 mil mensalmente para ajudar com as despesas da menina: “Sei que isso é muito menos do que a Justiça o obrigaria a dar. Mas não quero só dinheiro. Quero dignidade de a minha filha ter um pai. É muita hipocrisia ele postar em redes sociais que é a favor de família, contra o aborto e não querer registrar a própria filha. Já entrei na Justiça várias vezes, mas como ele é político e bem influente na igreja, não consegui nada concreto ainda. Além de Esther, ele tem mais três filhos, porém só a minha que ele não considera”, acusou Letícia Mariane.

O jornalista disse ter procurado Abílio Santana, mas como ele acabou de se submeter a uma cirurgia, as ligações foram atendidas pelo filho, Misael, que também é pastor e afirmou que desconhecia o assunto e que seu pai não poderia falar sobre o assunto.

“Esperamos alguns dias para que o deputado Abílio se recuperasse e se explicasse, mas o filho não atendeu mais as ligações. A Coluna segue aberta para dar o direito de resposta ao deputado Abílio”, finalizou Léo Dias.

Fonte: Gospel Mais e Metrópoles

Pastor da Lagoinha repreende igrejas que reabriram: “Pregam obediência, mas não obedecem?”

Pastor da Lagoinha repreende igrejas que reabriram: "Pregam obediência, mas não obedecem?"

O pastor e terapeuta Marcelo Torres, que lidera a Igreja Batista da Lagoinha em Rio Branco (AC), fez duras críticas aos pastores e igrejas que não respeitam as determinações das autoridades sobre o isolamento e distanciamento social em Rio Branco.

Ele comentou sobre as críticas que vem sendo proferidas ao governo do Acre diante do decreto que impede o funcionamento de templos religiosos durante a pandemia da Covid-19. Em seu perfil no Facebook, o pastor comentou que não vê “nenhuma perseguição em relação às igrejas em Rio Branco”.

O comentário do pastor da Lagoinha é contrário ao da maioria de líderes religiosos até o momento, que criticam o fechamento das igrejas enquanto supermercados e distribuidoras seguem com as portas abertas.

“Esses dias vi um post de alguém falando que as autoridades perseguem as igrejas enquanto muitos bares estão abertos. Não se pode comparar a postura de uma igreja com um bar. Da igreja se exige um padrão moral muito mais elevado”, explica Marcelo Torres.

O posicionamento do pastor veio logo após o Ministério Público Federal anunciar que a Igreja Assembleia de Deus na capital acreana, bem como o pastor Luiz Gonzaga, podem responder cível e criminalmente por realizar reunião e festa religiosa, aglomerando até mais de 100 pessoas, durante a pandemia, desrespeitando o Decreto Estadual que veta atividades religiosas presenciais em razão da pandemia de Covid-19.

Marcelo ressaltou que a igreja deve ser ética, guardiã dos bons atos, defensora da vida e deve agir dentro da lei.

“Se um bar está aberto…e daí? A igreja vai usar isso pra justificar sua desobediência? O bar virou parâmetro pra igreja?”, questionou.

“Líderes pregam a obediência, mas não obedecem? Se estão abrindo estão na prática de desobediência. Se forem penalizados não é perseguição… é justiça”, completou Torres, descrevendo passagens bíblicas para atestar seu posicionamento.
Fonte: AC 24 Horas

Nuvem de gafanhotos se afasta do Brasil e pastor comenta: “Deus muda a direção do vento”

Nuvem de gafanhotos se afasta do Brasil e pastor comenta: "Deus muda a direção do vento"

A nuvem de gafanhotos, que ameaçava avançar a fronteira do Rio Grande do Sul, se afastou um pouco do Brasil e do Uruguai. Segundo previsões meteorológicas, a chegada dos insetos é freada por conta do ciclone bomba e da baixa temperatura.

Parte da nuvem de gafanhotos foi localizada na terça-feira (30) por técnicos do governo da Argentina em uma propriedade rural do país, na cidade de Esquina, na província de Corrientes, de acordo com o Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar da Argentina (Senasa).

O pastor Joel Engel, que tem um ministério sediado em Santa Maria (RS), observa as menções da Bíblia a respeito das pragas de gafanhotos. Uma delas está no livro de Joel, que faz referências a quatro tipos de gafanhotos: o cortador, o peregrino, o devastador e o devorador (Joel 1:4).

“Hoje a Terra está vendo essa praga de gafanhotos acontecer”, disse Engel, em referência ao avanço de exames em países da África, Ásia e Oriente Médio. “Por onde essa praga passa, não sobra nada, nem árvores, nem flores, nem plantações. A lavoura é totalmente dizimada e o lavrador é levado à miséria”.

Inspirado em Joel 1:13, onde Deus instrui os sacerdotes a “prantear e chorar alto”, o pastor diz que ele e um grupo de intercessores, que intercalam entre si 24 horas por dia, têm clamado a Deus desde que receberam a notícia sobre a ameaça dos gafanhotos no Brasil.

“A única coisa que pode nos livrar dessa praga é Deus; porque Deus pode mudar a direção do vento e fazer com que mude também a direção da nuvem de gafanhotos”, destaca Engel.

“Por isso a palavra de Deus diz que devemos buscar e nos arrepender, porque é uma praga que vem por causa do pecado do povo. A nossa geração tem falhado muito com Deus. Por isso eu quero te aconselhar: ore também, busque a Deus, seja um intercessor e ore para que Deus proteja a nossa terra, nosso estado e nossa nação”, orienta o pastor.

Na terça-feira, o Ministério da Agricultura concedeu  uma autorização emergencial e temporária para uso de alguns inseticidas biológicos contra pragas de gafanhotos.

O Ministério da Agricultura recebeu ainda a proposta de um  plano nacional permanente contra pragas de gafanhotos no Brasil, elaborada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag).
Fonte: Guiame

Pastor consola vítimas da Covid-19 em funerais em Manaus: “Sinto a dor do próximo”

Pastor consola vítimas da Covid-19 em funerais em Manaus: "Sinto a dor do próximo"

Em Manaus, uma das cidades brasileiras mais afetadas pelo novo coronavírus, o pastor Izaías Nascimento tem levado a palavra de Deus como consolo às famílias de vítimas da pandemia.

Durante o dia, Izaías realiza serviços funerários para famílias pobres que perderam seus entes queridos. À noite, o pastor prega a mensagem de Deus na Igreja Pentecostal Alcançando Vidas.

Com quase 70.000 pessoas infectadas pela Covid-19 e quase 3.000 mortos, o estado do Amazonas é um dos mais atingidos pelo vírus. Manaus esteve à beira do colapso em maio, quando os óbitos diários aumentaram 200% e o sistema de saúde estava saturado. 

O pastor Izaías, de 49 anos, diz que recebeu um chamado de Deus há quatro anos: “Vai cuidar dos meus filhos que estão precisando de um consolo, de uma palavra amiga”.

A mensagem de consolo faz parte de seu trabalho na SOS Funeral, um programa social de cerimônias fúnebres da prefeitura para famílias com poucos recursos.
Usando o equipamento de proteção contra o coronavírus, o pastor Izaías começa às sete da manhã uma jornada de 12 horas. Em uma van, ele retira cadáveres em hospitais e casas.

“Sinto a dor do próximo. Esse é o emprego que mais amo, Deus me colocou lá”, disse Izaías à AFP. 

Durante o pico da pandemia em Manaus, Izaías lembra que não havia descanso — sua equipe chegou a realizar cerca de dez enterros por dia. Mas a situação foi amenizada e hoje são cerca de três funerais diários. 

Izaías presencia diariamente o sofrimento de pessoas de perdem seus entes queridos. Os parentes “ficam desesperados, saem gritando: ‘Não leva a minha mãe! Não leva o meu pai!’. E a gente tem que aguentar. Às vezes somos agredidos, mas temos que ficar calados porque eu sei que dói”, relata. 

Em uma das situações, Izaías consolou um jovem que havia enterrado o pai, vítima do novo coronavírus. Devido às normas da prefeitura, o jovem se despediu sozinho no cemitério público. 

“Deus me deu esse dom da palavra, faço com amor e dedicação apesar de ser um trabalho de risco”, diz o pastor, acrescentando que não sente medo nem do coronavírus, nem da morte. 

Por volta das sete da noite, Izaías se prepara para sua segunda jornada. Durante a pandemia, ele tem celebrado cultos nas casas de membros de sua igreja, já que as autoridades proibiram as reuniões para evitar aglomerações.

Na uma humilde casa de tijolos de uma das irmãs, o pequeno grupo levanta os braços para louvar a Deus. Quando tudo passar, o pastor pretende retomar a construção da igreja na casa que sua sogra lhe deu de presente anos atrás.

Fonte: Guiame

“Para tristeza do diabo, intensificamos a comunhão com Deus”, diz pastor curado da Covid-19

"Para tristeza do diabo, intensificamos a comunhão com Deus", diz pastor curado da Covid-19

“Nosso Deus continua curando”. É assim que o pastor Tiago Moura, presidente da Igreja Verbo da Vida de Petrópolis (RJ), celebra a recuperação de sua família, que foi infectada pelo novo coronavírus no início de junho.

O pastor Tiago e sua esposa, Tayanny Moura, iniciaram o ano “estimulando nossa igreja a ter mais comunhão e intimidade com o Senhor”. E foi inspirados nesta direção que eles enfrentaram o diagnóstico de Covid-19 após os sintomas de uma leve gripe.

“Dias depois meu filho Henrique, de 8 anos, também. Até então, não sabíamos se era o Covid-19, pois os sintomas eram, ainda que incômodos, eram leves. E minha filha, Rebeca, de 4 anos, ficou totalmente assintomática”, disse Tiago.

Foi então que a família resolveu fazer o exame do coronavírus, que testou positivo. Após o exame, Tiago, Tayanny e Henrique desenvolveram novos sintomas: a perda do paladar e olfato.

Foram 13 dias com os sintomas no corpo, que foram combatidos com medicamentos e muita fé. “Espiritualmente, para tristeza do diabo, intensificamos nosso momento de adoração e comunhão com o Senhor. Sim! Nosso Deus continua curando, protegendo. Parece que estou cercado, mas sou guardado por Ele”, destacou o pastor.

“O diabo sempre vai querer nos parar, amedrontar, nos deixar covardes. Mas eu só posso dizer que ele pegou uma família ousada e destemida”, acrescentou Tiago.

Depois de se recuperarem completamente da doença, a família está ainda mais fortalecida. “É assim que nós podemos dizer que estamos, firmes e fortes e, agora, com mais ousadia e liberdade para ajudar ainda mais”, afirma o pastor Tiago.

“Enfim, tudo deu certo. E estamos curados do coronavírus”, celebra.

Fonte: Guiame

Edir Macedo repudia violência na Igreja Universal, em Angola

Edir Macedo repudia a violência na Igreja Universal, em Angola

O líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), Bispo Edir Macedo, repudiou, neste final de semana, os atos violentos registrados em vários templos da sua denominação, em Angola.

Ao falar no programa “Meditação com os Pastores”, transmitido pela TV Zimbo, em Angola, o líder religioso mostrou-se convicto na recuperação do controle administrativo da instituição no país.

Edir Macedo qualificou os últimos acontecimentos ocorridos na igreja, em Angola, como “golpe contra a obra de Deus”.

Na última segunda-feira, bispos e pastores angolanos que se separaram da ala brasileira fiel a Edir Macedo, ocuparam alguns templos em Luanda e nas províncias de Benguela, Huambo, Malanje, Namibe, Cuanza Sul e na Lunda Norte.

Organizados num grupo que apelidaram de Comissão de Reforma de Pastores Angolanos (CRPA), justificaram a medida com eventuais crimes dos bispos e pastores brasileiros.

Segundo a ala angolana, os responsáveis  brasileiros da IURD promovem o racismo, a discriminação social, abuso de autoridade, falta de respeito, humilhações públicas contra pastores angolanos, evasão de divisas e expatriamento ilícito de capitais.

Em resposta, Edir Macedo apelou à harmonia e união em torno da igreja, sublinhando que a “rebelião” será vencida e os seus autores responderão perante a justiça de Deus.

Disse que o ato de “rebeldia” dos pastores e bispos angolanos têm os dias contados e as suas motivações virão a público.

Liderados pelo bispo Valente Bizerra, os pastores angolanos decidiram romper, em novembro de 2019, com a representação brasileira em Angola, encabeçada pelo bispo Honorilton Gonçalves.

Os mesmos acusam os brasileiros de práticas doutrinais contrárias à religião, como a exigência da cirurgia de vasectomia e evasão de divisas para o exterior do país.

Fonte: Angonotícias

Filho do Bispo Rodovalho depõe em CPI que investiga fraude em venda de respiradores

Filho do Bispo Rodovalho depõe em CPI que investiga fraude em venda de respiradores

O empresário Samuel Rodovalho, filho do bispo Robson Rodovalho, líder da igreja Sara Nossa Terra, prestou depoimento, na terça-feira (23/06), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Respiradores da Assembleia Legislativa de Santa Catarina que investiga a compra fraudulenta de equipamentos médicos em meio à pandemia do novo coronavírus.

Representante comercial da empresa chinesa Cima, Samuel é investigado por suposto envolvimento na intermediação entre o governo catarinense e um grupo de empresários. O governo de Santa Catarina pagou R$ 33 milhões pelos itens essenciais ao tratamento de pacientes em estado grave acometidos pela Covid-19, mas os aparelhos nunca foram entregues.

A investigação provocou a queda de integrantes do alto escalão da administração pública catarinense. Entre eles, o secretário-chefe da Casa Civil, Douglas Borba. O ex-gestor continua preso, suspeito de ter recebido dinheiro para favorecer a operação.

O empresário pediu para ser ouvido por meio de videoconferência em função da gravidez da esposa. Ele também alegou que mora com a sogra, que é idosa. A solicitação, no entanto, foi negada. A oitiva do empresário durou mais de três horas.

Aos parlamentares, Samuel negou ter recebido qualquer valor durante a negociação. Disse, também, que não teve contato com nenhum integrante do governo durante a negociação que culminou na compra de equipamentos fantasmas.

Os deputados, no entanto, apresentaram mensagens recuperadas do celular de Samuel – apreendido em operação de busca em maio – onde o empresário cita o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL). Na  segunda-feira (22/06), a Justiça encaminhou o processo que investiga a compra dos respiradores para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) por conta da suspeita de participação do chefe do Executivo no caso.

Em uma das conversas, Samuel diz que está na “linha com o governador”. Em outra, questiona: “o que eu faço com o governador me ligando?” Aos parlamentares, o empresário disse que o primeiro texto foi um “equívoco” e que o segundo foi apenas encaminhado por ele. Ele destacou diversas vezes que não conhece e não tem nenhuma relação com o governador Carlos Moisés.

As mensagens, de acordo com os investigadores, precisaram ser recuperadas porque o empresário apagou as conversas e teria quebrado o celular antes do aparelho ser recolhido. O empresário negou. Disse que deletou mensagens que considerava “irrelevantes” justamente porque pretendia comprar um novo aparelho.

Outro ponto destacado pelos parlamentares na CPI trata do fato de Samuel ter comunicado ao Hospital Albert Einstein, com quem também estava negociando a venda de respiradores, a impossibilidade de entregar os equipamentos dias antes de o governo de Santa Catarina pagar R$ 33 milhões pelos itens que nunca foram entregues.

Ou seja, para os deputados, o empresário poderia ter acionado o governo a tempo de evitar a transação fraudulenta. Samuel reconheceu que poderia ter feito o alerta, mas disse ter sido orientado a comunicar a indisponibilidade no dia 1º de abril, data em que os valores foram depositados pelo governo de Santa Catarina.

O empresário disse que os produtos não poderiam ser entregues devido a uma decisão do governo chinês que embargou a venda de respiradores para alguns países.

Samuel afirmou ainda que desde 2015 estava afastado da empresa Cima, que produz equipamentos médicos. No entanto, relatou que, diante da pandemia e da corrida para a compra de respiradores, foi procurado tanto pela empresa produtora quanto por pessoas interessadas na aquisição. Entre eles, um advogado do Rio de Janeiro que teria informado.

Fonte: Metrópoles

Jogador desiste da carreira durante pandemia para virar pastor

Jogador desiste da carreira durante pandemia para virar pastor

O volante Nata, do Inter de Limeira, não estará à disposição do técnico Elano quando o Campeonato Paulista for retomado.

Enquanto a maioria dos jogadores vive a expectativa de voltar aos gramados o quanto antes, Nata tomou a decisão de deixar o futebol durante a paralisação para virar pastor.

“Sou cristão há 16 anos e creio que Deus me chamou para isso. Há alguns anos eu vinha amadurecendo isso. Então, Deus falou comigo, e eu decidi parar, seguir a vida eclesiástica. Sou evangelista aqui na igreja, onde congrego, tenho essa vontade de virar pastor. Então tomei essa decisão de deixar o futebol”, disse ao GloboEsporte.com na sexta-feira.

A revelação foi feita durante um culto na última quinta:

“Deixo o futebol neste momento porque, como falei para o pessoal da Inter, queria obedecer a Deus em um momento onde tinha opções ainda, que seria algo que eu estaria abrindo mão de algo que tinha valor para mim, que era o meu sonho como jogador. Porque eu poderia daqui a alguns anos tomar essa decisão, mas seria algo que eu já estaria parando”.

Nata tinha renovado recentemente o contrato com a Inter até o fim de 2020, mas abriu mão do novo acordo. A última partida oficial dele foi no empate por 0 a 0 com o Palmeiras, em 14 de março, quando atuou os 30 minutos finais do segundo tempo.

Com passagens também por times como Guarani, América-RN e Botafogo-PB, Nata fez um balanço positivo de sua carreira e destacou a oportunidade de começar e terminar a carreira na Inter, onde marcou três gols em 30 jogos disputados.

“Estou muito feliz. Deus cuidou, fui abençoado, consegui conquistar algumas coisas no futebol e, com o recurso do futebol, consegui conquistar coisas materiais também. Ganhei alguns títulos durante a carreira, tive momentos bons, momentos ruins, só que onde comecei, Deus me deu a honra de terminar, que foi na Inter, sou limeirense”.

Nata fazia parte do elenco alvinegro em 2005, quando, antes da atual temporada, tinha sido a última participação do clube na elite estadual.

“Poder ver a Inter de novo na primeira divisão e ter feito parte disso foi gratificante”, concluiu o agora ex-jogador.

Fonte: Globo Esporte

Mais de 30 pastores morreram devido ao Covid-19, na Nicarágua

Mais de 30 pastores morrem devido ao Covid-19, na Nicarágua

Pelo menos 32 pastores evangélicos morreram em maio e junho de 2020 devido a coronavírus na Nicarágua (América Latina), embora alguns aumentem esse número para mais de 40.

O jornal Maranata da Costa Rica pôde confirmar essas informações com fontes do país vizinho.

O governo nicaraguense não implementou restrições gerais para combater a epidemia de Covid-19. Atividades governamentais, eventos esportivos e culturais, negócios, indústria e atividades religiosas não foram solicitadas a parar.

Isso causou um debate entre igrejas evangélicas no país. Alguns líderes cristãos disseram que seus locais de culto devem permanecer abertos ,enquanto outros optaram pelo fechamento total dos edifícios da igreja.

Algumas das igrejas que escolheram permanecer abertas acham que podem fazê-lo, seguindo as indicações de segurança da Organização Mundial da Saúde (OMS): respeitando o distanciamento social, usando máscaras faciais e evitando apertar as mãos.

O que é certo, de acordo com o jornal Maranata, é que mesmo essas igrejas sofreram uma forte queda no atendimento , já que a maioria da população tem medo de ser infectada.

Analistas na Nicarágua vinculam a decisão de manter locais de culto abertos ou fechados a tensões políticas e atitudes de apoio do governo lideradas pelo controverso presidente Daniel Ortega, por um lado, e expressões de protesto e desacordo, por outro.

A Igreja Católica Romana na Nicarágua cancelou todas as suas atividades desde março, e organizações como a Convenção Batista decidiram fechar seus locais de culto desde junho, uma decisão que alguns dizem ter sido tomada tarde demais.

Segundo dados coletados pelo jornal espanhol ABC, Nicarágua é um dos países do mundo que informa com menos transparência a evolução do Covid-19. Seu governo também tem sido um dos menos interessados ​​em tomar medidas drásticas para impedir a epidemia.

O site de notícias latino-americano Evangélico Digital acessou um documento assinado pela Aliança Evangélica da Nicarágua, no qual listava os nomes, sobrenomes e data de falecimento de 44 pastores evangélicos da Nicarágua.

“Esta é uma lista preliminar de nossos pastores que faleceram e foram à presença de nosso Senhor Jesus de Nazaré neste tempo de pandemia”, diz a carta enviada à Aliança Evangélica da América Latina. “Criamos uma plataforma de oração 24 horas por dia, 7 dias por semana, para fortalecer as famílias pastorais, bem como um projeto de ajuda humanitária”.

Na carta, a Aliança nacional também explica que nem todas as mortes foram confirmadas como causadas pelo Covid-19 e acrescenta: “Agradecemos a Deus pelo fato de várias famílias pastorais terem se recuperado completamente da doença”.

Fonte: Folhagospel