Recent post

Pastor convence homem a desistir de suicídio: "Comecei a pregar a Palavra de Deus"

Pastor convence homem a desistir de suicídio: "Comecei a pregar a Palavra de Deus"

Um pastor conseguiu impedir que um homem de 36 anos cometesse suicídio na tarde da quinta-feira (24), na cidade de Jundiaí, ao se aproximar e compartilhar a mensagem da Bíblia.

O homem que tentava suicídio faz uso de medicamentos controlados, passa por problemas familiares e ficou abalado após o fim do relacionamento com a namorada. Sua tentativa era pular do alto do viaduto da avenida Alceu Damião Peixoto, ao lado da Astra, sobre a Anhanguera, que liga a avenida Prefeito Luiz Latorre à região do Jardim Guanabara. Mas o pastor Cristiano José da Silva o abordou cuidadosamente e o convenceu a desistir de tirar a própria vida.

Cristiano é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus no bairro Retiro e quando passava de carro pelo viaduto, percebeu algo estranho na atitude do homem.

“Eu estava indo para a igreja, quando o avistei de longe. Como eu suspeitei, reduzi a velocidade e fiquei observando”, comentou o pastor. “Enquanto eu passava, notei que ele colocou uma das pernas por entre as ferragens do parapeito, olhando fixamente para baixo. Foi então que não tive mais dúvidas de que ele iria se jogar”.

Então, o pastor acelerou, fez o retorno, estacionou o carro sobre o viaduto, ligou o pisca-alerta e se aproximou do homem que estava para tirar a própria vida.

“Fui até ele e questionei o que ele estava fazendo, momento em que me disse que iria se matar. Começamos a conversar e ele me contou sobre seus problemas. Passei então a pregar sobre a palavra de Deus, dizendo que aquela não era uma opção, que se ele se matasse, o sofrimento seria ainda maior. E disse também a ele que, o que quer que fosse seu problema, existia uma solução”, relatou.

Após algum tempo de conversa o homem desistiu de pular do viaduto, saiu do parapeito e foi amparado pelo pastor. Nesse momento, os guardas municipais Pierre e Vilson se aproximaram do local para apoiar o resgate e também conversaram com o resgatado.

O pastor Cristiano Silva faz parte de um projeto chamado 'Help', que é formado por pastores e fieis de Jundiaí para realizar um trabalho de prevenção ao suicídio, dando apoio a pessoas que pensam em tirar a própria vida. O líder cristão expressou sua alegria em obter sucesso no resgate de mais uma vida.

“Fiquei muito feliz e me coloquei à disposição para ajudá-lo. Tomei nota do endereço e telefone dele e vou acompanhá-lo”, salientou.

Uma viatura de resgate do Corpo de Bombeiros também compareceu ao local e prestou atendimento ao homem. Ele foi encaminhado ao Centro de Atendimento Psicossocial.

Fonte: Guiame

Pastor é assassinado por radicais hindus e corpo é jogado em floresta, na Índia

Pastor é assassinado por radicais hindus e corpo é jogado em floresta, na Índia

Um plantador de igrejas no estado indiano de Maharashtra foi brutalmente assassinado por extremistas hindus depois, de sofrer anos de abuso por sua fé cristã em meio à escalada da intolerância religiosa e da violência no país.

O organização ‘International Christian Concern’ relata que, em 10 de julho, extrmistas hindus desconhecidos assassinaram o pastor Munsi Thado, de 35 anos, e deixaram seu corpo na floresta perto da vila de Badpari, no distrito de Godcharoli, no estado de Maharashtra.

Os hindus supostamente raptaram o pastor de sua casa, ignorando os apelos de sua esposa Rajini para que sua vida fosse poupada.

Nos cinco anos anteriores à sua morte, o pastor Munsi viveu na floresta perto da aldeia Badpari, devido à pressão da aldeia. Os líderes da aldeia, irritados com os esforços evangelísticos de Munsi, exigiram que ele se retratasse de seu trabalho evangelístico e negasse sua fé cristã. Quando o pastor se recusou a cumprir tais exigências, ele foi expulso da aldeia.

Após o ostracismo de sua comunidade, Munsi, que fazia parte de um grupo separatista maoísta antes de sua conversão ao cristianismo, continuou a evangelizar, levando quase duas dezenas de famílias a Cristo.

“Ele foi morto por causa de sua fé, vida e ministério para com o povo Adivasi na área”, disse um de seus colegas à ICC. “Ele conduziu mais de 20 famílias a Cristo nos últimos cinco anos, desde que foi expulso da aldeia por alguns radicais hindus”.

A Índia tem cerca de 66 milhões de cristãos de uma população total de aproximadamente 1,36 bilhão. O país tem visto um aumento constante na perseguição aos cristãos na última década, de acordo com a Portas Abertas (EUA), que classifica a Índia como o décimo lugar mais perigoso para se viver como um cristão.

A Portas Abertas observa que os ataques contra os cristãos são frequentemente perpetrados por nacionalistas hindus, enquanto os convertidos ao cristianismo de origem hindu são "especialmente vulneráveis ​​à perseguição e constantemente sob pressão para retornar ao hinduísmo, especialmente por meio de campanhas conhecidas como Ghar Wapsi".

Grupos de direitos humanos afirmam que desde que o Bharatiya Janata, um partido nacionalista hindu, ganhou as eleições gerais em 2014, os extremistas hindus têm como alvo os cristãos.

De acordo com o Persecution Relief, que rastreia perseguição e assédio anticristãos na Índia, os crimes contra cristãos na Índia aumentaram 60% entre 2016 e 2019. A organização sem fins lucrativos descobriu que entre janeiro de 2016 e junho de 2020, houve 2.067 crimes inspirados pela intolerância religiosa contra os cristãos na Índia.

Oito dos 29 estados da Índia aprovaram leis rígidas de "anticonversão" para impedir qualquer pessoa de converter ou tentar converter, direta ou indiretamente, outra pessoa por meios "forçados" ou "fraudulentos", ou por "aliciamento" ou “Incentivo”.

As penalidades por violar as leis podem variar de multas monetárias à prisão. Grupos de direitos humanos advertiram que tais leis são frequentemente usadas para discriminar minorias religiosas ou para justificar assassinatos extrajudiciais.

Fonte: Guiame

Pastores do Reino Unido apelam ao não fechamento de igrejas em nova onda de Covid-19

Pastores do Reino Unido apelam ao não fechamento de igrejas em nova onda de Covid-19

Mais de 500 líderes religiosos do Reino Unido pediram aos primeiros-ministros da Inglaterra, Gales, Irlanda do Norte e Escócia que não fechem as igrejas novamente devido o aumento nas restrições pelo coronavírus.

Em uma carta aberta, eles dizem que o culto cristão público “é essencial para o bem-estar de nossa nação”.

Eles alertaram que "restrições cada vez mais severas estão tendo um efeito desumanizador na vida das pessoas, resultando em uma onda crescente de solidão, ansiedade e danos à saúde mental".

O Rev. Paul Levy, ministro da International Presbyterian Church Ealing, um dos signatários da carta, disse ao Premier que era necessário enviar esta mensagem aos líderes do Reino Unido, embora não houvesse nenhuma indicação de que as igrejas seriam afetadas pelas novas restrições ao coronavírus.

"Acho que, como já tivemos o fechamento antes, achamos que era bom ser proativo em vez de sempre reativo", disse ele.

"O papel da Igreja também é falar ao Estado às vezes, e devemos nos submeter às autoridades, devemos orar pelos líderes. Mas também devemos trazer as reivindicações de Cristo para influenciar nossa nação, os líderes, para o bem deles e para nós", acrescentou.

Novas restrições

A carta afirma que as igrejas têm e ainda manterão a higiene adequada nos edifícios e, portanto, apresentam um "risco imensamente menor de transmissão do que bares, restaurantes, academias, escritórios e escolas; e é mais importante do que todos".

Acrescenta que proibir o culto público nas igrejas causaria "sérios danos às nossas congregações, ao nosso serviço à nação e ao nosso dever como ministros cristãos".

A carta foi publicada na terça-feira (22), mesmo dia que Boris Johnson alertou que as novas restrições ao coronavírus poderiam durar seis meses, com funcionários trabalhando em casa, o uso mais amplo de máscaras faciais e um toque de recolher às 22h em bares e restaurantes.

Ele disse que as novas restrições poderiam continuar além do Natal e do Ano Novo "a menos que façamos um progresso palpável" no controle da propagação do vírus.

O primeiro-ministro também anunciou medidas de fiscalização mais duras, com empresas enfrentando multas ou fechamento por não cumprir as regras do coronavírus, e pessoas sendo multadas por não usar máscaras quando necessário ou violar a chamada "regra dos seis" (reunião em que são permitidas no máximo seis pessoas).

Famílias distantes

Regras mais rígidas já foram introduzidas na Escócia e na Irlanda do Norte, onde as famílias agora estão proibidas de se misturar.

O Rev. Levy disse ao Premier que o governo deve encontrar soluções para impedir a disseminação de Covid-19 que não impactem negativamente as igrejas como fez sua igreja há seis meses.

"Havia um grande alvoroço em estar online e como era bom, e isso durou cerca de duas semanas", disse ele

"Isso [o fechamento de igrejas] afetou nossa capacidade de cuidar uns dos outros, de encorajar uns aos outros na vida cristã. Algumas de nossas pessoas mais vulneráveis ​​não fomos capazes de ver, não fomos capazes de cuidar, os ministérios não puderam acontecer. Por isso, felizmente, a congregação trabalhou muito para fazer as coisas online. Mas há muitas pessoas que escaparam pela porta dos fundos. Isso tem sido realmente desanimador."

Íntegra da carta:

Para: O Primeiro-Ministro Boris Johnson, o Primeiro-Ministro Mark Drakeford, o Primeiro-Ministro Nicola Sturgeon, a Primeira-Ministra Arlene Foster e a Vice-Primeira-Ministra Michelle O'Neill

Caro Primeiro e Vice-Primeiro Ministro,

Como líderes religiosos das quatro nações do Reino Unido, estamos profundamente preocupados com o impacto da pandemia do Coronavirus na sociedade. Seguimos cuidadosamente as orientações do governo para restringir sua disseminação. Mas cada vez mais nossa preocupação está relacionada aos efeitos prejudiciais das restrições anti-Covid em muitos dos aspectos mais importantes da vida.

Nossa tarefa dada por Deus como ministros e líderes cristãos é apontar as pessoas a Jesus Cristo, que disse que veio para trazer 'vida em toda a sua plenitude'. Portanto, somos incomodados por políticas que priorizam a existência nua em detrimento daquilo que dá qualidade, significado e propósito à vida. Restrições cada vez mais severas estão tendo um poderoso efeito desumanizador na vida das pessoas, resultando em uma onda crescente de solidão, ansiedade e danos à saúde mental. Isso afeta particularmente os desfavorecidos e vulneráveis ​​em nossa sociedade, ao mesmo tempo que corrói liberdades preciosas para todos. Em nossas igrejas, muitos têm trabalhado incansavelmente para ajudar as pessoas mais afetadas.

Apoiamos inteiramente medidas proporcionais para proteger os mais vulneráveis ​​ao SARS-CoV-2. Mas questionamos se o governo do Reino Unido e as administrações delegadas têm o poder de eliminar esse vírus ou suprimi-lo por um período indefinido, enquanto aguardamos uma vacina. E não podemos apoiar tentativas para alcançá-los que, a nosso ver, causam mais danos às pessoas, famílias e sociedade - física e espiritualmente - do que o próprio vírus.

O culto público da igreja cristã é particularmente essencial para o bem-estar de nossa nação. Como vivemos à sombra de um vírus que não podemos controlar, as pessoas precisam urgentemente da oportunidade de ouvir e experimentar as boas novas e a esperança de Jesus Cristo, que tem nossas vidas em suas mãos. Os relacionamentos de apoio que as igrejas cultivam entre as pessoas são vitais e simplesmente não podem ser dispensados ​​novamente sem danos significativos. E, acima de tudo, sabemos que a reunião regular para adorar a Deus é essencial para que a vida humana seja vivida em plenitude.

Temos sido e continuaremos sendo muito cuidadosos em aplicar higiene rigorosa, distanciamento social e avaliação de risco apropriada em nossas igrejas. Como resultado, a adoração na igreja apresenta um risco muito menor de transmissão do que pubs, restaurantes, academias, escritórios e escolas; e é mais importante do que todos eles. Portanto, desejamos declarar categoricamente que não devemos ser solicitados a suspender o culto cristão novamente. Se o fizéssemos, isso causaria sérios danos às nossas congregações, ao nosso serviço à nação e ao nosso dever como ministros cristãos.

Portanto, conclamamos o Westminster e os governos delegados a encontrar maneiras de proteger aqueles que realmente são vulneráveis ​​à Covid-19, sem restrições desnecessárias e autoritárias a famílias amorosas, relacionamentos pessoais essenciais e a adoração da Igreja Cristã.

Fonte: Guiame

‘Covid-19 é oportunidade para pregar Evangelho no Paquistão’, mostram missionários

‘Covid-19 é oportunidade para pregar Evangelho no Paquistão’, mostram missionários

Na província de Sindh, no sul do Paquistão, uma equipe de evangelistas rurais percorre as aldeias compartilhando histórias da vida de Jesus. Eles costumam passar a noite contando parábolas de Jesus quando os trabalhadores terminam seu trabalho nos campos. A Covid-19 abriu oportunidades para esses evangelistas levar a mensagem do Evangelho na região.

Mesmo tendo expulsado os fazendeiros de seus campos, a pandemia não impediu os evangelistas de espalhar o Evangelho no local. Na verdade, os aldeões estavam com muito mais tempo disponível do que antes e ouviam de bom grado os pregadores visitantes.

Recentemente, 25 pessoas foram batizadas por meio desse trabalho e muitos mais acreditaram no Evangelho e aguardam a chance de serem batizados.

Fornecer a Bíblia onde não está disponível é uma das principais atividades ministerial do Pakistan Outreach. “Esses rapazes e moças deram suas vidas a Jesus e foram batizados hoje. Eles não possuíam uma Bíblia antes de hoje. Estamos fornecendo a eles uma Bíblia para que possam ler a Palavra e continuar a crescer na fé”, diz o grupo missionário.

No Punjab, fronteira com o Paquistão e coração da comunidade Sikh da Índia, há famílias que vivem e trabalham em olarias. Muitos são trabalhadores em regime de servidão, efetivamente escravos por dívidas ao proprietário da fábrica. Quando a Covid-19 chegou, o governo fechou as escolas do país, resultando em novas oportunidades para os missionários alcançarem as crianças que não estavam na sala de aula.

Em 25 dessas fábricas de tijolos, cerca de 450 crianças estão ouvindo o Evangelho, eles dizem. Em breve as escolas serão reabertas, mas espera-se que essas conexões sirvam de base para o estabelecimento de uma forma básica de educação em cada uma das fábricas. “Essas crianças também aprenderão habilidades que podem capacitá-las a escapar do ciclo de pobreza e servidão. E acima de tudo, eles vão ouvir Aquele que nos torna verdadeiramente livres: Jesus!”

Fonte: Guiame

“Há uma coroa especial para todos os que amam a vinda de Jesus”, diz Joel Engel

“Há uma coroa especial para todos os que amam a vinda de Jesus”, diz Joel Engel

Na tarde de domingo (2), no segundo dia da Escola Profética Unção de Elias, o pastor Joel Engel falou sobre os sinais da volta de Jesus. “Os sinais estão muito claros e precisamos deixar nosso filhos preparados”, alertou.

Com o tema da 9ª edição da Escola Profética, "O calcanhar do Messias", Engel esclarece que a geração do calcanhar é aquela que verá a volta de Jesus.

Ele lembra que neste domingo, onde celebra-se o fim do Rosh Hashaná, o última shofar da festa é tocado em Israel. Isso também tem relação com o último toque da trombeta, que antecede o arrebatamento dos santos.

“Os judeus estão aguardando a vinda do Messias e sabem que o cenário já está pronto”, observa.

O pastor ensina que o mundo não foi criado para a destruição, mas a serpente lançou uma semente maligna quando enganou Adão e Eva. Engel, no entanto, esclarece que a queda do homem não faz parte do plano perfeito de Deus.

Deus está no controle do sofrimento que acontece no mundo? Para responder a essa pergunta, o pastor explica que há a vontade permissiva e perfeita de Deus. “Existe a vontade permissiva de Deus, quando Ele permite que o homem siga seu próprio desejo, e a vontade perfeita de Deus, quando o homem decide obedecê-lo”, explica Engel. 

O pastor ainda esclarece que é possível compreender a consequência do pecado no mundo através de Gênesis. “Quando Deus deu autoridade para Adão cuidar da terra, o homem estava no comando, debaixo da ordem de Deus. Deus tem toda autoridade, mas entregou o comando a Adão”.

“Quando Adão ouviu a serpente, ele entregou o comando do mundo para Satanás. É por isso que a Bíblia diz que o mundo jaz no maligno”, acrescenta. “Você é responsável por tudo o que está sob o seu comando. Não faça algo errado dizendo que Deus está no comando, pois é você quem está no comando”.

Deus vai ficar de braços cruzados?

Diante da corrupção gerada pela serpente, surge a pergunta: até quando Deus vai ficar de braços cruzados? O pastor lembra que, nos últimos dias, Deus irá manifestar sua justiça sobre as nações e o calcanhar irá pisar na cabeça da serpente.

“A semente do homem se corrompeu, então Deus fez nascer alguém que iria pisar na cabeça do inimigo, e esse alguém é Jesus. Todo aquele que têm Jesus em seu coração, não é mais comandado pela serpente. Jesus trouxe de volta para o homem o comando dado pelo Senhor. O inimigo não vai tomar sua direção, a não ser que você quebre as regras de Deus”, afirma Engel.

Com a palavra de Romanos 16:20, Engel faz um lembrete: “Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês”.

Engel mostra que Deus deu a Adão o comando do jardim do Éden, onde ele recebeu “plenitude emocional, física, material e espiritual”, mas ele escolheu sair debaixo da autoridade de Deus. 

“Este é o princípio da quebra de autoridade. Por isso Deus não suporta a insubordinação. Esse foi o princípio de todos os demais pecados”, alerta.

“Quando o homem deixou o governo de Deus, ele passou a dirigir sua própria vida. Mas quando a pessoa aceita Jesus como Senhor, ela reconhece que precisa do governo de Deus”, afirma o pastor.

“Se eu estou debaixo da autoridade de Jesus, estou protegido das trevas. Mas todo aquele que não está em Jesus, está em trevas”, ressalta. “A Bíblia diz que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. O pagamento do pecado de Adão e Eva foi a morte, e desde então todos nascem condenados”.

Por isso, o pastor Joel Engel faz um convite: “Precisamos aceitar Jesus hoje, porque quando Ele vier, iremos governar com Ele”.

A agenda de Deus

O pastor fez um panorama do roteiro de Deus: “Jesus encarnou e foi crucificado para pagar o preço por nossa salvação. Ele ressuscitou como a primícia de Deus, subiu aos céus e derramou o Espírito Santo em Pentecostes. A partir disso, os apóstolos pregaram o Evangelho e a Igreja se espalhou pelo mundo”. 

“Nos últimos dias, o Anticristo fará uma aliança com muitos e teremos 7 anos de tribulação, sendo os últimos 3 anos e meio de grande tribulação. Jesus voltará sobre as nuvens, ressuscitará os mortos e irá julgar as nações. E então haverá um novo céu e uma nova terra”, acrescenta.

O pastor destaca que a vinda de Jesus “será pessoal, não um sinal”. “A pessoa de Jesus vai descer à terra. Sua vinda será notória e audível, a última trombeta será tocada e todos verão isso. Aqueles que creem em Jesus serão arrebatados e o Senhor voltará com grande poder”.

Ele também afirma que “há uma coroa especial para todos os que amam a Sua vinda” e que “o mundo todo está sendo preparado pelo Senhor para o grande dia”.

Os sinais da volta de Cristo

Jesus apontou os sinais que antecederiam a sua vinda, registrados especialmente em Mateus 24. Entre todos os sinais, Engel chama a atenção para este: “Como foi nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do homem” (Mateus 24:37).

“Noé andava com Deus e achou graça aos olhos do Senhor, mas a terra estava corrompida. Nestes dias, havia uma corrupção generalizada. Não é isso o que vemos hoje?”, questiona.

Engel aponta as características da geração contaminada pela serpente, lembrando que isso inclui crentes e descrentes:

“Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder” (2 Timóteo 3:1-5).

Engel observa que esta é a geração mais evoluída em termos de tecnologia, economia e conhecimento, mas é também “a geração mais apostatada”. Aqueles que estão em Jesus, porém, são parte da “geração que vai pisar na cabeça do inimigo”, ainda que a serpente esteja corrompendo os homens nestes dias.

“Quando você ouve a palavra de Deus e a cumpre, você está pisando na cabeça da serpente. Quando você faz o bem, você está pisando na cabeça da serpente. Quando você prega o Evangelho, você está pisando na cabeça da serpente”, destaca Joel Engel.

Fonte: Guiame

Pastor que agrediu esposa ao vivo se desculpa: "Peço perdão pela minha falha"

Pastor que agrediu esposa ao vivo se desculpa: "Peço perdão pela minha falha"

O pastor Edson Araújo, da igreja Deus é Amor, cediada em São Paulo, pediu perdão a esposa durante uma outra transmissão ao vivo. Nas imagens compartilhadas no site O Fuxico Gospel, além de aparecer ao lado da mulher identificada apenas como Débora, ele reconhece o erro e pede desculpas aos seus familiares, seu pastor e implora o perdão dos internautas.

"Eu tenho certeza que estou me expondo aqui juntamente com a minha esposa e eu tenho certeza que nós vamos dizer aqui, aleluia, aos nossos irmãos, a real situação que ocorreu", disse.

Ele continua explicando: "Ontem nós estávamos em cima do horário de fazer o culto, e nós não tínhamos uma posição correta do equipamento, então eu simplesmente me levantei e fui tentar arrumar, e ai acabou derrubando outro aparelho de celular que faz a transmissão de hinos", explicou. "Então, acabou destruindo aquele aparelho e caiu no chão. Eu fui ali de uma forma imprudente, de um forma incorreta que não poderia agir daquela conduta e da forma que eu agi, eu direcionei uma palavra, nunca tivemos nenhum tipo de problema. Quatro anos que nós convivemos, estamos juntos e abraçando a obra do Senhor e por um momento, verdadeiramente pela minha falha, eu assumo publicamente o meu errro e ter direcionado uma palavra incorreta e imprudente. E uma atitude que não é cabível a minha pessoa e a minha índole", ressaltou.

"Eu quero aqui, de antemão, primeiro a Deus, eu quero pedir o meu perdão publicamente e perdão a minha esposa Débora, pela minha atitude, erro e falha. Quero pedir perdão para o meu pastor, Elias e a minha família e a dela e a todos os pastores que confiaram e permaneceram confiantes no meu trabalho".

Na última sexta-feira, 19, um vídeo com o trecho de uma transmissão ao vivo de um pastor vem causou revolta nas redes sociais. Sem saber que já estava ao vivo, o pastor Edson Araújo, se levanta, dá um tapa em algo e xinga a mulher que o está auxiliando.

Fonte: Marie Claire

“Precisamos nos parecer mais com Jesus”, diz pastor sobre preparação para volta de Cristo

“Precisamos nos parecer mais com Jesus”, diz pastor sobre preparação para volta de Cristo

Em sua participação no evento Sinais dos tempos, realizado pela YAH Church, liderada pelo Pr. Lamartine Posella em São Paulo, o Pr. Antônio Júnior ministrou sobre "Como se preparar para a volta de Jesus". Ele fez um breve relato sobre o cenário dos tempos finais, conforme descritos na Bíblia.

“A conclusão que a gente tem que chegar é que ao mesmo tempo em que o mal vai crescer os filhos de Deus também vão crescer na ousadia, na santidade e vão assumir o chamado de Deus. Vai haver essa disputa”, disse.

O pastor disse que precisamos ter essa expectativa entendendo que Deus vai avivar o seu povo. “Quem está sujo vai se sujar mais, quem está com Deus vai ficar mais crente ainda, mais firme com o Senhor”, disse.

Ele afirma que as pessoas vão perceber a diferença entre quem serve a Deus e quem não o serve. “É só você ver na internet, na TV, os escândalos no meio cristão. É vergonhoso o que está acontecendo, mas ao mesmo tempo é o cumprimento da palavra. Vai chegar um tempo em que as coisas erradas, as escondidas, virão à tona”, afirmou.

O pastor disse que estas situações prenunciam um avivamento aqui, assim como já tem acontecido em tantos lugares onde não havia nada do Evangelho, mas ao mesmo tempo vai vir uma perseguição. “O bem e o mal estarão juntos até o fim”, disse, lembrando a parábola do Joio e do Trigo contada por Jesus.

“Não podemos nos iludir, o mal vai crescer e principalmente contra aqueles que não se submetem às coisas do mundo. Aqueles que querem andar com Deus, mas o Senhor é por nós até o fim”, afirmou.

Antônio Júnior disse que os cristãos precisam perguntar para Deus “O que o Senhor espera de mim? Como eu posso estar preparado para o que está por vir?”.

Conselhos bíblicos

Para que as pessoas entendessem como se preparar para esses dias, o pastor fez um panorama da Bíblia começando em Gênesis Capítulo 1:26,27, onde Deus declara que fez o homem com o propósito de ser Sua imagem e semelhança.

“O propósito de Deus para sua vida está nesses dois versículos. O propósito de Deus é que a gente seja a sua imagem e a sua semelhança. Não que a gente vai ser Deus. Nós não somos Deus, e muito menos semideuses. Deus é infinitamente maior do que nós, Deus é muito mais complexo e nós só existimos por causa Dele”, disse.

Ele explicou que “somos parecidos com Deus porque temos a capacidade de pensar, de raciocinar diferente de um animal que age por instinto, temos a capacidade de escolher aquilo que a gente quer para nossa vida, podemos ter sentimentos de amor, tristeza, alegria, assim como Deus. Temos também a capacidade de criar e de governar”.

Ele disse que Jesus veio restaurar esse propósito após Adão e Eva terem desobedecido a Deus e pecado. O pastor disse que esse fato não fez com que o homem deixasse de ser imagem e semelhança de Deus, mostrando essa condição descrita em Gênesis 9:6 e em Tiago 3:9,10.

Por Jesus ser a imagem perfeita de Deus, o pastor disse que aquele que diz que estar com Ele deve andar como Ele andou. Jesus enviou o Espírito Santo sobre os apóstolos e começou a igreja com os milagres, o avivamento e a perseguição. Por causa do Espírito Santo as pessoas puderam se santificar e esse deve ser o comportamento dos cristãos.

“Você tem que deixar Jesus entrar em sua vida e depois que o Espírito Santo governe a sua história”, avisou. “Perdoar, não guardar mágoas, não ter inveja, ciúmes e outras coisas. Ser um com Jesus. Demonstrar amor e ter o coração e santidade parecidos com Ele para fazer parte daqueles que vão se encontrar com o Noivo”, disse.

“Nós precisamos nos aprontar, ficarmos preparados para nos encontrarmos com o Senhor Jesus estando mais parecidos com Jesus”, disse.

Fonte: Guiame

Pastor fala sobre a importância do Rosh Hashaná: “Essa festa não é judaica, é bíblica”

Pastor fala sobre a importância do Rosh Hashaná: “Essa festa não é judaica, é bíblica”

O Rosh Hashaná, que começa no entardecer desta sexta-feira (18) e vai até o pôr do sol de domingo (20), celebra o primeiro dia do ano novo judaico. Embora seja uma festa do calendário hebraico, o pastor Joel Engel esclarece que a celebração marca toda a humanidade.

“Essa festa não é judaica, ela é bíblica”, disse Engel em culto transmitido na última terça-feira (15). “Muito antes de existirem os judeus, já existia a festa do ano novo bíblico, que comemora o aniversário do mundo”.

O Rosh Hashaná é considerado o aniversário do mundo, já que celebra o dia em que Deus criou Adão e Eva. É também o momento em que o homem passa pelo julgamento divido, em que Deus determina o futuro de cada pessoa.

“Deus determina no livro da vida quem irá morrer ou viver”, destaca Engel. “Quem vai decidir se você vive ou morre não é o coronavírus, é Deus. Deus é soberano, Ele decide”.

Nesta sexta-feira, inicia-se o ano 5781 do calendário judaico, o que significa que faltam apenas 219 anos para o ano 6000. 

“É por isso que dizemos que estamos no fim dos tempos, mas isso não quer dizer que é o final de tudo. Quando findar o contrato que Deus tem o homem, o filho de Deus virá sobre as nuvens para governar a Terra por mil anos com paz e prosperidade, em todos os sentidos”, explica o pastor.

A expressão “Shaná Tová Umetuká!”, que deseja “Um ano bom e doce!”, também tem um significado especial, bem como a maçã e o mel, que são consumidos na data. “Estamos profetizando que Deus vai nos dar um ano bom e doce, com bons frutos da terra”, ensina Engel.

Futuro determinado por Deus

Outro costume durante o Rosh Hashaná em Israel é o toque da trombeta por cem vezes. “O shofar é o chamado de Deus para todos os moradores da Terra se arrependerem. No momento em que o shofar é tocado, o trono de Deus desce e Ele se assenta em Jerusalém”, observa o pastor.

Engel também lembra que, durante estes três dias, o futuro de cada pessoa é determinado por Deus. “É um julgamento anual. Cada morador passa pela presença de Deus, e Deus vai definir o que vai acontecer em sua vida no próximo ano”, afirma.

Por isso, o pastor convida todos os cristãos a fazerem parte dessa celebração. “Esta é a hora de apresentarmos nossos pedidos para o ano”, ensina.

“Imagine você chegar na presença de Deus e Ele decidir o seu futuro. Se você vai conseguir aquele emprego, passar naquela prova, fazer aquela viagem. Então você precisa estar presente”, destaca. “Primeiramente, adore a Deus e então apresente a Ele os seus decretos. E quando Ele bater o martelo, você estará junto”.

Também é importante haver um “ato profético de paz” na família, orienta o pastor. “Você precisa se acertar com todos que estão próximos, é uma paz horizontal”, explica.

“O perdão tem tudo a ver com os seus pedidos para o próximo ano. Você precisa perdoar para que você seja abençoado e seus decretos sejam aprovados. Você também precisa pedir perdão a Deus nesse dia, e para receber perdão, é preciso perdoar”, continua.

Durante o Rosh Hashaná, o pastor Joel Engel convida todos a participarem da Escola Profética 2020. O evento será transmitido online neste fim de semana, entre 19 e 20 de setembro.

Fonte: Guiame

Bolsonaro almoça com pastores e reitera apoio a isenção de impostos para Igrejas

Bolsonaro almoça com pastores e reitera apoio a isenção de impostos para Igrejas

Depois de vetar dispositivo que anulava dívidas de igrejas com a Receita Federal, em renúncia que se aproximaria de R$ 1 bilhão, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reuniu líderes e parlamentares evangélicos em um almoço no Palácio do Planalto na quarta-feira (16).

A intenção foi apaziguar os ânimos e não perder o apoio da bancada evangélica, que reúne 195 dos 513 deputados e 8 dos 81 senadores.

Além de congressistas e ministros, participaram do encontro o bispo JB Carvalho, da Comunidade das Nações, o apóstolo Estevam Hernandes e a bispa Sônia Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo.

De acordo com deputados que participaram do evento, o almoço não era exclusivo para integrantes da bancada evangélica, mas se tratava de um dos encontros que o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) tem promovido frequentemente no Planalto, a pedido de Bolsonaro, para tentar aproximá-lo de sua base aliada.

“Não tinha uma pauta, não tinha uma agenda”, disse o deputado João Campos (Republicanos-GO) ao deixar o almoço.

Segundo o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), a única fala de Bolsonaro sobre o assunto foi logo após a oração feita pelo bispo JB Carvalho, que precedeu o almoço.

O deputado afirma que Bolsonaro apenas reiterou a nota que divulgou na noite de domingo, alegando que, tecnicamente, não podia sancionar a emenda que atendia ao pleito dos evangélicos, mas que defende a derrubada do veto.

De acordo com Sóstenes, o presidente ainda disse que espera dos parlamentares a revisão do seu próprio ato.

“Por ele [Bolsonaro], sancionaria, mas teve a recomendação técnica para vetar parcialmente”, disse o deputado.

O dispositivo vetado por Bolsonaro na sexta-feira (11) foi inserido em um projeto sobre litígios com a União por emenda apresentada pelo deputado federal David Soares (DEM-SP). Ele é filho de R.R. Soares, pastor fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, uma das principais devedoras.

O texto, aprovado pela Câmara em julho e pelo Senado, em agosto, altera a lei de 1988 que instituiu a CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido).

O dispositivo vetado por Bolsonaro excluía templos de qualquer denominação religiosa da lista de pessoas jurídicas sobre as quais a contribuição incidia e anulava as autuações da Receita que descumprissem a premissa.

Ao vetar o item, Bolsonaro argumentou que buscava evitar incorrer em crime de responsabilidade, o que poderia embasar um processo de impeachment.

Em uma tentativa de não desagradar o segmento religioso, um dos pilares de sustentação de seu governo, o presidente defendeu a derrubada do veto pelo Congresso e anunciou que enviará uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) para atender à demanda do grupo.

Eles, no entanto, dizem desprezar a iniciativa do governo.

“Esta não é uma ideia nossa”, disse Campos. “Não temos nenhum interesse nisso”, disse Cavalcante. “Temos agora que fazer o trabalho legislativo, derrubar o veto. Não tem outra alternativa. Preferíamos que o cenário fosse outro. Mas ele, assim como eu, não é advogado tributarista, ouve a assessoria. Resta-nos fazer nosso trabalho”, afirmou o deputado do DEM.

Fonte: O Tempo

Max Lucado fala sobre abuso que sofreu na infância: "Jesus esteve presente na tempestade"

Max Lucado fala sobre abuso que sofreu na infância: "Jesus esteve presente na tempestade"

O pastor e escritor Max Lucado contou alguns detalhes do abuso sexual que sofreu na infância em uma coluna publicada no domingo (13) no jornal The Dallas Morning News.

“Eu tinha idade para jogar beisebol, futebol americano e andar de bicicleta, mas não para processar o que cruzou meu caminho naquele ano: o abuso sexual nas mãos de um homem adulto”, disse Lucado.

Lucado revelou que o abusador entrou em sua vida “disfarçado de mentor”, depois de fazer amizade com várias famílias na pequena cidade de Andrews, no Texas. “Me lembro dele como alguém engraçado, charmoso e generoso. O que eu não sabia — o que ninguém sabia — é que ele era um predador”, conta.

O autor revelou que o abusador usava diversos meios para atrair as crianças: “Ele nos chamava para comer hambúrguer na casa dele. Ele nos levava para passear no caminhão dele. Ele nos levou para caçar e fazer caminhadas, e se ofereceu para responder a todas as perguntas sobre a vida, o amor e as meninas. Ele tinha revistas, do tipo que o meu pai não permitia. E ele fazia, e fez a gente fazer coisas que não vou repetir e não consigo esquecer”.

O fim de semana em um acampamento foi “especialmente perverso”, lembra Lucado. “Ele colocou cinco de nós em uma picape e dirigiu até a área de camping. Entre seu pacote de barracas e sacos de dormir, havia algumas garrafas de uísque. Ele bebeu durante todo o fim de semana e foi até a tenda de cada menino. Ele disse para não contarmos a nossos pais, sugerindo que éramos os culpados por seu comportamento. Ao nos fazer jurar segredo, ele disse que estava nos impedindo de ter problemas. Que canalha”.

Lucado lembra que voltou para casa no domingo à tarde se sentindo “imundo e cheio de vergonha”. Por causa do acampamento, ele tinha perdido o culto de ceia na igreja naquela manhã. “Se alguma vez precisei da comunhão, foi naquele dia. Então, encenei minha própria Eucaristia”, relata.

“Esperei meus pais irem para a cama e fui para a cozinha. Não consegui encontrar nenhum biscoito, mas encontrei algumas batatas do almoço de domingo. Não consegui encontrar nenhum suco, então usei leite. Coloquei as batatas em um pires e despejei o leite em um copo e celebrei a Crucificação de Cristo e a redenção da minha alma”, continua.

Foi neste momento que ele foi tocado pelo consolo de Deus. “O que faltou no sacramento foi compensado com ternura. Jesus me encontrou naquele momento. Eu o senti seu amor, sua presença. Não me pergunte como eu sabia que Ele estava perto. Eu apenas sabia. Jesus estava presente na minha tempestade”, afirma.

“Não podemos ir aonde Deus não está. Olhe por cima do seu ombro, é Deus te seguindo. Olhe para a tempestade, é Cristo vindo em sua direção. Ele ainda é o grande Eu Sou. Quando nos vemos no meio das águas da Galiléia, sem a praia à vista, Ele vem até nós”, finalizou.

Fonte: Guiame

Pastores indicam juiz evangélico a Bolsonaro para ocupar vaga no STF

Pastores indicam juiz evangélico a Bolsonaro para ocupar vaga no STF

Em breve, um dos maiores sucessos da carreira de Ludmila Ferber, “Ouço Deus Me Chamar”, ganhará uma nova versão com participação de amigos da pastora.

Em julho de 2019, o presidente Jair Bolsonaro prometeu ao participar de um culto realizado pela bancada evangélica na Câmara dos Deputados que escolheria para o Supremo Tribunal Federal (STF) o nome de um evangélico. Com proximidade da aposentadoria do ministro Celso de Mello — que deve ocorrer em menos de dois meses — a vaga se abre e pastores de diversas denominações estão se mobilizando para indicar o nome para cumprimento da promessa do presidente.

Trata-se do juiz federal William Douglas Resinente dos Santos, que atualmente é titular da 4ª Vara Federal em Niterói (RJ). O magistrado já foi delegado de polícia e defensor público no Rio de Janeiro. Além de sua atuação jurídica, William também exerce o ministério pastoral (auxiliar) na Igreja Batista e prega com frequência em outras diversas denominações evangélicas.

O nome foi recomendado por um grupo de pastores de denominações, como Assembleia de Deus, Igreja Batista, Igreja Fonte da Vida, Igreja Quadrangular, M12 e Igreja da Graça, representados pelo presidente Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil, pastor Silas Malafaia e o apóstolo César Augusto em uma reunião com o presidente no Palácio do Planalto, no dia 2 de setembro.

Apesar da indicação dos pastores, outros nomes têm sido indicados por membros da bancada evangélica a Bolsonaro como boas opções para ocupar a vaga no STF. Um desses nomes é o do atual ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça.

Reabertura de igrejas na pandemia

Em julho deste ano (2020), o juiz William Douglas parecia alinhar seu discurso sobre a pandemia ao do presidente Jair Bolsonaro e defendeu a reabertura dos templos, anteriormente fechados em razão das medidas de quarentena.

Em uma pregação na Assembleia de Deus, no bairro de Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, o juiz explicou que apesar de igreja nunca se fechar, porque o Corpo de Cristo é formado pelo Seu povo, a comunhão e o ato de congregar também são importantes.

“E quando eu falo em fechar a igreja, eu falo sobre o templo, porque é o que eles conseguem fechar. Porque a Igreja somos nós, onde estivermos. Mesmo trancados dentro de casa, nós somos a Igreja. Então a Igreja nunca fecha”, disse.

“Mas o templo, que é onde nos reunimos, é um lugar protegido pelos Direitos Humanos e pela Constituição, é atividade essencial, não pode ser fechado por ninguém. Isso é um direito civil. Eu não estou falando de religião, eu estou falando de direito constitucional. Temos o direito de nos reunir, está na Constituição, e temos que conhecer os nossos direitos”, explicou.

Fonte: Guiame

André Valadão gera polêmica dizendo ‘igreja não é para gays’

André Valadão gera polêmica dizendo 'igreja não é para gays'

Ao responder a pergunta de um seguidor nas redes sociais, o cantor e pastor da Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte e cantor gospel André Valadão afirmou que “Igreja não é lugar para gays”.

A publicação foi feita na terça-feira (8) e desde então, vem gerando polêmica e revolta. O assunto ficou entre os mais comentados no Brasil em uma rede social na quinta-feira (10).
Valadão, que é pastor sênior e fundador da Lagoinha Orlando Church, na Flórida, nos Estados Unidos, desde 2017, se posicionou ao responder à pergunta de um seguidor. “Dois rapazes que são membros da igreja estão namorando. Você os expulsa?”, questionou o rapaz.

“Entendi. São gays. A igreja tem um princípio bíblico. E a prática homossexual é considerada pecado. Eles podem ir para um clube gay ou coisa assim. Mas, na igreja, não dá. Esta prática não condiz com a vida da igreja. Tem muitos lugares que gays podem viver sem qualquer forma de constrangimento. Mas na igreja é um lugar para quem quer viver princípios bíblicos. Não é sobre expulsar. É sobre entender o lugar de cada um”, disse o pastor.

A postagem foi apagada pouco depois da publicação, mas não adiantou, ela já havia sido printada e se espalhou pelas redes sociais acompanhada de comentários críticos ao André Valadão. Veja alguns abaixo.

André Valadão dando show de preconceito sendo que o culto dele na lagoinha era o caldeirão das gay…………. enfim a hipocrisia” (Clara Tannure @clarasereiando)

“Na igreja do André Valadão não pode gay, mas pode Everaldo, Crivella, Malafaia, Flordelis, Macedo, Witzel, Flávio Bolsonaro, Feliciano… a nata dos princípios princípios bíblicos” (Ale Santos)

“A igreja é 1 lugar para quem quer viver princípios bíblicos.” André Valadão, afirmando que “gays não devem frequentar igreja”. Não posso marcá-lo no post pq sou bloqueado pelo pequeno fariseu” (Sergio Pavarini)

“Igreja é lugar para pecadores. O convite foi feito pelo seu dono: “Se alguém tem sede, venha a mim, e beba”. Cristo expulsou do templo, a chicotadas, os que mercantilizavam a fé. André Valadão é aquele que criou até cartão de crédito para cristãos.” (Andrade)

“Evangelho de Cristo: ide e pregai o evangelho a toda criatura
André Valadão: igrejas não são para gays” (luanvramos)

Fonte: Folha Gospel com informações de G1, Estado de Minas e Twitter

Igreja está ‘devastada’ após autoproclamado profeta matar esposa, nos EUA

Igreja está 'devastada' após autoproclamado profeta matar esposa, nos EUA

Uma igreja da Flórida é “devastada” depois que seu pastor, que também se autodenomina um profeta com milhares de seguidores, foi acusado de atirar contra a sua própria esposa do lado de fora de seu trabalho, a cooperativa de crédito Navy Federal Credit Union, apenas dois dias antes de seu quinto aniversário de casamento, na terça-feira, 8.

Sylvester Ofori, 35, fundador e líder dos Ministérios Internacionais Floodgates of Heaven foi acusado de assassinato em primeiro grau por atirar na sua esposa, Barbara Tommey.

Tommey, 27, “foi baleada perto da porta da frente da empresa por seu marido, Sylvester Ofori”, disse a polícia de Orlando em um breve comunicado na terça à noite.

Ela foi levada às pressas para o Orlando Regional Medical Center, onde morreu, disse a polícia de Orlando.

“Estamos todos devastados. Não tenho palavras. Estou simplesmente arrasado ”, disse um representante da igreja.

A representante disse que embora sua igreja não tenha se reunido para os cultos pessoais durante a pandemia do coronavírus, ela “não viu nenhum sinal de que havia problemas” no casamento do pastor.

“Estou sem palavras agora. Não consigo nem pensar nisso ”, disse ela, lembrando-se da esposa do pastor como“ uma pessoa muito bonita, por dentro e por fora ”.

Ofori está detido na Cadeia de Orange County sem fiança.

A polícia disse que “os detetives trabalharam incansavelmente ao longo do dia para alcançar o seguinte resultado neste caso”.

Eles também disseram que os policiais conseguiram um mandado e revistaram o apartamento do casal, onde Ofori foi levado sob custódia. Detalhes adicionais não foram divulgados.

Ofori e seu ministério têm uma ampla presença nas redes sociais. A página do Facebook dos Ministérios Floodgates of Heaven International tem 5.552 seguidores. Sua página possui 61.756 seguidores.

A página descreve Ofori como profeta e palestrante motivacional.

“Eu realmente acredito que cada pessoa tem que passar por algo que absolutamente a destrói para que ela possa descobrir quem ela realmente é”, diz um post de 23 de agosto em sua página.

Em uma audiência ao tribunal na quarta-feira, os promotores disseram a um juiz que a morte de Tommey foi registrada por câmera de segurança.

“A câmera de segurança mostra que o Sr. Ofori não apenas atirou em sua esposa, mas depois ficou sobre o corpo dela e atirou mais vezes em sua cabeça”, observou um promotor no tribunal.

Ainda não está claro o que levou ao assassinato de Tommey, mas as autoridades disseram que o casal que se casou em 2015, estava se divorciando. Ofori foi preso em 2016 por resistir à prisão depois que um policial interferiu em uma discussão entre os dois.

Um dia antes do assassinato, Ofori também postou uma mensagem enigmática no Facebook sobre o lado “extremo” de “amar pessoas”.

“Uma coisa que as pessoas precisam entender sobre pessoas extremamente gentis, legais e amorosas é que o outro lado delas é tão EXTREMO”, escreveu ele.

O detetive Matthew Rogers disse ao Orlando Sentinel que o casal vivia separado há meses, porém, mais detalhes sobre seu relacionamento ainda estão sendo investigados.

Em seu site , a Floodgates of Heaven International Ministries descreve Ofori, que nasceu em Accra, Gana, como “um poderoso profeta do Deus Altíssimo conhecido internacionalmente”.

“O Profeta Ofori aceitou a comissão soberana de Deus para sua vida desde muito jovem. Ele atribui seu zelo por Deus a seus pais, que instilaram o temor do Senhor no coração de todos os cinco filhos. Ele e seus três irmãos são muito procurados por oradores de cruzadas e avivamento ”, disse a igreja, citando seus extensos dons espirituais.

“Pelo terrível poder do Senhor operando por meio dele, os enfermos são curados, os endemoninhados são libertados, os esquemas de feitiçaria são expostos e anulados, os coxos andam, os cegos vêem e os quebrantados são curados; estes são alguns dos muitos milagres que se manifestam repetidamente ao longo deste ministério ”, disse a igreja.

Fonte: Folha Gospel com informações de The Christian Post