Recent post

Francis Chan sobre falta de unidade: “Estamos cada vez mais longe do que Deus deseja”

Francis Chan sobre falta de unidade: “Estamos cada vez mais longe do que Deus deseja”

O pastor Francis Chan fez um alerta à falta de unidade das igrejas, enfatizando que o poder e o testemunho dos cristãos dependem da comunhão com Deus e com o Corpo de Cristo. 

“Neste momento, há muito barulho, muita informação e muito entretenimento. Estamos tão entorpecidos, nossas mentes estão tão confusas. E na Igreja Cristã, nós nos tornamos cada vez mais ocupados”, disse Chan em entrevista ao pastor americano Todd Wilson na quinta-feira (8).

“Tentamos gritar cada vez mais alto e ser mais criativos com o barulho. Eu evito muito disso só porque estou tentando ser sóbrio e autocontrolado para poder orar, porque acredito que o fim está próximo”, continuou.

Chan, que recentemente retornou aos Estados Unidos depois de passar um ano plantando igrejas em Hong Kong, disse que ficou chocado com a polarização em seu país no ano passado.

“Não sei se é a pandemia ou por ter saído da América, mas você volta e percebe: ‘Uau, todo indivíduo tem uma opinião superestimada e uma superconfiança de si mesmo; e eles estão certos e você está errado sobre tudo’”, Chan refletiu. “Temos uma enxurrada avassaladora de opiniões aqui no Ocidente, que você quase não percebe até sair [para o outro lado do mundo]”.

Chan, que autor do livro Until Unity (“Até a Unidade”, em tradução livre), acredita que as divisões têm se tornado muito mais fortes, dentro e fora do Corpo de Cristo.

“Quando eu olho para as Escrituras, vejo o quanto Deus deseja unidade. É por isso que Cristo morreu na cruz; para tornar os dois em um. Efésios 4 diz que entristecemos o Espírito de Deus por nossa desunião”, disse. “Eu comecei a ver a Igreja ficando cada vez pior, e a maneira como as pessoas se agridem. Estamos cada vez mais longe do que Deus deseja.”

Lágrimas pela unidade

Chan também enfatizou o poder do silêncio, citando Êxodo 14:14, que diz: “O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis” e Provérbios 10:19: “No muito falar não falta transgressão”.

“Com todo o confronto, nós temos pressão para falar muito — não sabemos como estar juntos, silenciosamente, no temor do Deus Todo-Poderoso. Se fizéssemos isso, estaríamos de joelhos, em lágrimas”, disse ele. “Mas quantas pessoas acordam de manhã e têm esse temor reverente?”

O pastor acredita que os cristãos têm perdido seu tempo em discussões e divisões porque não têm investido tempo em sua comunhão com Deus, para encontrar Nele o verdadeiro lugar de unidade.

“A razão pela qual brigamos e pela qual temos tanta certeza de nossas opiniões... É que não entramos na presença de Deus”, observou. “Todas essas coisas horizontais acontecem porque nós não estamos verdadeiramente, de todo o coração, alma e mente, amando ao Senhor e entrando em Sua presença”.

Chan revela que já chegou a cometer esse erro, quando criticou líderes de diferentes denominações e crenças teológicas — que hoje ele reconhece que também têm o Espírito Santo. “Eu realmente acreditava que estava agindo em nome de Jesus”, ele lembra. 

O pastor teme que muitos cristãos estejam se tornando o que diz 2 Timóteo 3:7, que “estão sempre aprendendo e nunca conseguem chegar ao conhecimento da verdade”.

“Não quero ser um daqueles que estão sempre adquirindo informações, mas não as conhecendo”, disse ele. “Eu me preocupo com as pessoas que cresceram no mesmo tipo de fé evangélica que eu cresci, mas que estão ocupadas. Não temos tempo para meditar e conhecer essas verdades. Se fizéssemos isso, não seríamos tão rápidos em falar.”

Por fim, ele aconselhou: “Fique a sós com o Senhor. O deixe se revelar a você”, afirmou. “Precisamos voltar a colocar as pessoas na presença de Deus”.

Fonte: Guiame

Claudio Duarte: “Primeiro Deus mostra o propósito e depois envia os recursos”

Claudio Duarte: “Primeiro Deus mostra o propósito e depois envia os recursos”

Durante uma de suas pregações, o pastor Claudio Duarte diz que o propósito de Deus na vida das pessoas sempre chega antes do recurso para colocá-lo em prática. Ele compartilha sobre uma profecia recebida, há anos, de que seria pastor em Xerém, no Rio de Janeiro.

“Naquele tempo eu era pastor de uma igreja pequena na Barra da Tijuca. Mas, comecei a investigar, me senti atraído pelo lugar, as portas foram se abrindo e as coisas foram acontecendo ”, conta. 

O pastor preparou um local para 300 pessoas, mesmo sem ter nenhum membro ainda e nem recursos. “Construí uma igreja sem dízimos, ofertas ou investimentos. O lugar era pequeno, mas eu recebi outra palavra de que no dia da inauguração a igreja ficaria cheia.”, compartilhou.

“O propósito vem bem antes dos recursos”

Duarte acredita que primeiro Deus dá a visão e o propósito e depois envia os recursos. “É melhor trabalhar para ter, pois com Deus é assim”, disse. A pequena igreja teve três inaugurações. “Na primeira inauguração já acabou a luz e percebemos que precisávamos de um gerador”, lembra.

Em apenas sete cultos, houve vários contratempos, entre eles, os vizinhos que reclamavam de carros estacionados em frente às suas casas e a energia que sempre faltava. “Mas aquilo era minha paixão”, afirmou.

Apesar de não ter dinheiro para muitas providências na igreja, como as caixas de som, Deus foi providenciando todas as coisas. “Quando tem propósito tem recursos. Nós temos que ter essa visão e devemos entender que Deus faz tudo do jeito que Ele quer”, prosseguiu.

“Acredite que tudo pode acontecer”

Segundo o pastor, seguir o propósito de Deus é algo simples. “Basta você fazer o que deve fazer, e ser quem você é. E crie um ambiente para transformar a vida das pessoas”, aconselhou.

Além disso, sobre a manifestação de Deus, o pastor explica que acontece quando obedecemos. “Deus age de várias maneiras e se manifesta de várias formas”, alertou e disse que, nem sempre o resultado é um sinal de que estamos aprovados para fazer. “Fique de olho nisso e tenha sensibilidade no espírito”, apontou.

O pastor conclui dizendo que tudo pode acontecer na vida das pessoas quando pregamos Jesus num ambiente profético. “Diga que vidas estão se convertendo, que o mundo está mudando e que a glória de Deus vai se manifestar”, finalizou.

Fonte: Guiame

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira

Em seu artigo mais recente, publicado ontem (12) pelo jornal Gazeta do Povo, o colunista Franklin Ferreira, que também é pastor e professor de teologia, alerta para a forma como a Igreja tem sido tratada em tempos de pandemia. 

No Brasil, segundo ele, Igreja e Estado sempre se relacionaram de forma saudável, ao que chama de “laicidade colaborativa”.

Essa colaboração, no entanto, parece não estar funcionando tão bem durante o período que exige restrições para o combate da Covid-19. “Do ponto de vista jurídico, o fechamento de igrejas é inconstitucional, pois a liberdade religiosa é assegurada pela Constituição”, defendeu.

Para o pastor, o Supremo Tribunal Federal (STF), não respeitou esse princípio fundamental de liberdade religiosa e de culto, e resolveu relativizar um artigo que é cláusula pétrea da Constituição Federal.

A Igreja em tempos de pandemia

Judicialmente, ficou decidido que o Estado pode, em razão da pandemia de Covid-19, restringir o culto — mas nunca proibi-lo. “Deve haver limites às limitações. Proibir a liberdade de culto é a negação da preservação do conteúdo e do núcleo essencial da primeira das liberdades”, comentou.

Franklin destacou que “a pandemia não pode ser elevada à categoria de poder constituinte originário” e citou a luta de líderes cristãos para garantir que eventos religiosos sejam classificados como um tipo de serviço essencial em nosso país. 

Ao apontar para alguns conceitos sobre o que realmente é a igreja, o pastor alerta para alguns perigos atuais. Se as pessoas somente falarem que “a igreja somos nós” e que é possível ser crente sozinho, corremos o risco de perder a liberdade de culto sob determinadas circunstâncias. 

“Esquecem ou ignoram que, de acordo com a Escritura Sagrada, a igreja, que faz parte do Reino de Deus, é o conjunto de fiéis a Cristo reunidos, chamados de: santuário de Deus, povo de Deus, templo do Espírito Santo, eleitos de Deus e corpo de Cristo”, lembrou.

Ele resume o assunto dizendo que “a comunhão com o Senhor também é a comunhão com os irmãos”. Citando os reformadores, Franklin reforça que “a igreja cristã é definida como a comunidade de fiéis que se unem para ouvir a Palavra e receber os Sacramentos, e estas são as marcas características da verdadeira igreja”, disse.

“A crise de saúde que passamos, e que deveria ser encarada como um tempo de deserto e lamento, obrigou muitas igrejas a se reconfigurar", apontou e lamentou a falta de reflexão bíblica sobre o que é, de fato, igreja, comunhão, pregação e culto.

Conflitos entre Igreja e Estado

“Diversas igrejas no país têm contribuído para amenizar o sofrimento das pessoas por meio do fornecimento de cestas básicas, itens de higiene, roupas, pagamento de contas e cuidado pastoral”, lembrou. 

“Parece que o governador de São Paulo não levou isso em conta. Antes, João Doria transformou as igrejas em um problema a ser resolvido com uma ordem, mandando fechá-las”, disparou citando um dos estados onde a Igreja enfrenta essa crise. “Na organização da sociedade brasileira, o Estado pode esperar não apenas que a igreja coopere para o bem comum, como também pode chamá-la como parceira para tal”, continuou.

O pastor lembra que, ao mesmo tempo em que as igrejas devem permanecer fechadas, foi permitido o retorno dos jogos de futebol no estado de São Paulo. “Estranhas prioridades governamentais, para uma população que enfrenta o ‘vale da sombra da morte’”, ressaltou.

“Os cristãos, na verdade, são tratados como crianças inconsequentes, que precisam ter sua liberdade de culto suspensa por serem crianças desobedientes e imprudentes. E, assim, o STF entregou todos os cristãos do país ao arbítrio de governadores e prefeitos, abrindo sinistro precedente para a fé cristã no país”, denunciou.

Ele observa que, durante o julgamento, o que se viu foram os ministros do STF definindo o que é a fé cristã e os limites do exercício religioso nesta pandemia. “Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG. Portanto, o que agora está em jogo é se a igreja cristã tem poder para definir sua prática de fé, mesmo na pandemia, ou se o Estado tem o direito de definir pelos cristãos como as igrejas devem proceder”, concluiu.

Fonte: Guiame

Pastor é assassinado após residência ser invadida por assaltantes

Pastor é assassinado após residência ser invadida por assaltantes

Manaus – Um pastor identificado como Raimundo de Araújo Costa, de 62 anos, foi assassinado após sua casa, situada na Estrada Transacreana, Rodovia AC-90 no km 70, Zona rural de Rio Branco. O fato aconteceu na sexta-feira (09).

De acordo com a polícia, os suspeitos do homicídio teriam praticado um arrastão e roubado diversos moradores na rodovia.

O pastor estava do lado de fora da casa e foi baleado. Ao perceber a ação dos bandidos, um dos filhos do colono fugiu para a mata e a mãe e a mulher dele ficaram trancadas dentro de casa.

“Não levaram nada [bandidos], mas não sei bem como foi tudo. Na casa estavam meu irmão, que conseguiu fugir, minha mãe, que ficou presa dentro de casa, minha cunhada, meu sobrinho e quatro vizinhos. Mas, não consegui conversar com ninguém depois do que ocorreu. Os [bandidos] que mataram meu pai foram os mesmos que fizeram 25 pessoas reféns na Estrada Transacreana”, disse a filha do pastor ao G1 Acre.

Mesmo ferido, o pai foi espancado pelos criminosos e morreu no local.

“Atiraram no meu pai e correram atrás do meu irmão quando viram que ele correu, mas não conseguiram pegar ele. A polícia disse que não conseguiu chegar logo porque a estrada é de difícil acesso, sendo que gastamos 30 minutos de carro e a polícia de caminhonete não conseguiu chegar logo”, criticou.

Força-tarefa

Na manhã do sábado (10), a Segurança Pública do Acre (Sejusp) montou uma força-tarefa para fazer uma varredura na rodovia em busca dos criminosos. As equipes contam com ajuda do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

O secretário da Segurança Pública do Acre, Paulo Cézar Santos, explicou que a base está montada, mas não foi possível manter o policiamento fixo por falta de efetivo.

Fonte: Portal Tucumã

Pastor canadense diz que ataques a cultos trazem de volta memórias do comunismo

Pastor canadense diz que ataques a cultos trazem de volta memórias do comunismo

O pastor Artur Pawlowski, que nasceu na Polônia e viveu sob uma ditadura comunista durante sua infância, acredita que as ações da polícia no Canadá trazem de volta memórias do comunismo sob a União Soviética.

Um vídeo gravado por Pawlowski viralizou esta semana e teve mais de 3 milhões de visualizações nas redes sociais. Nas imagens, ele expulsa policiais que interromperam um culto de Páscoa na Street Church na cidade de Calgary, em Alberta, no Canadá. 

Outro incidente foi registrado na manhã de quarta-feira (7) na província de Alberta: policiais cercaram uma igreja com barreiras na cidade de Edmonton. Com as cercas, os oficiais tentam impedir os fiéis de acessarem o templo da GraceLife Church.

Pawlowski, que cresceu atrás da Cortina de Ferro na Polônia, lembrou sua experiência na infância em entrevista à Fox News Primetime na terça-feira (6). “Os policiais podiam invadir sua casa às cinco da manhã, eles podiam te espancar, torturar, eles podiam te prender por qualquer motivo”, ele lembra.

Quando os policiais apareceram em sua igreja, ele conta que foi como um “flashback” do passado. “Tudo meio que voltou à memória, desde a minha infância”, disse Pawlowski. “E a única coisa que eu poderia fazer é afastar os lobos como um pastor, e usei minha voz para me livrar deles. Eles estavam violando ilegalmente nossos direitos durante a celebração da Páscoa”.

O vídeo mostra Pawlowski dizendo aos policiais para “dar o fora” e também ordenou que eles “não voltassem sem um mandado”. Ele ainda os comparou à “Gestapo” — a polícia secreta oficial da Alemanha Nazista — e os chamou de “psicopatas nazistas”. Cerca de um minuto após o início do vídeo, os oficiais começaram a sair da propriedade.

Em nota, a Polícia de Calgary justificou sua presença na igreja pela preocupação de que “as pessoas presentes não estavam cumprindo as ordens de saúde do governo sobre a Covid-19, que estão em vigor para garantir a segurança de todos”. 

“Fiquei um pouco abalado”, disse Pawlowski. “Mas eu fiz o que todo pastor, agora, no planeta Terra, deveria fazer: afastar os lobos. Nós, como leões, nunca devemos nos curvar diante das hienas, e é isso que elas são agora”.

Steyn observou que muitas das coisas que foram aceitas em 2020 “são exemplos do controle rígido, 24 horas por dia, 7 dias por semana, sob o qual a maioria dos países comunistas viveu por meio século”.

Como exemplo, ele citou o caso da mulher que foi agredida pela polícia de Nova York por não usar máscara e a determinação de governadores americanos e canadenses, restringindo pessoas de receberem visitas em suas casas. “A implementação do que estamos vendo agora começou cerca de 20 anos atrás”, alertou.

Para Pawlowski, a única forma de combater a ditadura comunista é com a manifestação de milhões de pessoas nas ruas. “Em 1981, testemunhei milhões de poloneses tomando as ruas e dizendo: ‘Chega! Saia do nosso país!’”, lembra. “Você tem que exigir esses direitos de volta; você tem que lutar por seus direitos. Eles nunca vão devolvê-los de graça.”

Pawlowski exortou não apenas os canadenses, mas pessoas de outras democracias ocidentais, a “tirá-los de suas propriedades, de seus negócios e de suas igrejas”. “Os líderes religiosos devem se unir e começar a afastar essa escuridão. Devíamos ir às ruas e dizer: ‘Chega de bloqueios, chega de restrições. Não vamos mais tolerar isso’”, sugere.

Fonte: Guiame


Líderes cristãos prestam homenagem ao príncipe Philip: “A fé em Jesus moldou quem ele era”

Líderes cristãos prestam homenagem ao príncipe Philip: “A fé em Jesus moldou quem ele era”

Líderes da Igreja na Inglaterra prestaram sua homenagem ao príncipe Philip, que faleceu na sexta-feira (9), aos 99 anos de idade. O duque de Edimburgo foi marido da rainha Elizabeth durante 73 anos.

O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, declaou hoje: "Eu me uno ao resto do Reino Unido e à Comunidade no luto pela perda de Sua Alteza Real, o príncipe Philip, o duque de Edimburgo, e dou graças a Deus por sua vida extraordinária de serviço dedicado”.

Segundo o arcebispo, o príncipe foi um exemplo de cristão em sua função como monarca e na família.

“Ele sempre colocou os interesses dos outros à frente dos seus e, ao fazê-lo, deu um exemplo notável de serviço cristão. Durante sua carreira naval, na qual serviu com distinção na Segunda Guerra Mundial, conquistou o respeito de seus colegas como um excelente oficial. O príncipe Philip demonstrou continuamente seu apoio infalível e lealdade irrestrita a Sua Majestade, a rainha, por 73 anos” e completou: “O casamento deles foi baseado na amizade e respeito mútuo e sustentado pela fé compartilhada em Cristo”.

Justin Welby também destacou sua personalidade cativante e amável com todos, e sua disposição para servir os outros.

“Sempre fiquei impressionado com sua óbvia alegria pela vida, sua mente questionadora e sua capacidade de se comunicar com pessoas de todas as origens e posições sociais. Ele era um mestre em colocar as pessoas à vontade e fazer eles se sentirem especiais. O príncipe Philip demonstrou um profundo senso de compromisso em servir aos outros e oro para que possamos nos inspirar em seu exemplo”, disse o arcebispo.

O arcebispo de York, Stephen Cottrell, também se manifestou, afirmando que o duque era um "homem notável que viveu uma vida de serviço dedicado ao seu país, à sua esposa, a rainha Elizabeth II e à sua família. Sua fé em Jesus Cristo foi uma parte importante de sua vida e moldou quem ele era”.

"Junte-se a mim na oração pelos membros da família real enquanto eles choram e que Deus os console. Enquanto damos graças a Deus por uma vida vivida em plenitude, que o príncipe Philip descanse em paz e se levante na glória”, finalizou o arcebispo de York.

Já o arcebispo de Gales, John Davies, elogiou o duque por sacrificar sua vida pessoal e carreira a fim de permanecer "firmemente" ao lado da rainha ao longo das décadas. 

"Apesar de sua aposentadoria da vida pública em 2017, é inimaginável que, longe do olhar público, seu apoio à rainha vacilou enquanto ela continuava a cumprir seus deveres oficiais e a chefia da família real. Em ambas as esferas, a rainha, ao longo de mais de sete décadas de vida de casada, enfrentou inúmeras crises e demandas massivas, e Sua Alteza Real a sustentou e fortaleceu ao longo do tempo”, afirmou Davies.

O Executivo-Chefe da Sociedade Bíblica, Paul Williams, declarou: "Nós nos juntamos a milhões em dar graças a Deus por sua contribuição para a nossa nação e, acima de tudo, por sua longa vida e parceria amorosa com nossa rainha”. Elizabeth II é patrona da Sociedade Bíblica desde 1952.

"Oramos por ela, pelo príncipe Charles, a princesa Anne, o príncipe Andrew e o príncipe Edward, e por todos os que choram sua perda. Que Deus os abençoe e os console em sua dor, e os assegure de seus propósitos de amor para eles”, disse Paul Williams.

Fonte: Guiame


“Coloquei minha vida diante da Cruz”, testemunha André Mendonça em culto

“Coloquei minha vida diante da Cruz”, testemunha André Mendonça em culto

O pastor presbiteriano André Mendonça, atual advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, pregou no púlpito da igreja MEVAM, em Itajaí (SC), na manhã de sábado (3), durante um Café com Pastores liderado por Luiz Hermínio.

Mendonça começou sua mensagem com a pergunta: Quem é o André para quem não tem a cosmovisão cristã? Ele respondeu citando o Salmos 119:141, que diz: “Sou pequeno e desprezado, mas não esqueço os teus preceitos.”

“O André diante dos Golias é pequeno e desprezado”, ele explicou. “Assim foi com Davi, assim foram com os profetas e também com Jesus. Assim é comigo e com você.”

Por outro lado, Mendonça lembra que Deus “escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são”, conforme o texto de 1 Coríntios 1:28.

Olhando para trás, Mendonça lembra que ouviu por diversas vezes a frase “quem você pensa que é?”, enquanto fazia concursos para se tornar advogado da Petrobras Distribuidora e ingressar na carreira de advogado da União.

“Quantas vezes vocês foram desacreditados? Quantos homens e mulheres de Deus na história da Bíblia passaram pela mesma situação?”, questionou. “Você quer ganhar a sua vida? Siga a Cristo e tome sua Cruz diariamente.”

O chefe da AGU também lembra de ter lido uma sugestão a seu respeito em um jornal, perguntando quem era o André na fila do pão. 

Sobre isso, ele comenta: “O André na fila do pão era e continua sendo nada, mas eu sirvo a um Deus que é tudo em todo tempo, em todas as coisas, e diante de qualquer pessoa. Eu na fila do pão estou como que catando as migalhas, esperando o que Cristo pode derramar na minha vida.”

“Por mim mesmo, eu não tenho nem uma moeda para comprar o pão de cada dia, se Deus não me der o sopro da vida”, ele destacou.

Autor da vida

André fez ainda uma análise sobre como Deus tem conduzido sua jornada, o comparando a um autor que tem escrito sua história.

“O mais belo dos meus poemas seria um garrancho diante de um rascunho do que Deus quisesse escrever. No melhor dos meus escritos eu jamais teria sido advogado-geral da União ou ministro da Justiça do Brasil”, disse.

Depois de afirmar que entregou sua caneta a Quem sabe escrever, Mendonça fez um apelo: “Coloque a sua vida diante da Cruz, diante do autor e consumador da nossa fé”.

“Deus é maior do que qualquer prova e obstáculo”, ele continuou. “O que Deus escreve, o homem não apaga. E o que Deus apaga, o homem não escreve. A porta que Deus abre, ninguém fecha. E a porta que Deus fecha, ninguém abre. O que há para a sua vida já está escrito desde antes da fundação do mundo”.

Fonte: Guiame

Tribunal decide que Graham foi alvo de discriminação, após anúncio banido no Reino Unido

Tribunal decide que Graham foi alvo de discriminação, após anúncio banido no Reino Unido

Um tribunal do Reino Unido decidiu que um festival promovido pelo ministério de Franklin Graham teve os direitos humanos violados ao ter anúncios proibidos em Lancashire, na Inglaterra.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

O anúncio apresentava apenas a frase “tempo de esperança”.

Em decisão emitida pelo Tribunal do Condado de Manchester, a juíza Claire Evans disse que a medida desrespeita “o direito à liberdade de expressão”. 

Segundo o site da BGEA, o tribunal considerou que os cristãos e pessoas de outras religiões têm direito à proteção legal na defesa de sua visão religiosa tradicional sobre o casamento e a sexualidade humana.

“Agradecemos a Deus por essa decisão porque é uma vitória para todos os cristãos no Reino Unido”, disse Franklin Graham, filho do falecido evangelista Billy Graham.

Na época, Graham foi questionado pela BBC sobre sua opinião em relação ao casamento gay, e destacou que a união homossexual é pecado. “O casamento é entre homem e mulher e é isso que a Bíblia nos ensina”, disse.

Graham foi alvo de protestos e enfrentou uma forte resistência antes de realizar o evento na Inglaterra em 2018. Em meio à polêmica provocada pela pressão de grupos LGBT e islâmicos, o conselho permitiu a remoção de anúncios do Festival da Esperança, alegando estar comprometido em “promover a igualdade e a diversidade [e] eliminar a discriminação”. 

A juíza considerou que a decisão violou a proteção da Lei dos Direitos Humanos à liberdade de religião e de expressão.

“[O Conselho] deu preferência aos direitos e opiniões de uma parte da comunidade sem qualquer consideração pelos direitos do reclamante ou daqueles que compartilhavam suas crenças religiosas”, disse Evans.

Em uma declaração conjunta, o Conselho e o Serviço de Transportes de Blackpool  disseram que levaram em consideração as conclusões do tribunal e que iriam realizar uma revisão para determinar as mudanças que precisam ser feitas.

O Festival da Esperança de Lancashire com Franklin Graham atraiu 9.000 pessoas em Blackpool, com mais de 50.000 visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

Fonte: Guiame


Augustus Nicodemus critica fechamento de templos, lockdown e neopentecostais

Augustus Nicodemus critica fechamento de templos, lockdown e neopentecostais

Em um momento em que o fechamento de templos voltou a ser uma pauta de debate, inclusive no Supremo Tribunal Federal (STF), o pastor Augustus Nicodemus Lopes, da Primeira Igreja Presbiteriana de Recife, lembra que o direito de culto é garantido pela Constituição.

O pastor e ex-chanceler da Universidade Mackenzie, de 66 anos, deu uma entrevista à Folha de S. Paulo, que foi publicada na terça-feira (6). Nela, ele abordou sobre lockdown, dízimo, política e a Teologia da Prosperidade, considerada por ele um falso ensino.

“Quando a gente briga para manter igreja aberta dentro das regras sanitárias, é pelo direito de culto garantido pela Constituição”, destacou o pastor, quando foi questionado sobre o fechamento de templos.

“A única maneira de revogá-lo é o estado de sítio, e só o presidente pode declarar um, o Congresso tem que aprovar. Do jeito que está não está bom, é uma coisa que está saindo da cabeça de governadores e prefeitos. Fechar de forma arbitrária é a Constituição sendo violada. O que vem depois?”, questionou.

Nicodemus também tem ressalvas a respeito da eficácia do lockdown como única medida para amenizar o impacto da pandemia. “Minha igreja é de classe média. Quem tem sofrido muito é o pessoal de classes mais baixas”, explicou. “O lockdown fere muito o trabalhador, a diarista. O pessoal das classes média e alta não sentem tanto. Vão fazer como você e eu: home office.”

Ele sugeriu: “Lockdowns causaram o desastre na economia, não vejo como podem ser a cura dela. Talvez se tivéssemos usado desde o início lockdowns verticais e localizados, medidas sanitárias já comprovadas e educado a população para usá-las, quem sabe salvaríamos o mesmo número de pessoas sem destruir seus empregos e sanidade mental no processo”.

Bíblia e Dinheiro

O pastor, que recentemente lançou, pela editora Mundo Cristão, o livro “O Que a Bíblia Fala Sobre Dinheiro”, também abordou o tema do dízimo. Ele afirmou que, por conta dos excessos da Teologia da Prosperidade, a Igreja Presbiteriana acabou indo para o outro extremo, por causa do medo de falar sobre finanças — o que “também é errado”.

“A Bíblia fala mais de dinheiro do que de amor. Tem muita coisa sobre gestão financeira. Evangélicos dependem muitas vezes de recursos contadinhos para viver”, disse ele. “O dinheiro em si não é bom nem mau — depende da nossa atitude para com ele.”

“Não devemos fazer do dinheiro o deus da nossa vida. Jesus prega que a gente não viva ansioso com o que vai comer, beber, vestir. Deus cuida dos passarinhos, veste o lírio dos campos, não cai nenhum fio da nossa cabeça. Diz que os pagãos ficam ansiosos porque não têm um Pai. E é um alerta contra os mercadores da fé”, continuou.

Nicodemus também fez uma crítica a igrejas que querem manter o templo aberto não por preocupação cívica, mas “porque têm um sistema de arrecadação que depende do [culto] presencial”. “Para não serem estranguladas financeiramente, vão dizer o que for necessário para defender igrejas abertas”, observou.

Ele ainda usou as palavras do apóstolo Paulo, sobre os que “pensam que religião é uma forma de enriquecer”, para justificar o falso ensino sobre prospreridade. “Na Idade Média vendiam indulgências, relíquias, pedaços da cruz etc. Hoje, vendem objetos ungidos e oferecem bênçãos materiais em troca de ofertas e dízimos. Eles enriquecem, e os fiéis ficam pobres”, disse.

Por outro lado, o pastor também reforça o ensino correto sobre o dízimo: “Entendemos que contribuir faz parte da gratidão que prestamos a Deus. Sabemos que tem falsos profetas, mercenários, que utilizam da crendice do povo para arrancar até o último centavo. 

Mas não tem como igrejas sérias se manterem e ajudarem os pobres [sem as ofertas]. De onde vem esse dinheiro? O Estado é laico, a igreja não recebe nada do governo. Precisa de recursos para manter instalações funcionários, os pastores são assalariados.”

Ainda sobre o universo financeiro, Nicodemus também ponderou a respeito do chamado “coaching evangélico”. Em sua visão, os princípios desta filosofia são ótimos se aplicados no meio secular, mas não servem para o contexto da igreja.

“A Bíblia nos ensina a confiar em Deus, não viver ansiosos, não fazer da prosperidade a meta maior da vida. Fica difícil colocar isso dentro da equação do coaching”, comentou.

Fonte: Guiame

Restos mortais de missionária assassinada por grupo islâmico são encontrados no Mali

Restos mortais de missionária assassinada por grupo islâmico são encontrados no Mali

Os restos mortais de uma missionária cristã sueca, assassinada por jihadistas, foram encontrados no Mali, na África. O comunicado foi feito pelo Ministério das Relações Exteriores do país.

Os restos foram identificados como sendo da missionária por meio de um teste de DNA. Eles foram entregues ao governo do Mali pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha, para repatriação à Suíça.

Em 2016, a suíça Béatrice Stöckli estava servindo em Timbuktu, quando foi sequestrada pela organização terrorista islâmica Jama'at Nasr al-Islam wal Muslim (JNIM) . No ano passado, ela foi assassinada pelos sequestradores, conforme relato de outra refém, Sophie Pétronin, uma voluntária francesa de 75 anos, que foi libertada em 2020.

JNIM é uma milícia terrorista islâmica, um dos grupos de combate mais cruéis do Sahel africano. É composto por remanescentes do braço da Al-Qaeda, AQMI, e dos “Ajudantes do Islã” (Ansar al-Islam). Ambos lutam há anos no Mali, Burkina Faso, Níger e Chade contra cristãos e ocidentais.

O Conselheiro Federal da Suíça, Ignazio Cassis, lamentou a confirmação do assassinato da missionária Béatrice e agradeceu a colaboração de Mali na recupração dos restos mortais.

"Infelizmente, agora temos evidência definitiva de que a mulher que foi mantida refém está morta. Mas também estou aliviado por podermos devolver os restos mortais da mulher para sua família e gostaria de transmitir minhas mais profundas condolências a eles. Também desejo agradecer às autoridades do Mali por sua ajuda na ajuda na identificação do corpo”, disse Cassis.

Raptada pela primeira vez em 2012

Beatrice Stöckli foi pela primeira vez a Timbuktu, Mali, com o grupo missionário com sede na Alemanha, o Neues Leben Gana (Nova Vida Gana), liderado pelo pastor Jörn André.

Poucos anos depois, ela decidiu trabalhar sozinha “ensinando crianças a ler e escrever, usando contos de fadas e histórias infantis e as passagens do Alcorão que falam de Jesus”, segundo o site de notícias suíço Livenet.

Ela foi sequestrada pela primeira vez em abril de 2012 pelo grupo jihadista Ansar Dine. Um líder da mesquita vizinha a denunciou como missionária, de modo que os extremistas a arrastaram para o deserto, onde Stöckli foi torturada e ameaçada de assassinato pela primeira vez, para forçá-la a negar Jesus e se converter ao Islã.

Após nove dias de cativeiro foi libertada, devido à mediação do governo de Burkina Faso. Stöckli decidiu regressar a Timbuktu, para continuar com o seu trabalho missionário, apesar das ameaças.

Mais de quatro anos como refém

Há quatro anos, “homens armados bateram em sua porta, ela abriu e eles saíram com ela”, informou a Agence France-Presse em janeiro de 2016.

Ela foi sequestrada novamente, junto com os reféns da França, Itália e Mali recentemente libertados. Durante os mais de quatro anos em que foi sequestrada, Stöckli supostamente apareceu em vários vídeos apelando a seu governo por sua libertação e pela libertação de combatentes jihadistas da AQMI presos em Mali.

De acordo com o relato dos reféns libertados que estavam com ela, os extremitas arrastaram Stöckli para uma cavidade de cascalho no deserto de pedra e a mataram.

Fonte: Guiame

Douglas Gonçalves: “Quem descobre seu propósito vive uma vida intencional”

Douglas Gonçalves: “Quem descobre seu propósito vive uma vida intencional”

Douglas Gonçalves, líder do Movimento JesusCopy, tem guiado muitas pessoas a descobrirem seu propósito ou sua missão neste mundo. Recentemente, ele organizou uma mentoria onde mais de 2 mil pessoas participam semanalmente para reflexões e exercícios em busca de um futuro com mais sentido. 

Um de seus vídeos postado em seu canal no YouTube, em outubro de 2020, fala sobre “O maior inimigo do propósito de Deus em sua vida”. Douglas explica que, a partir do momento que se descobre a salvação em Cristo, algumas perguntas surgem.

“Jesus te salvou e através dele você foi adotado e tem nova vida. Pra quê? Qual seria o propósito disso?”, questionou. Segundo o líder, todos devem viver plenamente o propósito de Deus para suas vidas, mas existem alguns obstáculos.

Qual o maior inimigo do propósito?

Em conversa com o mentor de propósito e empreendedorismo, Thiago Marques, os dois falam sobre o principal bloqueio que impede as pessoas de viverem seus propósitos. “É a necessidade. As pessoas acham que a necessidade vai bater na porta”, disse Marques.

Para o mentor tudo é uma questão de como as pessoas pensam e entendem o mundo. “Se você se vê como um trabalhador condenado a bater o seu cartão, trabalhar 44 horas semanais para receber um salário mínimo no final do mês, realmente você não vai conseguir mudar”, alertou.

Muitos trabalham por necessidade e compromisso, sabendo que têm contas a pagar, e nem pensam que existe um propósito de Deus em suas vidas. Marques explica que é possível manter o compromisso com o trabalho e, mesmo assim, dedicar um tempo para essa descoberta, sobre esse “algo” que queima em seu coração.

“Como descobri o meu propósito”

Segundo Douglas Gonçalves, quem descobre seu propósito passa a viver uma vida intencional. Em seu outro vídeo sobre propósito, postado em março de 2019, ele disse: “Uma das coisas que eu mais amo fazer é ajudar as pessoas a encontrarem o propósito delas. Existe uma forma de fazer isso e quero compartilhar”, disse.

Douglas aconselha que perguntas diretas devem ser feitas. “O que te dá prazer em fazer?”. Em seguida, ele coloca Jesus como exemplo, na ocasião em que os discípulos demonstram preocupação por ele não ter se alimentado ainda.

“Enquanto isso, os discípulos insistiam com ele: Mestre, come alguma coisa. Mas ele lhes disse: Tenho algo para comer que vocês não conhecem. Então os seus discípulos disseram uns aos outros: Será que alguém lhe trouxe comida? Disse Jesus: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.” (João 4:31-34)

“Jesus estava cumprindo o propósito para o qual ele nasceu. Ele estava dizendo aos discípulos que enquanto cumpria seu propósito, não lhe dava nem vontade de comer”, explicou. Para o pastor, o segredo da descoberta do propósito começa quando essa pergunta tem uma resposta — O que te dá mais prazer em fazer? 

E a próxima pergunta é: No que você é bom? Ou seja, qual a sua habilidade ou facilidade? Normalmente, as pessoas ouvem desde pequenas, sobre algo que se destaca nelas, e isso pode ser um sinal do propósito que Deus depositou em suas vidas. “E, por último, é necessário descobrir o que mais te incomoda no mundo, e vou explicar por quê”, disse.

Testemunho

“Eu descobri que tenho muito prazer em conversar com as pessoas, ensiná-las e ajudá-las. Eu me sinto mais vivo fazendo isso. E a minha habilidade está na tecnologia e no design. Desde pequeno eu gostava de desenhar logos e de escrever meu nome em letras 3D”, compartilhou.

E, na sequência das três perguntas básicas para descobrir o propósito de Deus, Douglas responde sobre o que o incomoda no mundo. “A pergunta completa é: O que você mudaria no mundo para que ele se tornasse um lugar melhor de se viver? O que mais me incomoda no mundo é a ignorância das pessoas em relação ao Evangelho”, revelou.

Douglas explica que muitas coisas mudariam se as pessoas realmente entendessem o Evangelho. “O que define meu propósito é fazer algo naquilo que eu sou bom e trabalhar naquilo o que me dá prazer para resolver o problema que eu enxergo no mundo”, resumiu. 

O líder do Movimento JesusCopy comunica e ensina sobre o Evangelho através das mídias sociais para esta geração. “Eu amo design, tecnologia, vídeos e postagens, então uso tudo isso para cumprir meu propósito”, disse. 

E para concluir, Douglas cita como exemplo pessoas que amam escrever, cantar ou tocar um instrumento. “E se essas pessoas pegassem o que elas amam fazer e usassem para cumprir seus propósitos? Elas só precisariam se colocar diante de Deus”, prosseguiu.

“Assim que você descobrir o seu propósito, invista tudo nele. E quando refletir sobre o que te incomoda no mundo, saiba que Deus mostrou a você esse problema, para que você o resolvesse através do seu dom e habilidade e através de um trabalho que te dá prazer”, finalizou.

Fonte: Guiame

Pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular morre aos 49 anos por complicações da Covid-19 em Sergipe

Pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular morre aos 49 anos por complicações da Covid-19 em Sergipe

Morreu na noite da segunda-feira (29), o pastor José Carlos Simões, da Igreja do Evangelho Quadrangular do Conjunto Fernando Collor, em Nossa Senhora do Socorro.

Ele tinha 49 anos e estava internado em um hospital municipal de Estância para tratar complicações da doença, segundo informações da assessoria de comunicação da organização. O corpo foi sepultado na terça (30), na Bahia.

O pastor fazia parte do ministério da igreja desde 1998. Ele deixa esposa e dois filhos.

Funcionamento de igrejas

Atualmente, pelo decreto estadual válido até a quarta (31), templos religiosos podem funcionar até as 18h durante a semana, com 30% da capacidade de público do estabelecimento. Aos fins de semana, é proibida a realização de encontros.

Fonte: G1 Sergipe

Pastor evangélico é preso suspeito de abusar sexualmente de crianças

Pastor evangélico é preso suspeito de abusar sexualmente de crianças

Um pastor evangélico, de 46 anos, suspeito de abusar sexualmente de oito crianças, foi preso pela Polícia Civil, na terça-feira (30/3), em Matozinhos, na Região Metropolitana de BH. 

Policiais cumpriram mandado de prisão e de busca e apreensão na casa do pastor, no Bairro Cruzeiro. Foram apreendidos um computador e celulares.

A denúncia partiu da mãe de uma das crianças, que passou a suspeitar do comportamento da menina e também do interesse do suspeito. Segundo a denúncia, que foi confirmada nas investigações, o suspeito valia-se da condição de pastor, função que desempenhava em duas igrejas da cidade, para ganhar a confiança dos familiares das vítimas e, dessa forma, cometer os abusos sem que ninguém desconfiasse.

O mandado de prisão preventiva foi solicitado pela Polícia Civil, segundo informações dos policiais, visando resguardar a integridade física das vítimas, além de encorajar outras possíveis denúncias contra o suspeito. O homem foi encaminhado ao sistema prisional.

As denúncias podem ser feitas na Delegacia de Matozinhos, à Avenida André Faveleli, 98, Bairro Da Estação, ou pelo telefone 3712-2553, ou ainda pelos telefones de denúncia de violência infantil, pelos programas Disque 100, Disque 181 ou 190. Ainda pelo telefone da Delegacia Especializada no (31) 3228-9000.

Fonte: Estado de Minas Gerais