Recent post

Pastor é flagrado furtando R$ 2,9 mil do dízimo de fiéis da Igreja Universal

Pastor é flagrado furtando R$ 2,9 mil do dízimo de fiéis da Igreja Universal

Um pastor evangélico de 36 anos foi flagrado por câmeras de segurança furtando R$ 2,9 mil do dízimo de fiéis de uma unidade da Igreja Universal do Reino de Deus em São José do Rio Preto (a 441 km de São Paulo).

O crime foi descoberto após o pastor responsável pelo departamento financeiro da igreja perceber que parte do dinheiro – que ficava em uma sacola – havia sumido.

Ele recorreu às gravações do sistema de monitoramento e descobriu a autoria do furto.

De acordo com o boletim de ocorrência, o suspeito foi chamado pelo colega para dar explicações sobre o caso e confessou o crime. “Ele assumiu que realmente pegou a quantia de R$ 2,9 mil e que também teria cometido outros furtos anteriormente”, informa o registro policial.

Após a conversa entre os pastores, o suspeito devolveu o dinheiro aos cofres da igreja. Dez horas mais tarde, os religiosos foram até a Central de Flagrantes da cidade para registrar o caso. Em depoimento, o suspeito confirmou toda a história narrada pelo pastor que fez o flagrante.

O artigo 155 do Código Penal Brasileiro prevê prisão de dois a oito anos para quem comete algum tipo de furto. Apesar do crime, o pastor que pegou o dinheiro da igreja foi liberado após o registro do boletim de ocorrência.

O delegado de plantão alegou no BO que apesar de o delito ser passível de prisão em flagrante, não foi possível prender o pastor já que o registro não foi feito logo após o crime e que não houve perseguição contra o suspeito.

“A vítima [igreja] não teve qualquer prejuízo, bem como o crime não foi cometido com violência ou grave ameaça e por esta razão, por ora, deixa de se lavrar o Auto de Prisão em Flagrante”, justifica.

O UOL conversou por telefone com o pastor que descobriu o crime, mas ele não quis dar nenhuma declaração sobre o ocorrido. Já o pastor que furtou o dinheiro não atendeu nenhuma de nossas ligações.

A Igreja Universal do Reino de Deus informou em nota oficial que o autor do furto foi desligado do quadro de pastores, em decorrência do crime que praticou.

“A Universal considera o delito gravíssimo, e está cooperando com as autoridades para que o infrator responda e seja punido pelo crime que cometeu. Medidas já foram tomadas para que fatos como esse não se repitam”, diz a nota.

Fonte: UOL

Missionária visita presídio no Haiti e revela condições precárias: “Eles imploram pelo básico”

Missionária visita presídio no Haiti e revela condições precárias: "Eles imploram pelo básico"

Uma missionária cristã revelou condições de vida extremamente desumanas para várias centenas de homens presos em Jérémie, Haiti.

Várias celas minúsculas estão cheias de 50 a 60 pessoas, que são forçados a dormir no concreto, enquanto usam apenas um balde por quarto como “vaso sanitário”. Somente aqueles com familiares que podem enviar comida podem comer com alguma regularidade.

A missionária americana Kate Bartow, que o site americano ‘Faithwire’ já havia entrevistado por suas ousadas façanhas em meio à intensa perseguição contra americanos brancos, tem raízes familiares no Haiti e recentemente visitou a prisão em Jerémie pela primeira vez.

Bartow conseguiu secretamente tirar várias fotos da cena angustiante, que retrata um nível de desespero impensável para a maioria dos humanos ao redor do mundo.

O acesso às instalações é raro, evidenciado pela incapacidade de Bartow de visitá-la até agora. Ela já esteve no Haiti inúmeras vezes e é uma figura popular na pequena cidade, mas ainda assim nunca teve acesso à prisão até poucos dias atrás.

Vendo o triste estado das condições na prisão, não é de se admirar que as autoridades prefiram limitar severamente o acesso. A extrema urgência expressa pelos prisioneiros está além da imaginação humana, pois eles imploram até pelas menores coisas, como alguém para conversar, ler suas anotações ou aceitar o ofício que eles fizeram.

Bartow parecia ter aquele olhar de mil jardas que os soldados costumam exibir quando voltam da guerra. "Eu já vi muitas coisas", disse ela. "Mas essas são as piores que eu já vi".

Ela descreveu a cena com detalhes vívidos em seu blog e em uma entrevista ao ‘Faithwire’.

"Há tantos homens reunidos em uma cela que nem todos conseguem dormir ao mesmo tempo. Alguns são obrigados a ficar de pé enquanto outros dormem e depois acordam e revezam-se. Eles dormem no chão de cimento”, contou.

“Há um balde de cinco litros no final da cela para todos fazerem suas necessidades. Ele é esvaziado pela manhã e à noite, mesmo que esteja transbordando. Os presos de hierarquia mais baixa dormem perto do balde, enquanto as fezes e a urina transbordam, perto dos pés e da cabeça”, acrescentou.

Bartow também falou sobre a situação alarmante de muitos presos que passam fome por não comerem regularmente como necessário.

“Homens sem família comem apenas o que a prisão os dá como alimento. A "comida" é pior que comida de cachorro. Esses homens ficam nessas celas o dia todo, quase sem fluxo de ar. Eles estão com fome, com sede e sujos. Suas bochechas estão afundadas e têm olheiras. As costelas e as clavículas são proeminentes”, relatou.

A experiência ainda estava claramente em sua mente depois de retornar aos EUA, poucas horas antes desta entrevista.

Testemunho

Ela contou sobre um garoto adolescente que reconheceu na prisão. Ele era um dos garotos da rua, deprimido, que fica nas ruas o dia todo, esperando pegar alguns restos de comida ou moedas de um centavo. Ele foi preso aos 15 anos, supostamente por brigas de rua.

Mas é difícil dizer quem realmente deveria estar na prisão e quem não deveria. Quando questionada sobre o sistema de justiça do Haiti, Bartow simplesmente respondeu "é o Haiti. Então, não há um".

A corrupção corre solta em todos os aspectos da vida haitiana. Se você quer alguém na prisão, provavelmente pode pagar para que isso aconteça. Essa é uma das principais razões pelas quais o país não consegue escapar do controle da pobreza, porque seria preciso uma reforma maciça contra corrupção, o que claramente não é uma tarefa fácil, ou já teria sido feito.

"Você está andando pelos corredores, enquanto braços e mãos estão estendidos. Eles estão pressionando o rosto contra as barras para tentar chamar sua atenção. Eles estão implorando por um telefonema ou apenas para falar com você. Eles me deram todas essas cartas para eu ler. As histórias deles. Eu peguei essa pilha de anotações riscadas em maços de cigarros e pequenos pedaços de papel e invólucros, apenas dizendo o que eles precisam e o que aconteceu com eles. Eles não sabem se eu posso fazer alguma coisa, mas foi a única aparência de esperança deles. Eu disse: 'Eu não sou Deus ... farei o que puder'. E eles disseram: 'Não importa, apenas aceite’”, contou.

Bartow explicou como ela disse aos prisioneiros que, apesar de alguns serem realmente culpados, Deus os valoriza da mesma forma.

“Se formos reais com nós mesmos, fizemos, em nossas vidas, fizemos muitas coisas que se estivéssemos no Haiti ou a pessoa errada nos visse, isso poderia ter nos levado à prisão", explicou.

Bartow agora está procurando ajudar aqueles que são verdadeiramente esquecidos pela sociedade. O Haiti já é um país que sofre imensamente; portanto, os que estão na prisão sofrem quantias inimagináveis ​​por várias razões, como a pobreza e a corrupção.

“Meu objetivo é proporcionar aos presos uma boa refeição por semana. Isso é bem mínimo. O objetivo final é encontrar 380 pessoas que dariam 2 dólares por semana e isso lhes daria apenas uma refeição por semana. Quero vender suas bolsas e carteiras (que eles fazem na prisão), explicou Bartow. Isso foi algo que realmente me emocionou, porque eles ainda estavam criando. Sinto que quando paramos de criar é quando estamos completamente sem esperança. Eles ainda estão criando, porque ainda estão buscando essa esperança", declarou.

Fonte: Guia-Me

Japoneses podem ser classificados como grupo de povos não alcançados, dizem missionários

Japoneses podem ser classificados como grupos de povos não alcançados, dizem missionários

Ao compartilhar o Evangelho com uma pessoa japonesa, há 99% de chances de que essa seja a primeira vez que ela ouve a mensagem da Palavra de Deus, dizem missionário da IMB.

Segundo grupo missionário americano, com essa estatística, o povo japonês pode ser classificado como um grupo de pessoas não alcançadas.

Eles dizem que esse fato pode ser uma surpresa para os que pensam em "grupos de pessoas não alcançados" como homens e mulheres vivendo em lugares remotos, como selvas ou desertos.

Em vez disso, dizem, os japoneses não alcançados costumam ser empresários trabalhando em arranha-céus e jovens adultos com conexão digital incomparável.

Com a proximidade das Olimpíadas do Japão, que acontecem em meados de 2020, os missionários veem uma “oportunidade sem precedentes de alcançar os japoneses com o Evangelho”. Eles dizem que o evento esportivo internacional pode deixar “o povo japonês cada vez mais aberto a ouvir sobre esperança e vida eterna”.

Essa possibilidade, está entusiasmando os cristãos e missionários japoneses que podem ver a história cristã no país ser mudada. Daniel e Tara Rice, missionários do IMB em Tóquio, esperam que as porcentagens daqueles que não ouviram o evangelho diminuam.

Resistência

Por que não há mais seguidores japoneses de Jesus? E por que tem sido tão difícil alcançar o japonês com o evangelho?

Carlton Walker, que trabalha no Japão há 40 anos, diz que o Japão é um país e uma cultura de homogeneidade. O isolamento geográfico do Japão manteve muitas influências externas. Isso não quer dizer que não houve influências externas. Parte do alfabeto japonês, o Kanji, veio da China, assim como o budismo.

No entanto, o domínio imperial japonês trouxe isolamento político por mais de 200 anos. A tradição ditava que as classes sociais mais baixas, como os pescadores, eram respeitadoras das mais altas, e as classes não se misturavam. As mudanças na sociedade foram mínimas.

Os japoneses têm um ditado famoso: "A unha que sobressai é martelada". Esse medo de ser derrotado manteve o status quo. Manter a unidade e a uniformidade da cultura tem sido mais importante para eles.

Walker diz que os japoneses ouvirão apresentações sobre o Evangelho e, como muitas pessoas em culturas de honra / vergonha, não querem envergonhar a pessoa que compartilha o Evangelho, discordando delas. Isso pode fazer parecer que a pessoa que está ouvindo o Evangelho está interessada quando o oposto pode ser verdadeiro.

Walker explica que o método evangelístico ocidental de compartilhar que pecamos e precisamos nos arrepender não é eficaz no Japão. Mais eficaz é enquadrar o Evangelho como a vergonha de um relacionamento quebrado que precisa ser restaurado.

Embora a história e a cultura tenham sido obstáculos para o avanço do Evangelho, os missionários do IMB dizem que, sob o verniz da tradição e a cultura de honra e vergonha, um zelo religioso está esperando para ser revelado.

Era de restauração

Como na maioria das sociedades, o zelo e o fervor podem ser facilmente encontrados em festivais e eventos esportivos no Japão. Os Rices e Walker dizem que a atmosfera permite liberdade de expressão. Nessas ocasiões, os missionários dizem que os japoneses têm maior probabilidade de ouvir as apresentações do Evangelho.

Os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio proporcionarão que missionários, crentes japoneses e voluntários cristãos falem sobre Jesus no Japão.

Nos últimos seis meses e nos meses que antecederam os Jogos Olímpicos de Verão de 2020, as igrejas dos Rices e do Japão estão realizando festivais comunitários. Os festivais contarão com jogos para a família, atividades, comida e apresentações do Evangelho. Voluntários das igrejas batistas do sul dos EUA são os principais parceiros nos festivais.

"Os festivais são vistos como um primeiro passo no discipulado", disse Daniel. "Eles estão sempre conectados a uma igreja local, e nós encorajamos fortemente que a igreja local tenha algo planejado a seguir".

Durante as Olimpíadas, as equipes missionárias se concentrarão no evangelismo através de coisas como uma cafeteria pop-up e troca de pinos olímpicos. O objetivo de cada esforço será compartilhar o Evangelho com japoneses e visitantes que possam ser mais receptivos à mensagem.

Após as Olimpíadas, as igrejas japonesas acompanharão as pessoas interessadas em ouvir mais sobre o cristianismo. O envolvimento de cristãos japoneses garante que o Evangelho não saia com os voluntários de curto prazo ou com os missionários do IMB quando os termos de serviço terminarem.

Fonte: Guia-Me

Ex-pastor mata esposa, filho e depois se suicida, nos EUA

Ex-pastor mata esposa, filho e depois se suicida, nos EUA

A polícia de Sugar Land, Texas, está investigando a morte de Richard Logan, ex-pastor e CEO da Attack Poverty, organização cristã sem fins lucrativos, que foi encontrado com um tiro na terça-feira, além da sua esposa e filho que também foram encontrados mortos a tiros na casa onde moravam.

Policiais foram à casa de Diana Lynn Logan, em Sugar Land, na terça-feira para informá-la da morte do seu esposo Logan, 53 anos. O corpo de seu marido foi encontrado na manhã da terça-feira na propriedade de uma empresa chamada TAS Environmental, aproximadamente 150 milhas de distância em San Marcos, localizado no condado de Guadalupe.

Durante uma coletiva de imprensa, o chefe da polícia de Sugar Land, Eric Robins, disse que ninguém atendeu a porta quando os policiais chegaram à casa. Um amigo da família chamou um vizinho com uma chave para que os policiais pudessem entrar. Foi quando encontraram os corpos de Diana, 48, e Aaron Logan, 11. A filha do casal, Ambrielle, que é o único membro da família sobrevivente, estava na faculdade no momento da tragédia.

“A polícia está investigando a possibilidade de que o suicídio no Condado de Guadalupe possa estar relacionado ao duplo homicídio em Sugar Land”, observou Adolph.

Ele disse que os corpos de Diana e Aaron mostraram sinais de trauma e ferimentos a bala. Eles também pareciam estar mortos por pelo menos várias horas.

Os funcionários da Igreja de River Pointe, onde a família era membro e onde Logan serviu como pastor de jovens por vários anos e Diana Logan também serviu como líder de um pequeno grupo, ficaram chocados.

“Conhecíamos os Logans muito, muito bem”, disse Patrick Kelley, amigo dos Logans por 15 anos. “E algo assim, a morte deles, por mais trágica que seja, é algo que você não pode jamais imaginar” .

A organização sem fins lucrativos de Logan, Attack Poverty, disse que iniciou o trabalho em 2011 após ser movida pelo desejo de transformar a vida das pessoas necessitadas por meio de parcerias comunitárias. Desde então, evoluiu para uma organização global “que serve localmente, adotando bolsões de pobreza e lançando o que chamamos de ‘Comunidades de Amigos'”.

Os funcionários da Attack Poverty também expressaram choque pelo suicídio de Logan.

“A família Attack Poverty está chocada ao saber da tragédia que envolve nosso CEO, Richard Logan e sua família. Estamos cooperando com os investigadores e aguardando mais informações enquanto tentamos processar essa perda com nossa equipe, voluntários e comunidade. Por favor, mantenha a equipe do Ataque à Pobreza e todos envolvidos em suas orações ”, afirmou um comunicado em seu site.

Uma campanha do GoFundMe está agora buscando arrecadar US $ 50.000 para ajudar Ambrielle em seu último semestre na Texas State University.

Fonte: Folha Gospel com informações de The Christian Post e Faithwire

Pastor evita suicídio de adolescente prestes a pular de ponte, no Piauí

Pastor evita suicídio de adolescente prestes a pular de ponte, no Piauí

Um caso de suicídio que quase aconteceu foi registrado na quinta-feira (06) por volta das 22h00. O adolescente estava na ponte Juscelino Kubitschek, que liga as avenidas João XXIII e Frei Serafim, na cidade de Teresina, capital do Piauí.

A intervenção que resultou na desistência do jovem tirar a própria vida, teve o apoio de um pastor, identificado apenas como Silva. Ele conversou com o jovem e o convenceu a descer do parapeito da ponte. O caso teve cobertura da mídia local.

O Corpo de Bombeiros, que estava no local após ser acionado por populares para atender a ocorrência, permitiu a abordagem a abordagem do pastor. O que o religioso teria dito ao jovem não foi divulgado.

O tenente dos Bombeiros que comandou a operação comunicou ainda que logo após o desfecho positivo da tentativa de suicídio, o adolescente foi levado para o Hospital Areolino de Abreu, onde recebeu atendimento.

Este não seria o primeiro caso que alguém é impedido de cometer suicídio, principalmente se jogando de ponte, relata a mídia local. Recentemente outro pastor impediu um suicídio na Ponte Rio Negro, que liga Manaus aos municípios da zona Metropolitana.

Na ocasião, após o suicídio ser impedido pela atitude do pastor, a mulher foi socorrida pelos policiais da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Após uma conversa com um portal de notícias local, o pastor Ronaldo Oliveira, contou que observou um tumulto na ponte Rio Negro quando voltava para casa.

“Eu estava de carro com meu irmão voltando para casa. Quando vimos várias pessoas amontoadas no meio da ponte. Logo pensei que poderia ser alguém que estava tentando pular. Paramos o carro e fomos ver sobre o que se tratava. Chegamos lá, vimos uma mulher muito angustiada chorando e gritando ‘Por que vocês me puxaram? Eu já estava pulando da ponte’. Pedi licença do policial e comecei a conversar com ela”, contou Ronaldo.

Ronaldo é morador do bairro Alto de Nazaré. O local é conhecido como Mutirão do Cacau Pirêra, localizado no município de Iranduba (27 quilômetros distante de Manaus).

Fonte: Guia-Me

“Não há avivamento sem fundamento na Bíblia”, diz Hernandes Dias Lopes no The Send

"Não há avivamento sem fundamento na Bíblia", diz Hernandes Dias Lopes no The Send

O pastor Hernandes Dias Lopes disse que não há avivamento sem que esteja fundamentado na Bíblia, em ministração no The Send no sábado (8).

“Não há nenhum avivamento genuíno a não ser fundamentado na Palavra de Deus. A Igreja Brasileira precisa centralizar-se nas Escrituras”, disse o pastor ao público no Allianz Parque, em São Paulo.

Hernandes Dias Lopes disse que a geração atual está colhendo o que foi semeado com lágrimas pela anterior. “Hoje podemos ver uma nuvem pequena, entretanto, pré-anunciando a chegada de uma grande chuva de avivamento para a nação brasileira”.

Para isso, no entanto, ele destacou a importância da Bíblia. “Estou certo de que se essa geração se voltar para as Escrituras, ler a Bíblia, obedecer a Bíblia e pregar a Bíblia, nós teremos um grande avivamento que vai varrer a nação brasileira e reverberá para outros cantos do mundo”.

O pastor disse ainda que não é possível ter maturidade cristã sem conhecer a Bíblia. “Isso porque a Bíblia é a Palavra de Deus, é revelação de Deus aos homens. Ela é infalível, eterna e suficiente. De vez em quando alguém se levanta para dizer que esse livro tem erros e contradições. Esses críticos passam, as faíscas viram poeira e a Palavra de Deus continua marchando vitoriosamente”.

Ele chamou os jovens a se comprometerem a ler, amar e anunciar a Bíblia “a tempo e fora de tempo”. “Nós precisamos desesperadamente que a Igreja Brasileira volte às Escrituras, assim como aconteceu na Reforma do século 16”, disse.

O pastor citou alguns avivamentos que marcaram a história, como o Pentecostes em Jerusalém, o avivamento na Inglaterra no século 18 e o avivamento nos EUA no século 19. “Todos os avivamentos que tem varrido o mundo a fora, foram calcados na Palavra de Deus”, destacou.

Hernandes Dias Lopes fez um apelo para que “voltemos para as Escrituras e firmemos a nossa fé nesta verdade que não se abala”.

“Que Deus nos ajude para que as novidades do mercado da fé não atraiam nosso coração. Que Deus nos ajude a permanecer no antigo, único e verdadeiro Evangelho”, finalizou.

Fonte: Guia-Me

Pastor é morto por terroristas no Congo por não negar sua fé em Jesus

Pastor é morto por terroristas no Congo por não negar sua fé em Jesus

Militantes islâmicos assassinaram um pastor de 60 anos no nordeste da República Democrática do Congo em 29 de janeiro, depois que ele recusou suas exigências de conversão ao Islã.

Ngulongo Year Batsemire estava caminhando com sua esposa quando foram cercados por membros das Forças Democráticas Aliadas (ADF), um grupo militante islâmico que atua na região nordeste há mais de duas décadas e tem os cristãos como alvo principal.

Os militantes exigiram que o pastor Ngulongo lhes dissesse onde poderiam encontrar outros pastores. Eles então tentaram forçá-lo a se converter ao islamismo.

Quando ele se recusou a renunciar a Jesus Cristo, os jihadistas o martirizaram. A vida de sua esposa foi poupada. Ela lembra que os militantes haviam pronunciado uma frase local conhecida usada quando pretendem matar cristãos, mas poupando muçulmanos.

No mesmo dia, militantes do ADF assassinaram pelo menos 30 pessoas em uma série de ataques a quatro aldeias da região de Beni. A área tem sofrido uma onda de violência desde outubro de 2019, quando o exército lançou uma ofensiva em larga escala contra os rebeldes.

Um contato do Barnabas Fund disse que o aumento da violência no ADF levou os cristãos a fugir. Ele disse que algumas igrejas podem não ser capazes de realizar os cultos de domingo porque os pastores deixaram a área. Outro contato disse que os líderes da igreja clamavam por oração e "pediam paz para o país e província".

Fonte: Guia-Me

“Não aceitamos um Evangelho adaptável a esse mundo”, diz Silas Malafaia no The Send

"Não aceitamos um Evangelho adaptável a esse mundo", diz Silas Malafaia no The Send

Em sua ministração no The Send no sábado (8), o pastor Silas Malafaia lembrou que “não vamos transformar essa geração se primeiro não formos transformados pelo Evangelho”.

Falando a uma multidão no Estádio do Morumbi, Malafaia observou que a luz não brilha onde há luz, mas sim onde há trevas. “Se vida cristã é duas horas de culto na igreja, o nosso cristianismo está falido”, disse.

O pastor também fez uma comparação sobre a devoção religiosa característica entre os muçulmanos, e a falta dela entre os evangélicos.

“Jovens muçulmanos vão para as universidades na Europa, passam lá entre cinco e dez anos, e quando voltam para as suas nações, voltam muçulmanos. Nada muda a crença e os valores deles. Jovens evangélicos brasileiros estão indo para as universidades e, três meses depois ouvindo professores humanistas, ateístas e esquerdopatas, voltam contaminados, duvidando de crenças, valores, de Deus, chamando o pastor de fascista e homofóbico”, observou.

“O movimento muçulmano vai do radical para o mais radical. O muçulmano não abre mão, nem por uma vírgula, de seus princípios. Sabe o que está acontecendo com a Igreja? Estamos indo da verdade do Evangelho para o leviano. Um Evangelho que é adaptável a esse mundo, [digo] não — mil vezes não”, acrescentou o pastor.

Malafaia deu uma mensagem de incentivo para os universitários cristãos no Brasil: “Quando você chega na universidade e você é luz, o primeiro impacto é o deboche. Vão ridicularizar você, vão zombar de você e vão isolar você. À medida que o seu testemunho começa a contagiar, os que zombam vão ver que você tem alguma coisa diferente”.

“Não é você que tem que ser atraído por esse mundo, é você que atrai o mundo pelo poder do Evangelho”, destacou o pastor.

Fonte: Guia-Me

Pastor de Wuhan diz que surto de coronavírus é “oportunidade de proclamar o Evangelho”

Pastor de Wuhan diz que surto de coronavírus é "oportunidade de proclamar o evangelho"

Um pastor anônimo em Wuhan, na China, escreveu uma carta para a Igreja global descrevendo como é deixar sua casa sem saber se você contrairá o coronavírus e se viverá por muito tempo.

Ele é um entre milhões de cidadãos chineses em confinamento completo na tentativa de conter a doença.

Enquanto ele diz que a China está sofrendo, ele acredita que algo maior está acontecendo, dizendo que é hora de os cristãos proclamarem o Evangelho em um país onde sua fé está sob fogo.

Leia a carta completa abaixo:

Carta de um pastor de Wuhan

Irmãos e irmãs, a paz esteja com vocês:

Nos últimos dias, a pneumonia (causada pelo vírus corona) esteve no centro dos meus pensamentos e da minha vida. (Eu estou) sempre assistindo as últimas notícias e sempre pensando em como nossa família e a igreja devem enfrentar isso.

Quanto à família, juntei máscaras e gêneros alimentícios e me arrisquei ao ar livre o menos possível. Ao me aventurar em público, usei uma máscara, mas, quanto ao resto, coloquei-a nas mãos do Senhor.

Quanto à igreja, a segurança da congregação, que é uma testemunha fiel, a possibilidade de os membros contraírem a doença se tornaram uma grande área de luta. É prontamente aparente que estamos enfrentando um teste de nossa fé.

A situação é tão crítica, mas confiamos nas promessas do Senhor, que seus pensamentos para conosco são de paz, e não de mal (Jeremias 29:11), e que ele permita um tempo de provação, para não nos destruir, mas para nos estabelecer. Portanto, os cristãos não devem apenas sofrer com as pessoas desta cidade, mas temos a responsabilidade de orar por aqueles que têm medo nesta cidade e de lhes trazer a paz de Cristo.

Primeiro, devemos buscar a paz de Cristo para reinar em seus corações (Hebreus 3:15). Cristo já nos deu sua paz, mas sua paz não é para nos remover do desastre e da morte, mas antes para ter paz no meio do desastre e da morte, porque Cristo já superou essas coisas (João 14:27, 16:33). Caso contrário, não creríamos no Evangelho da paz (Efésios 6:15) e, com o mundo, ficaríamos aterrorizados com a pestilência e perderíamos a esperança diante da morte.

Por que apenas os cristãos têm essa paz? Por causa do pecado, os seres humanos merecem as provações e tribulações que os derrubam, Jeová diz: “Os iníquos não têm paz” (Isaías 48:22). Todos éramos pecadores, mas Cristo, por causa da fé, tomou nossa penalidade e nos deu a paz dele. Portanto, Paulo diz: “Quem pode apresentar uma acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica.” (Romanos 8:33). Os cristãos podem enfrentar o mundo com as mesmas tribulações, mas essas tribulações não são mais um castigo, mas uma nova oportunidade de crescer mais perto do Todo-Poderoso, de purificar nossas almas e uma oportunidade de proclamar o Evangelho.

Em outras palavras, quando um desastre nos atinge, é apenas uma forma do amor de Deus. E, como Paulo acreditava firmemente, "quem nos separará do amor de Cristo? Será que tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo ou espada? ... em todas essas coisas somos mais do que vencedores por aquele que nos ama, pois tenho certeza de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os governantes, nem as coisas presentes nem as coisas vindouras, nem os poderes, nem a altura nem a profundidade, nem qualquer outra coisa em toda a criação serão capazes de nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Romanos 8: 35-39).

Falada hoje, a pestilência de Wuhan não pode nos separar do amor de Cristo; esse amor está em nosso Senhor Jesus Cristo. Essas palavras são tão reconfortantes para nós que já nos tornamos um corpo com Cristo. Nós temos uma parte em seus sofrimentos e uma parte em sua glória, tudo de Cristo é nosso, e nosso tudo é de Cristo. Portanto, Cristo está conosco quando enfrentamos a pestilência nesta cidade; a peste não pode nos prejudicar. Se morrermos na peste, é uma oportunidade de testemunhar a Cristo e ainda mais para entrar em sua glória.

Assim, meus irmãos e irmãs, encorajo vocês a serem fortes no amor de Cristo. Se experimentarmos mais profundamente a morte nesta peste, entendendo o Evangelho, podemos experimentar mais profundamente o amor de Cristo e nos tornar cada vez mais próximos de Deus. Nosso Senhor Jesus, pela fé, experimentou um sofrimento incomparável da morte, mas Deus o ressuscitou dentre os mortos e o sentou à sua mão direita. (Atos 2: 32-36)

Se, ao ler essas verdades, você ainda não tem paz, encorajo-o a ler diligentemente as Escrituras citadas acima e a pedir ao Senhor que lhe dê uma visão até que a paz de Cristo reine em seu coração. Você deve saber que isso não é apenas um desastre observável, mas ainda mais, é uma luta espiritual. Você deve primeiro travar uma batalha por seu coração, e secundariamente lutar pela alma desta cidade.

Esperamos sinceramente que você saiba que nem um pardal cai sem a vontade do Pai (Mateus 10:29). Com tantas almas enfrentando pestilência, pode estar fora da vontade de Deus? Tudo o que estamos experimentando, não é como Abraão enfrentando Sodoma, e Jonas enfrentando Nínive?

Se Deus, por causa de um homem justo, reteve o julgamento em Sodoma, ou por causa de 120.000 que não conheciam a mão esquerda da sua direita, reteve a destruição, o que dizer da cidade de Wuhan em que vivemos? Nós somos claramente os justos nesta cidade, muito mais do que uma única pessoa justa, existem milhares e milhares de nós. Ainda assim, podemos gostar de Ló estar entristecidos por todos os que estão nesta cidade (1 Pedro 2: 7), e como Abraão, que orou sinceramente por Sodoma (Gênesis 18: 23-33). Veja bem, Jonas proclamou com dificuldade o Evangelho a Nínive, e Nínive se arrependeu e foi salvo. Nós somos Abraão e Jonas desta cidade. Devemos orar pela misericórdia de Deus sobre esta cidade e trazer paz a essa cidade através de nossas orações e testemunhos.

Eu acredito que este é o mandamento de Deus chamando aqueles de nós que vivem em Wuhan. Devemos buscar paz para esta cidade, buscar paz para aqueles que sofrem com esta doença, buscar paz para as equipes médicas que lutam nas linhas de frente, buscar paz para todos os funcionários do governo em todos os níveis, buscar paz para todo o povo de Wuhan! E podemos, por meio de redes online, guiar e confortar nossos amigos e entes queridos com o Evangelho, lembrando-lhes que nossas vidas não estão em nossas próprias mãos e confiar suas vidas a Deus que é fiel e verdadeiro.

Nos últimos dias, recebi muitas perguntas de pastores estrangeiros. Eles e toda a igreja estão preocupados com esta cidade, ainda mais por nós; e enfrentando essa epidemia, procure servir a cidade conosco.

Assim, peço especialmente que voltem os olhos para Jesus. E não se preocupe com meu bem-estar, nem fique agitado ou com medo, mas ore em nome de Jesus. Pessoas de bom coração são através de suas ações que servem a cidade, especialmente o pessoal médico que está arriscando suas próprias vidas. Se eles podem assumir responsabilidades tão mundanas, como não podemos assumir mais prontamente responsabilidades espirituais!

Se você não sente a responsabilidade de orar, peça ao Senhor uma alma amorosa, um coração fervorosamente orador; se você não está chorando, peça ao Senhor lágrimas. Porque certamente sabemos que somente pela esperança da misericórdia do Senhor esta cidade será salva.

Um Pastor Wuhan

Fonte: Guia-Me

“O The Send não é o avivamento em si mesmo, mas iniciou um mover”, diz Luiz Hermínio

"O The Send não é o avivamento em si mesmo, mas iniciou um mover", diz Luis Hermínio

O pastor Luiz Hermínio incentivou os cristãos a começarem a viver o avivamento em seu momento secreto com Deus, em ministração no The Send Brasil no último sábado (8).

“Você é a resposta para um país, você é a resposta para um povo. A criação aguarda com expectativa pela manifestação dos filhos de Deus. Ela aguarda a manifestação, não é a exibição. Não vamos exibir, mas vamos manifestar a Sua Glória”, disse Hermínio ao público do Allianz Parque, em São Paulo.

Antes disso acontecer, no entanto, ele avisa: “Você não pode chegar em um lugar e simplesmente implantar uma igreja. Você vai precisar de alguns elementos quando Deus começar a enviar você”.

Luiz Hermínio explicou que Deus fez a criação com quatro elementos: terra, água, ar e fogo. Fazendo comparação aos elementos, ele lembra que o homem foi formado do pó da terra, recebeu o sopro de vida e teve quase 80% do organismo composto por água. O único elemento que faltava era o fogo.

“Aí João Batista apareceu no deserto e disse: ‘Eu os batizo com água, mas depois de mim vem alguém mais poderoso do que eu, que os batizará com o Espírito Santo e com fogo (Mateus 3:11)’”, disse o pastor.

“Há um lugar que o fogo nunca dorme e o fogo nunca apaga. Eu procurei fogo em muitos lugares, eu já corri atrás de avivamento em muitas nações, mas aí eu entrei no meu quarto, dobrei meu joelho e olhei firmemente para Jesus, que é o autor e consumador da nossa fé. Quando eu fitei meus olhos Nele, aquele fogo entrou aqui dentro e nunca mais apagou”, disse Hermínio.

“Não corra atrás do incêndio, seja você o incendiário”, destacou o pastor. “Há um lugar que vai incendiar a sua vida, são os olhos de Jesus. Não deixe apagar o pavio que fumega”.

“Não deixe a tristeza, o medo, a incredulidade ou a necessidade apagar o fogo. Mesmo sem recursos, mesmo sem condições. Porque se o dinheiro não te move, ele não tem poder para te parar. Só tem poder para te parar, aquilo que te move”, acrescentou.

No domingo (9), Luiz Hermínio falou sobre o impacto do The Send em suas redes sociais. “O The Send não é o fim em si mesmo, mas foi um trabalho de iniciar um grande mover de Deus para a nossa nação. Nós presenciamos muito arrependimento, presenciamos muitos milagres, muitas pessoas levantando da cadeira de roda, nós fomos muito abençoados”, disse.

“Foi muito forte o que Deus fez. Sabemos que existem algumas críticas, mas oramos e jejuamos por isso há muito tempo. Sabemos que startou. O The Send não é o avivamento em si mesmo, mas serviu [para esse propósito]. O objetivo foi levar o povo à leitura bíblica, ao jejum, à oração e adoração, levar o povo ao Evangelho genuíno. Ficou marcado em minha história”.

Fonte: Guia-Me

“O Brasil está em um despertar espiritual”, diz líder da JOCUM no The Send

"O Brasil está em um despertar espiritual", diz líder da JOCUM no The Send

O missionário Andy Byrd, um dos líderes do Jovens Com Uma Missão (JOCUM), incentivou a Igreja Brasileira a se engajar na obra missionária, durante ministração no The Send no sábado (8).

“Brasil, você é ungido para tocar o mundo todo”, disse Byrd a milhares de pessoas no Estádio do Morumbi. “Brasil, você já é a segunda nação que mais envia missionários em todo o mundo. Mas quantos aqui creem hoje que o Brasil vai enviar mais missionários do que qualquer outra nação na história?”

“Brasil, chegou a sua hora! A colheita está pronta e, no Brasil, os trabalhadores estão se levantando”, declarou o missionário.

Byrd citou dados de agências missionários, que indicam que mais de 3 bilhões de pessoas pelo mundo não tiveram a oportunidade de ouvir o Evangelho em suas localizações. Diante disso, ele desafiou: “Será que é o Brasil que vai ter a herança do último grupo de pessoas não alcançadas em toda a Terra?”

Ele também citou os dados do último Censo do IBGE, indicando que há 60 milhões de evangélicos no Brasil. “O Brasil está num despertar espiritual”, observou. “Você é fruto e também é catalisador para isso. Será que o Brasil pode dar 1% do seu povo, da sua nova geração, para as nações da Terra?”

“Se o Brasil fizesse isso, teríamos hoje 600 mil novos missionários. Hoje só existem 420 mil missionários em todo o mundo. Somente o Brasil, poderia mandar mais missionários do que todas as outras nações da Terra juntos. Essa é a sua hora de levar o Evangelho para lugares onde ele nunca foi antes”, completou.

Em ministração mais cedo, Andy Byrd orou e profetizou mudanças na Igreja Brasileira: “Quando Jesus vem, as mídias sociais não são mais seu deus, a popularidade não é mais seu deus. Quando Jesus vem, Jesus é o Senhor”.

“Nós declaramos, Brasil, o fim da vida dupla! Não vivemos mais de um jeito no domingo, e outro na segunda. Não somos mais de um jeito quando ninguém vê, e de outro quando todo mundo vê. Nós declaramos guerra contra a vida dupla hoje”, disse o missionário.

“Hoje nós declaramos que, na Igreja, a competição vai se encerrar. Igreja Brasileira, nós declaramos, a divisão está quebrada. Nós declaramos sobre a Igreja: a fofoca, a murmuração e a crítica estão encerradas. Declaramos hoje uma igreja unificada no Brasil. Nós declaramos hoje um Evangelho puro, uma vida de santidade”, acrescentou Byrd.

Fonte: Guia-Me

“Deus quer levantar cristãos dispostos a adotar crianças”, diz Todd White no The Send

"Deus quer levantar cristãos dispostos a adotar crianças", diz Todd White no The Send

Adoção foi um tema de destaque no The Send Brasil no sábado (8). Em sua ministração, o pastor americano Todd White também foi um dos incentivadores da prática.

Todd White disse que, há três anos, ele e sua esposa adotaram um menino que já nasceu viciado em heroína. “Ele era completamente viciado em heroína. Ele nasceu do ventre já tremendo”, contou.

Hoje, Azuriah tem 3 anos de idade e está “100% saudável e curado”. Todd disse também que há sete meses adotou mais um menino, Asher, que já tem 7 meses de idade.

Aos 50 anos de idade, o evangelista disse que nunca tinha sentido o desejo de adotar antes, mas recebeu “o espírito de adoção” sobre sua vida.

“Deus quer levantar homens e mulheres cristãos que estarão dispostos a abrir os seus braços e adotar bebês e crianças que não têm um lar. A Bíblia diz que a religião pura é essa: cuidar dos órfãos e das viúvas e se manter completamente intocado pelo mundo”, disse Todd, em referência a Tiago 1:27.

“O Pai colocou o espírito de adoção em mim e me levou a tomar conta de bebês que não tem pai ou mãe. A minha pergunta hoje é: quem de vocês diria ‘eu vou me levantar’ e vou considerar a adoção?”, perguntou ao público.

No The Send Brasil, 13.272 pessoas disseram que estão dispostas a adotar órfãos, segundo dados da organização.

“Esse agora é o novo normal. A adoção é para os heróis. Isso mudou minha vida de uma forma completa”, disse o evangelista. “Porque quando você se torna um apaixonado por Jesus, você também se torna apaixonado por crianças”.

Fonte: Guia-Me

Francis Chan: “Não dá para ficar criticando sermões, enquanto muitos não conhecem Jesus”

Francis Chan "Não dá para ficar criticando sermões, enquanto muitos não conhecem Jesus"

Em ministração no The Send Brasil no sábado (8) o pastor americano Francis Chan observou que muitos cristãos estão preocupados com sua vida terrena, inclusive quando se trata das questões da igreja.

“Nós precisamos de uma geração que está disposta a ir para qualquer lugar. Uma geração que considera que sua vida não tem valor algum, a não ser o valor de poder usar seus lábios para falar de Jesus”, disse Chan a milhares de pessoas no Estádio do Morumbi.

Francis contou que mora em São Francisco, na Califórnia — um lugar onde as pessoas são exigentes com comida. Mas ele se deparou com outra realidade no ano passado, quando visitou um acampamento com milhares de pessoas desabrigadas na África.

“Quando a minha van entrou naquele lugar, eu vi uma mulher que gritava muito alto. Foi o grito mais alto que já ouvi na minha vida. Eu olhei para os pés dela e vi seu filho ali. Ele parecia um esqueleto, só havia pele e osso”, contou. “Eu olhava para aquele mar de pessoas famintas e pensava: ‘Eu tenho que fazer algo’”.

“Foi muito difícil voltar para São Francisco e ser exigente com comida. É difícil ser exigente com comida quando você sabe que tem gente que passa fome”, continuou o pastor.

Francis fez um alerta: “Agora mesmo a Igreja está cheia daqueles que são exigentes com comida espiritual. Nós ouvimos sermão atrás de sermão. Nós criticamos ‘eu gosto mais desta pregação do que daquela’, ‘eu gosto mais desta banda do que da outra’. Enquanto isso, há pessoas morrendo sem ouvir falar de Jesus. Isso não é justo!”.

“Não dá para ficar sentado, criticando sermões, quando tem gente que não sabe quem é Jesus”, destacou o pastor.

Fonte: Guia-Me