Homem é liberto do alcoolismo e se torna pastor: ‘Deus transforma qualquer pessoa’

Nenhum comentário
Homem é liberto do alcoolismo e se torna pastor: 'Deus transforma qualquer pessoa'

Mahlon LeCroix é um ex-alcoólatra que esteve mergulhado no vício durante muitos anos, o que o fez tatuar a marca do AA (Alcoólicos Anônimos) em seu braço esquerdo.

“Eles disseram: 'Você é alcoólatra e tem que admitir que é alcoólatra', então eu tatuei isso em mim porque não acreditava nisso, mesmo tendo perdido minha casa, meu emprego, meu carro e ter sido preso por beber”, disse LeCroix sobre a tatuagem.

O homem, que esteve em reabilitação três vezes e passou um ano e meio em duas casas de recuperação, hoje está transformado por determinação e fé em Jesus.

Hoje ele traz seu testemunho e a mensagem de esperança, recuperação, amor e redenção para Priceville, no Alabama, onde assume como pastor de uma Igreja Batista local.

"Se Deus pode mudar a vida de um homem miserável como eu, um homem que o mundo praticamente trancou e jogou fora a chave, Deus pode fazer isso por qualquer pessoa", conta LeCroix.

Aos 39 anos, LeCroix diz que não esconde sua trajetória de vícios, mas conta para as pessoas saberem o que Deus fez em sua vida. “Eu falo às pessoas sobre as coisas ruins para poder contar a elas a melhor coisa que já aconteceu comigo: ser salvo por Deus”, diz.

Ele conta que sua vida toda participou da igreja, mas só se entregou de verdade a Jesus na vida adulta. "Eu acreditava em Deus e dizia às pessoas que eu era cristão, mas não vivia [como se fosse]. Não fui salvo até os 27 anos", conta.

Longe da fé

Depois de se formar no colegial, ele parou de frequentar a igreja. Amante da ciência, LeCroix estudou tecnologia cirúrgica e trabalhou em um centro médico como assistente cirúrgico.

Nessa época, o hábito de beber aumentou de um ou dois drinques após o trabalho para três ou quatro por noite, passando a ir ao hospital de ressaca todos os dias.

“Minhas mãos tremiam. Um dia, lembro-me de pensar: 'A única maneira de parar o tremor era tomar outra bebida'. Comecei a beber o dia todo. Eu vivi em um estado de blecaute por um ano. Não me lembro de muita coisa. Minha mente se foi. Minha esposa me disse que eu ficaria no chão da casa por semanas”, lembra LeCroix.

Ele perdeu o emprego, o carro, a casa e se separou da esposa e do filho recém-nascido. Pensamentos de tirar a própria vida entraram em sua mente.

"Eu não queria mais viver porque, por mais que tentasse, não conseguia parar de beber", disse LeCroix.

Novo caminho

Desesperado, sozinho e sem esperança, LeCroix voltou-se para o lugar que lembrava de ser feliz quando criança, a igreja. Era uma noite de quarta-feira quando ele entrou na Igreja Batista, o lugar onde, futuramente, ele seria separado para o ministério e ordenado.

“Quando entrei, estava bêbado. Mas, porque aquela pequena igreja rural abriu suas portas para mim, minha vida mudou”, disse LeCroix. “Lembro de orar com o pastor e dizer a Cristo: 'Não tenho nada para lhe dar. Se você quer minha vida, pode ter, eu não quero. Se você pode fazer algo com isso, faça algo com isso.'"

Com o pouco dinheiro que tinha, LeCroix comprou uma Bíblia e comentários e começou a estudar um capítulo de cada vez.

“Eu lia um capítulo da Bíblia e depois lia um capítulo no comentário para entendê-lo. Foi como, oh, é isso que isso significa. Foi assim que comecei a fazer devoções. Eu estava gostando de aprender, e as pessoas estavam realmente recebendo algo de mim. Pela primeira vez em muito tempo, me senti útil novamente. Eu acreditava que Deus poderia me usar”, disse LeCroix.

Para apoiar sua batalha contra o vício, LeCroix se mudou para Opelika, onde viveu por um ano no Harvest Evangelism, um centro de recuperação residencial para homens.

Lá, ele acordou às 5 da manhã, aprendeu a viver uma vida sóbria, trabalhou como pai e marido e liderou devoções diárias.

“Todo mundo teve uma rotação de fazer devoções. Muitos caras não queriam fazer devoções. Eu não tinha mais nada, então me ofereci para fazer suas devoções. Eu queria aprender mais. Meu ano lá me deu o desejo de fazer um ministério para ajudar viciados e alcoólatras”, disse LeCroix.

Renovar votos

Antes de deixar o Harvest Evangelism para o Colégio Batista da Flórida em Graceville, LeCroix e sua esposa, Ashley, renovaram seus votos. Durante a cerimônia, ele lavou os pés dela e prometeu servi-la e apoiá-la.

Na faculdade, LeCroix, o homem da ciência, medicina e provas físicas, encontrou razões para acreditar no cristianismo.

"Eu sempre soube que havia um Deus, simplesmente não entrei em toda a parte do cristianismo. Eu pensei que era como mitologia”, disse LeCroix. “Na faculdade, vi evidências de tudo. Como Paulo pode deixar de ser a pessoa mais cruel contra o cristianismo para se tornar o maior campeão da noite para o dia? Isso não faz sentido, a menos que ele tenha visto o Cristo ressuscitado. Como um bêbado apagão se torna pastor?”.

LeCroix foi ordenado diácono, deu aulas na Escola Dominical e substituiu o pregador antes de ser chamado para pastor na Igreja Batista Beulah Anna, na Flórida. Mais recentemente, ele serviu em Pleasant Ridge Baptist, no Condado de Walton, Flórida, onde a congregação cresceu de 40 pessoas para mais de 120 em dois anos.

"Senti Deus me puxando"

Sair da Flórida, onde LeCroix ajudou a treinar futebol e tênis no ensino médio e se tornou parte da comunidade, no norte do Alabama, onde as pessoas se lembraram de LeCroix como ele era antes de se salvar, foi uma decisão difícil.

“Voltar foi difícil, porque eu tinha todas essas memórias. Eu estava confortável na Flórida, porque as pessoas não sabiam quem eu era. Isso tem sido uma luta para mim. Mas senti Deus me puxando de volta para cá e onde Deus chama, eu seguirei”, disse LeCroix.

Em dezembro, LeCroix se mudou para Priceville com sua esposa e filhos, Sam e Maggie.

LeCroix espera se envolver na comunidade e expandir os programas de extensão da igreja.

“Estamos aqui para servir e amar a comunidade. Queremos contar à comunidade as coisas incríveis que Deus está fazendo”, disse LeCroix.

Fonte: Guia-Me

Nenhum comentário

Postar um comentário