Com 44 anos de casados, pastores aconselham: “Troque a separação pela superação”

Nenhum comentário
Com 44 anos de casados, pastores aconselham: “Troque a separação pela superação”

“Troque a palavra separação por superação”. Com essa filosofia e uma vida alicerçada em Jesus, o pastor Joel Engel e sua esposa, Mara Engel, completam 44 anos de casados na sexta-feira (11), véspera do Dia dos Namorados.

“Em tempos de crise, a palavra é superar. A separação pode até resolver um problema do casal, mas traz um problema insolúvel para os filhos. O casal pode superar a dor da separação, mas os filhos talvez nunca superem”, disse Engel ao Guiame.

Joel e Mara colhem os frutos de uma vida em união, mas a vida a dois nem sempre foi fácil.

Joel tinha 16 anos quando conheceu Mara, na época com 12 anos, em um supermercado do Rio Grande do Sul. Os dois se aproximaram e começaram a namorar — em um relacionamento um tanto turbulento.

Na época, Joel bebia muito e se metia em muitas brigas. Mara era uma moça decente e ligada à família. “Foi esse relacionamento que me fez pensar melhor na vida”, conta Joel. “Ela foi um anjo de Deus para mudar a forma como eu estava caminhando.”

Joel e Mara se casaram aos 22 e 19 anos de idade, respectivamente. Eles tiveram algumas realizações — como o início do negócio próprio e o nascimento do primeiro filho — mas também turbulências. 

Mara ficou gravemente doente e chegou a ficar internada por um ano e meio. Nesse período, os dois buscaram muitas religiões, mas encontraram a resposta em Jesus.

Depois da conversão do casal, Joel prontamente recebeu o chamado para o ministério e, para isso, teria que abrir mão de sua empresa. Preocupada com a estabilidade da família, Mara resistiu à mudança.

“Quando fui chamado, quase nos separamos, porque ela não queria deixar tudo para seguir Jesus”, lembra Joel. “No monte, eu orava para que ela aceitasse essa nova vida. Mas nós tínhamos um filho e ela sempre foi muito responsável”.

Foram dois anos de muitos conflitos, até que Mara resolveu começar a dar andamento no processo de divórcio. Tudo mudou quando ela foi visitada pelo Espírito Santo em seu quarto, e também aceitou viver o chamado com seu esposo.

“Os primeiros anos foram uma prova de fogo que parecia que não ia chegar no final. Mas quando Jesus entrou no casamento, Ele garantiu a permanência e a aliança não foi quebrada”, disse Joel. “A partir desse momento, nosso casamento foi sobrenatural.”

Quando aceitaram o chamado ministerial e renunciaram a vida de empresários, Joel e Mara passaram a morar numa casa emprestada, muito humilde, na cidade de Faxinal do Soturno (RS). Mesmo com as dificuldades, o casamento foi amadurecendo.

“Foi uma caminhada em que os pés sangraram, mas Deus deixou um rastro de luz por onde passamos. Cada luta nos deixou mais amigos, mais companheiros, mais cúmplices”, observa o pastor. “Sem falar que somos super diferentes um do outro. É uma prova de amor todos os dias”, ele ri.

Por isso, Joel aconselha que as crises devem ser enfrentadas superando, e não separando: “O amor é como o ouro. Quanto mais fogo, mais provado e mais valioso”.

Para Mara, o coração misericordioso do marido foi essencial nos dias de dificuldade. “Uma das coisas que sempre manteve nosso casamento unido é a nobreza do Joel. Quando eu achava que não tinha mais solução, ele agia de forma incrível. Quando a gente desanimava, ele via as coisas boas que tínhamos passado juntos”, ela afirma.

“No papel de marido, ele sempre foi perdoador e compreensível. Deus usou ele para manter esse casamento estável e saudável”, destaca Mara.

Superando e não separando 

O tempo, o crescimento em Deus e a dedicação um ao outro levou o casamento a um nível maior de maturidade. Joel diz que depois de 21 anos de casados, após muitos ajustes, “não houve mais desacertos, e sim concertos”. 

“Não ficou só no amor eros, o amor ágape começou a ser formado”, afirma. “Ela se tornou uma pastora que dá sua vida pelas ovelhas. Nunca reclamou de onde morava ou dormia. Passamos mais de 40 anos sem ter uma propriedade e ela nunca reclamou disso. Sempre mudando de cidade, iniciando obras e enfrentando muitas lutas”.

Com o passar dos anos, a família que começou com 2 pessoas se multiplicou em 12, entre filhos, noras, genro e netos. Para Joel e Mara, este é o fruto da aliança do casal com Deus.

“Toda a família está no altar. Todos os nossos filhos são pregadores, os cônjuges servem na obra de Deus e os netos já dão frutos na obra. A construção dessa grande família nos faz sentir realizados”, afirma Joel.

Mara reconhece a importância do marido na formação da família. “O Joel sempre ensinou seus filhos sem gritar ou bater. Ele sempre teve uma palavra de sabedoria na hora de ensinar. Ele nunca agiu por imposição, mas por conscientização”, observa.

“Ele sempre assumiu minhas culpas e as culpas dos filhos diante de Deus. Sempre nos deu muita segurança e foi na frente. Ele sabe o que nós precisamos. Ele não nos deixa ficar inseguros ou desconcertados”, acrescenta Mara, emocionada.

Falando aos casais que lutam para manter um casamento firme e formar o caráter dos filhos, o pastor Joel alerta:

“Se o casamento não é saudável, ou se apenas um dos pais cria o filho, sempre haverá uma deficiência na vida da criança. É muito difícil que o filho tenha uma vida regrada e reta diante de Deus”, lembra.

Por isso, ele afirma que é essencial que os filhos sejam formados pela vida devocional e ensinamento pelo exemplo. “Estude a Palavra e cumpra a palavra na frente dos filhos”, aconselha.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário