Franklin Graham critica governo Biden por hastear a bandeira LGBT na embaixada do Vaticano

Nenhum comentário
Franklin Graham critica governo Biden por hastear a bandeira LGBT na embaixada do Vaticano

A iniciativa do governo de Joe Biden de hastear a bandeira LGBT nas embaixadas americanas, em homenagem ao Mês do Orgulho LGBTQIA+, está sendo criticada por ser aplicada também no Vaticano, sede da Igreja Católica, da qual o presidente diz ser membro.

Semanas atrás, o governo dos Estados Unidos anunciou que deixaria a política da bandeira única do ex-presidente Donald Trump, que determinava que a bandeira americana fosse hasteada sozinha em frente aos postos diplomáticos americanos.

Em 1 de junho, uma imagem da bandeira LGBT em frente à embaixada dos EUA no Vaticano foi publicada no Twitter oficial do governo.

“A Embaixada dos Estados Unidos na Santa Sé celebra o #MêsdoOrgulho com a bandeira do Orgulho em exibição durante o mês de junho. Os Estados Unidos respeitam a dignidade e a igualdade das pessoas LGBTQI+. Os direitos LGBTQI + são direitos humanos”, diz a publicação.

Na quinta-feira (3), o pastor Franklin Graham criticou a iniciativa do governo Biden em um local de simbolismo religioso, afirmando que é uma “vergonha” para o Departamento de Estado dos EUA.

“Que insulto à Igreja Católica! Esta bandeira está promovendo uma agenda, não um país, e dar a ela o mesmo valor que a bandeira americana é errado. Parece que o governo Biden não tem limites sobre o quão longe eles irão para ofender a Igreja Católica”, disse o pastor. 

“O presidente Donald J. Trump tinha uma regra de bandeira única — apenas uma bandeira podia ser hasteada no mastro americano em nossas embaixadas — e essa era a bandeira americana. Não é assim que deveria ser?”, questionou.

Graham não foi o único crítico. O autor católico John McNichol disse que o governo Biden está demonstrando abertamente desrespeito pela Igreja Católica .

“Estou completamente enojado. Na minha opinião, dada a posição da fé católica sobre a atividade homossexual, tal ação tem menos em comum com a obtenção e promoção de direitos iguais para as pessoas do que um tapa na cara da fé católica por suas posições”, escreveu ele, de acordo com Life Site News.

“É, lamentavelmente, uma ação típica da hostilidade do atual governo americano ao catolicismo autêntico”, escreveu ele, acrescentando que o ataque aos católicos agora tem um tom partidário.

“O que é mais preocupante é que os minions do Partido Democrata agora se sentem confortáveis ​​em apontar o dedo proverbial para o Vaticano. Não consigo pensar em outro grupo ou nação que fosse tão abertamente visado e abertamente desrespeitado por seus pontos de vista ou políticas. O governo Biden vai hastear a bandeira da Anistia Internacional, do Tibete Livre ou de outros símbolos semelhantes nas embaixadas americanas na China? Acho que não.”

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário