Pastores são presos em Cuba após repressão do governo por protestos

Nenhum comentário
Pastores são presos em Cuba após repressão do governo por protestos

O Seminário Bíblico William Carey denunciou a prisão de dois pastores, membros de sua equipe de professores, após as manifestações ocorridas em Cuba no domingo (11).

O Seminário Carey é uma instituição evangélica com presença em vários países e tem realizado um amplo trabalho de implantação em Cuba.

Em um comunicado na terça-feira (13), o seminário atualizou informações sobre os pastores Yéremi Blanco Ramírez e Yarian Sierra, da filial na cidade de Matanzas, que permanecem detidos.

“Eles estão presos em uma ala do presídio feminino da cidade de Matanzas”, relatou o pastor Jatniel Pérez, do Seminário Carey. “Hoje as esposas dos dois irmãos puderam levar escova de dente, pasta de dente, sabonete, roupa de cama, roupa íntima e camiseta. Só isso. Essas coisas para os sete dias que devem ficar presos sob interrogatório e desequilíbrio brutal. Sem nenhum tipo de higiene”.

O pastor Jatniel Pérez lamentou a situação, demonstrando especial preocupação por Yéremi Blanco, “que sofre de asma brônquica”. Além disso, o responsável pelo seminário teme que também ele possa ser infectado com a Covid-19.

Denúncia e pedido de oração

“Por que dois pastores foram presos como criminosos pelo simples fato de assistir a uma manifestação pacífica? Responsabilizo o governo de Cuba e seu presidente Miguel Díaz Canel”, acrescenta Pérez.

O pastor Jatniel também denuncia que não tem permissão para sair de casa, onde está sendo vigiado por uma viatura. “Não pude ir para a família deles porque eles não me deixaram sair”, diz ele.

Pérez conclui sua mensagem pedindo apoio às organizações internacionais na libertação dos pastores. “Tememos por suas vidas”, disse ele.

O Seminário Carey tem ampla presença em Cuba, com 146 alunos em onze cidades. A maioria são pastores. O local teve sua primeira formatura este ano, embora o governo não tenha permitido a realização de nenhuma cerimônia.

Outros religiosos detidos

De acordo com a Christian Solidarity Worldwide, houve mais prisões e episódios violentos contra líderes religiosos após as manifestações de domingo.

Pelo menos dois outros líderes religiosos foram presos em 11 de julho, entre eles o padre Castor José Álvarez Devesa, que foi espancado e detido na prisão de Montecarlo, em Camagüey, e o pastor Yusniel Pérez Montejo, membro da Convenção Batista Oriental de Cuba, detido na província de Santiago. 

O paradeiro do pastor Pérez Montejo ainda é desconhecido. O padre Castor foi libertado na tarde de segunda-feira (12) e está se recuperando em casa.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário