Mais 3 missionários sequestrados no Haiti são libertados; 12 permanecem em cativeiro

Nenhum comentário
Mais 3 missionários sequestrados no Haiti são libertados; 12 permanecem em cativeiro

Mais três missionários sequestrados por uma gangue no Haiti foram libertados, após quase dois meses do rapto. O anúncio foi dado pelo grupo dos cristãos, a Christian Aid Ministries, no domingo (5).

"Estamos gratos a Deus por mais três reféns terem sido libertados ontem à noite. Aqueles que foram libertados estão seguros e parecem estar de bom humor”, afirmou.

A identidade dos três missionários libertados não foi divulgada, assim como se algum resgate foi pago. Em novembro, outros dois missionários foram libertados pela gangue haitiana. 

De acordo com a Aid Ministries, os outros 12 missionários ainda permanecem em cativeiro. Na segunda-feira (6), a missão pediu oração e jejum, pelos próximos três dias, por aqueles que ainda estão reféns da gangue 400 Mowozo. 

“Por favor, continuem a interceder por aqueles que ainda estão detidos. Bem como aqueles que foram libertados”, disse.

Entenda o caso

Os 17 missionários e suas famílias foram sequestrados pela gangue 400 Mawozo em Porto Príncipe, no dia 16 de outubro. O sequestro aconteceu após o grupo deixar um orfanato situado a 30 km da capital haitiana.

Segundo a CNN Internacional, o grupo sequestrado é formado por cinco homens e sete mulheres, entre 18 e 48 anos, e cinco menores, entre 8 meses e 15 anos. Entre os cristãos, 16 são americanos e um é canadense.

Wilson Joseph, o líder da gangue 400 Mawozo, ameaçou matar os reféns caso o resgate de 95 milhões de reais não fosse pago. No dia 9 de novembro, um alto funcionário do governo Biden disse que havia evidências de que alguns estariam vivos.

Os missionários do Christian Aid Ministries atuavam em todo o Haiti, ajudando crianças em idade escolar, distribuindo Bíblias e literatura cristã, fornecendo remédios, capacitando pastores haitianos e doando alimentos para idosos e vulneráveis. 

Nos últimos meses, o grupo também trabalhava num projeto para reconstruir casas destruídas pelo terremoto, que atingiu o Haiti em agosto.

Fonte: Guiame

Nenhum comentário

Postar um comentário