Famoso pastor de megaigreja no Canadá renuncia após investigação revelar adultério e abuso de poder

Nenhum comentário
Famoso pastor de megaigreja no Canadá renuncia após investigação revelar adultério e abuso de poder

Bruxy Cavey, o pastor de uma das maiores megaigrejas do Canadá, The Meeting House, renunciou após uma investigação independente sobre alegações de má conduta sexual encomendada pela igreja em dezembro passado, concluindo que ele abusou de seu poder.

“O investigador determinou que Bruxy manteve um relacionamento sexual com a vítima, uma mulher adulta, em violação da política da The Meeting House e do Handbook of Faith and Life of Be in Christ Church of Canada”, disse Maggie John, presidente do conselho de supervisores da igreja, em um comunicado.

“O investigador também descobriu que o que se tornou uma relação sexual entre Bruxy e a vítima, que durou por um longo período de tempo, constituiu um abuso do poder e autoridade de Bruxy como membro do clero e equivalia a assédio sexual”.

Como resultado das descobertas, o conselho “decidiu por unanimidade pedir a Bruxy que se demitisse de seu cargo na The Meeting House com efeito imediato”.

Cavey apresentou sua renúncia em 3 de março, que os líderes da igreja aceitaram.

A notícia sobre Cavey, de 57 anos, autor de livros populares como “The End of Religion: Encountering the Subversive Spirituality of Jesus”, vem depois que ele ajudou a impulsionar a The Meeting House em sua ascensão ao status de megaigreja.

De acordo com o Handbook of Megachurches, a igreja teria cerca de 8.000 membros em 19 campi na maior área metropolitana de Toronto.

A confissão de Cavey

Em uma confissão postada em seu blog, Cavey pediu desculpas por manter seu pecado em segredo, mas disse que assim que foi questionado sobre suas ações pela liderança da igreja, ele confessou. Ele disse que a igreja pediu que ele não abordasse a situação publicamente até que uma investigação fosse conduzida.

“Quando a liderança da nossa igreja falou comigo pela primeira vez sobre isso, eu confessei. Pediram-me para não falar sobre isso publicamente até que uma investigação oficial e externa de terceiros pudesse ser concluída e nossos supervisores pudessem comunicar as descobertas”, escreveu ele.

Ele chamou suas ações de seu “maior fracasso” e “pecado mais sombrio”.

“Há alguns anos, tive um caso extraconjugal. Tenho vergonha até de escrever essas palavras e sinto muito que você tenha que lê-las. Esse relacionamento adúltero é meu maior fracasso, meu pecado mais sombrio, e assumo total responsabilidade por minhas ações”, disse Cavey. “Eu quebrei os laços de confiança com minha esposa, família e família da igreja, incluindo a mulher com quem me envolvi. Desculpe.”

Além de Cavey, a pastora da Meeting House, Danielle Strickland , anunciou esta semana que está se demitindo para “se solidarizar com a vítima de abuso”.

Na quarta-feira, Strickland postou um vídeo nas redes sociais onde leu uma declaração da mulher (identificada apenas pelo pseudônimo “Hagar”). A declaração começou respondendo a uma pergunta que alguém fez durante a reunião da igreja na cidade: “Isso não era apenas um caso?”

“A presidente executiva do conselho de supervisores, Maggie John, respondeu diretamente: ‘Não, o investigador descobriu que, dada a forma como o relacionamento começou, que era um relacionamento clero-conselheiro, Bruxy abusou de seu poder e autoridade e, como pastor, era responsável por garantir que ele não abusasse de seu poder e autoridade'”, disse Strickland. “Sinto que essa pergunta surgiu porque as descobertas não nomearam o abuso de poder e autoridade explicitamente pelo que é: abuso sexual do clero”.

“Isso começou durante um relacionamento de aconselhamento pastoral quando eu tinha 23 anos e ele 46”, diz o comunicado da mulher. “Eu estava em crise e confiava nele. Eu não consenti, nem pude, ter um relacionamento sexual com ele.”

O futuro da igreja sem Bruxy Cavey

A má conduta e a saída de Cavey afetarão sua denominação, Be In Christ Church of Canada (BIC), anteriormente Brethren in Christ. Em uma declaração ao Chirstianity Today, o diretor executivo da BIC, Charles Mashinter, disse que Be In Christ apoia a decisão da igreja de Cavey renunciar e também removeu suas credenciais pastorais.

A sede do Be In Christ está localizada no prédio da The Meeting House em Oakville, Ontário (junto com outra rede de raízes anabatistas chamada Jesus Collective). A igreja compõe a maior faixa de membros denominacionais da BIC e é responsável por dobrar seu tamanho nos últimos 20 anos.

Sob a liderança de Cavey, The Meeting House passou a ocupar um lugar de influência bastante incomum na paisagem cristã. Existem muito poucas megaigrejas Brethren – um banco de dados do Hartford Institute for Religion Research lista apenas quatro nos EUA – e todas as congregações tendem a ser muito menores no Canadá, onde a frequência aos cultos vem caindo há décadas e apenas 6% da população se considera evangélica.

“Em Ontário, você lutaria para encontrar um cristão evangélico que não tivesse ouvido falar de The Meeting House e Bruxy Cavey. É difícil saber o impacto imediato [das recentes revelações], mas geralmente é bastante devastador para a igreja no Canadá.”

Um membro do Strathroy comentou no Instagram que ela fez parte da The Meeting House a vida toda, tendo seguido os ensinamentos de Cavey desde os oito anos.

“A Meeting House sem Bruxy Cavey na frente sofrerá uma perda significativa, mas o legado de uma espiritualidade anabatista irreligiosa permanecerá”, disse Schuurman, que mora em Guelph, Ontário, e dirige uma rede cristã chamada Global Scholars Canada.

Schuurman considerou o que aconteceria quando Cavey eventualmente deixasse a igreja. Ele observou que os especialistas em pesquisa de megaigrejas concordam que menos de 5% dos pastores de megaigrejas de hoje terminam suas carreiras em “conflitos significativos”, como escândalos sexuais.

Mesmo no Canadá, onde Schuurman diz que eles não estão “criando personalidades de superpotências”, as revelações sobre a má conduta do clero parecem continuar a vir à tona ano após ano (alguns exemplos recentes e de alto perfil incluem Ravi Zacharias, Jean Vanier e Todd Bentley ).

Matt Miles, diretor executivo do Jesus Collective, rede de igrejas de raízes anabatistas, falou sobre a renúncia de Cavey, dizendo: “Também é importante reconhecer que este não é um incidente isolado no contexto da comunidade eclesiástica mais ampla. Abusos de poder e má conduta sexual são antitéticos ao modo de amor de Jesus e causaram profunda dor em muitas pessoas”.

A Meeting House, que optou por remover gravações dos sermões de Cavey de seu site como resultado de sua má conduta, disponibilizou conselheiros profissionais, além do cuidado pastoral na equipe, para aqueles na igreja que precisam de apoio extra enquanto processam as notícias e sua própria dor.

Fonte: Folha Gospel com informações de The Christian Today e Christianity Today

Nenhum comentário

Postar um comentário