Na Índia, um pastor é assassinado e outros 26 são ameaçados de morte

Nenhum comentário
Na Índia, um pastor é assassinado e outros 26 são ameaçados de morte

Antes do assassinato, o pastor Yalam Shankar, de Bijapur Chattisgarh, na Índia, recebeu ameaças constantes, por cartas e panfletos, para que interrompesse o ministério dirigido por ele na região. 

Como ele continuou pregando o Evangelho aos indianos, na noite de 17 de março, seu corpo foi encontrado esfaqueado. Os extremistas hindus que  assassinaram Shankar ameaçaram outros 26 pastores.

“Os cristãos da região estão com muito medo, pois também receberam ameaças", disse um dos líderes de uma cidade próxima. Ele explica que, mesmo temerosos, ainda estão se reunindo para os cultos. 

“É difícil, mas sabemos que teremos que enfrentar essas coisas e devemos nos preparar. Essa é a obra de Deus e não vamos negá-lo. Por favor, orem por nós para não desanimarmos”, disse ainda. 

Movimento Hindutva

A mídia local divulgou a morte de Shankar e levantou suspeitas de que os assassinos sejam seguidores do movimento Hindutva — ideologia política nacional que prioriza o absolutismo étnico. Para os indianos radicais, o ideal é que toda a população seja hindu.

“Não sabemos exatamente quem está por trás do assassinato do pastor, mas sabemos com certeza que precisamos desesperadamente de orações pelos líderes cristãos que residem nessas áreas, para que possam continuar nas comunidades praticando a fé cristã”, disse o pastor Heena que é parceiro da Portas Abertas.

Pastores continuam sendo atacados

Depois da morte do pastor Yalam Shankar, Heena também sofreu um ataque dos extremistas, no dia 23 de março. “Os líderes cristãos estão em situação vulnerável e os ataques têm sido comuns”, ele conta.

Conforme o líder, quando os criminosos não matam, eles fazem questão de deixar ferimentos “horríveis e duradouros”. 

“Recentemente, conheci um pastor que tinha marcas de ferimentos em todo o corpo por causa de um ataque de um grupo anticristão. Ele ficou com uma lesão grave na cabeça e na orelha, e perdeu parcialmente a audição após o ataque”, relatou.

Vivendo sob pressão

Antes de realizar os ataques, os moradores contam que os extremistas espalharam cartazes de advertência pelas estradas, perto de onde o pastor Shankar morava. 

Os comunicados avisavam que todos cultuassem as divindades tribais e diziam que os nativos de Bastar — um distrito que vive da agricultura e da criação de animais — deveriam adorar a água e a terra da floresta, de geração em geração.

Além disso, os avisos serviam de inspiração para que todos fossem contra aqueles que “destruíam os deuses e as deusas tribais”, referindo-se aos cristãos. Além de mencionarem os pastores, alertando que eles deveriam preservar a cultura local.

O pastor Heena faz um apelo a todos os cristãos espalhados pelo mundo: "Pedimos orações urgentes pelos 26 pastores cujas vidas estão sendo ameaçadas. O perigo é iminente. Precisamos nos colocar de joelhos por esses pastores”.

Fonte: Guiame com informações de Portas Abertas

Nenhum comentário

Postar um comentário