Líderes reagem a decisão da Suprema Corte que derruba aborto nos EUA

Nenhum comentário
Líderes reagem a decisão da Suprema Corte que derruba aborto nos EUA

A grande vitória conservadora na Suprema Corte dos Estados Unidos, que revogou a decisão histórica de 1973, Roe v. Wade, que liberou o aborto no país, causou reação de líderes evangélicos, que comemoraram a vitória da vida.

Em uma decisão de 6 a 3 divulgada nesta sexta-feira, 24 de junho, o tribunal superior concluiu que a decisão anterior em favor do aborto, bem como Planned Parenthood v. Casey , que permitiu erroneamente o assassinato de bebês em ventre materno.

“Realizada: A Constituição não confere o direito ao aborto; Roe e Casey são anulados; e a autoridade para regular o aborto é devolvida ao povo e seus representantes eleitos”, dizia o programa da opinião da maioria.

O pastor Walter Kim, presidente da Associação Nacional de Evangélicos, cuja organização apresentou um amicus brief em favor da lei do Mississippi, que permitiu a decisão da Suprema Corte, comentou a vitória.

“Deus é o autor da vida, e toda vida humana, desde a concepção até a morte, tem um valor inestimável”, disse Kim em um comunicado. “Sob Roe v. Wade , nossa capacidade de considerar políticas que protegem a vida no estágio mais vulnerável foi severamente limitada.

“Embora a decisão de Dobbs não resolva todas as questões sobre a política de aborto, ela remove um impedimento para considerar as preocupações pró-vida.”

Kim acrescentou que acredita que as pessoas “devem fazer todo o possível para apoiar mulheres e crianças vulneráveis ​​e honrar toda a vida”.

O reverendo Raphael Warnock, um membro democrata do Congresso que representa a Geórgia e também líder evangélico, divulgou um comunicado de imprensa para denunciar a derrubada de Roe pela Suprema Corte.

“A decisão da Suprema Corte de derrubar Roe v. Wade encerra uma proteção central para as mulheres tomarem suas próprias decisões de saúde e é um afastamento de nossos ideais americanos de reconhecer e proteger os direitos básicos”, afirmou Warnock.

“Nosso trabalho para restaurar o direito das mulheres de determinar e acessar seus próprios cuidados deve continuar. Eu nunca vou desistir dessa luta porque as mulheres devem poder tomar suas próprias decisões de saúde”, disse.

Warnock também disse acreditar que a decisão foi uma “decisão equivocada” que será “devastadora para mulheres e famílias na Geórgia e em todo o país”.

A evangelista Alveda King, da família de Martin Luther King Jr., uma ardente ativista pró-vida, enviou um comunicado de imprensa aos apoiadores por e-mail no qual expressou seu apoio à decisão da Suprema Corte.

“Por 49 anos, ‘nós, o povo’ tivemos que suportar uma decisão falha e inconstitucional da Suprema Corte que permitiu que juízes não eleitos criassem um direito nacional ao aborto que acabou levando a ações extremas, como abortos tardios, contra os nascituros. ”, afirmou ela.

“Hoje, a Suprema Corte revogou essa decisão com razão, enviando o poder de regular o aborto de volta às autoridades eleitas em nível estadual. Eu ansiei e orei por este dia. E continuarei lutando pela dignidade humana para todos – do útero ao túmulo”, disse.

Fonte: Gospel Prime com informações de NAE

Nenhum comentário

Postar um comentário