“Não devemos ‘reescrever a Bíblia’ para ‘acomodar’ o mundo”, afirma pastor

Nenhum comentário
“Não devemos ‘reescrever a Bíblia’ para ‘acomodar’ o mundo”, afirma pastor

O pastor e autor Alistair Begg pediu que os cristãos nos EUA mantenham uma visão de mundo bíblica, pois vivem em uma cultura que “rejeitou” suas crenças, dizendo que a igreja de hoje está sob constante pressão para afirmar o pecado e o secularismo.

Begg, a voz por trás das transmissões de rádio Truth for Life e pastor da Parkside Church em Cleveland, Ohio, fez os comentários nove dias depois que a Suprema Corte dos EUA anulou Roe v. Wade, a decisão de 1973 que legalizou o aborto em todo o país.

A decisão do tribunal superior e a reação contra ela, disse ele, destacou um grande choque de visões de mundo. Begg citou um artigo da BBC que dizia que os Estados Unidos são habitados por “duas tribos que têm valores, crenças e objetivos completamente diferentes”.

“Estamos cada vez mais conscientes da realidade de que estamos vivendo como estrangeiros e exilados … em um mundo que já foi muito, muito familiar para nós, e no qual nos sentimos cada vez mais em casa”, disse Begg, referindo-se aos cristãos.

Os crentes de hoje, disse ele, estão cada vez mais se perguntando: “Como é viver em um país cristão que não gosta do que os cristãos acreditam?”

Begg baseou seu sermão em 1 Pedro 2:11-12 , observando que o apóstolo Pedro chamou os cristãos de seus dias de “peregrinos e exilados”.

“Não há nenhum benefício social agora em ser cristão na América do Norte”, disse Begg. “… Há uma hostilidade predominante contra o ensino da Bíblia e, portanto, contra aqueles que afirmam o ensino da Bíblia”, disse Begg. “… Estamos vivendo em uma cultura que realmente rejeitou o cristianismo bíblico.”

O debate moderno sobre pronomes e termos como “casamento”, disse Begg, é outro exemplo do choque de visões de mundo. A visão de mundo moderna, segundo ele, é baseada em crenças relativistas que priorizam o que o indivíduo sente.

“O eu, o você, o eu… está na verdade no centro do universo moral [moderno]”, disse Begg. “… Os jovens estão crescendo ouvindo [que] como você pensa, como você se sente e o que você deseja é a chave para toda a sua existência.

“… Ou estamos operando a partir de uma visão de mundo que é moldada pelas formas-pensamento da época ou por uma visão de mundo fundamentada na vontade de Deus – sem possibilidade de compromisso”, disse Begg.

É essencial, disse Begg, que os cristãos amem os indivíduos que promovem crenças antibíblicas. Fazendo referência a indivíduos dentro da comunidade LGBT, Begg disse: “Nós não odiamos, mas não afirmamos”.

“Não podemos odiar por causa da Palavra de Deus. E não podemos afirmar por causa da Palavra de Deus. E temos que estar preparados para dizer que não estamos preparados para reescrever a Bíblia para acomodar uma sociedade que precisa da Bíblia – e que precisa do Jesus que é o foco da Bíblia.”

Begg também enfrentou um choque de visões de mundo.

“Nosso foco não é um reino nesta Terra – não um reino britânico, um reino americano, um reino chinês… mas o reino dos céus”, disse Begg. “Nosso inimigo não é um tirano, nem um imperador, nem um presidente. Nosso inimigo é o grande dragão, Satanás, o maligno.

“Vamos nos certificar de que entendemos nossa identidade, povo de Deus, pessoas que são servos livres de Deus, peregrinos e exilados. Vamos nos certificar de que nos engajamos na atividade para a qual somos chamados a nos engajar – abstendo-nos daquilo que pode fortalecer nossa auto-estima e destruir nossas almas. E, em vez disso, vamos nos certificar de que somos um anúncio do evangelho.”

Fonte: Folha Gospel com informações de Christian Headlines

Nenhum comentário

Postar um comentário