Pastor e família fogem de Cuba após regime comunista ameaçá-lo de prisão

Nenhum comentário
Pastor e família fogem de Cuba após regime comunista ameaçá-lo de prisão

Um pastor de uma das maiores igrejas independentes de Cuba precisou fugir do país, após ser ameaçado de prisão pelo governo comunista.

Na semana passada, depois de ganhar liberdade condicional, Alain Toledano Valiente e sua família escaparam para os Estados Unidos, com uma licença de emergência.

No dia 25 de junho, a Segurança do Estado de Cuba emitiu um prazo de 30 dias para o líder deixar o país, sob pena de enfrentar prisão de longo prazo.

Valiente é alvo de perseguição há 20 anos, por sua atuação no Movimento Apostólico, uma rede protestante carismática que o governo se recusou a registrar.

O líder e sua esposa, Marilín Alayo Correa, pastoreavam uma das maiores igrejas na cidade de Santiago de Cuba. 

Sendo perseguido há 20 anos

De acordo com a Christian Solidarity Worldwide (CSW), uma organização que monitora a perseguição no mundo, o prédio da igreja de Valiente foi demolido duas vezes pelas autoridades e o casal foi preso diversas vezes.

Nos últimos anos, o pastor cubano foi ameaçado, intimado e interrogado pela polícia. As filhas do líder sofreram bullying e violência na escola, planejada por funcionários do colégio junto com a Segurança do Estado.

Além disso, Valiente foi proibido de sair de Cuba nos últimos quatro anos e impedido de viajar aos EUA para participar de eventos sobre liberdade religiosa.

Logo depois, o líder foi informado pelo governo que a proibição de viajar seria retirada com a condição de que ele deixasse Cuba em 30 dias.

Com o apoio da Organização Outreach Aid to the Americas (OAA), Alain Valiente e sua família chegaram aos EUA em segurança.

Exílio forçado

"Estamos felizes que o pastor Toledano Valiente e sua família estejam agora em um lugar seguro, mas entristecidos por terem sido forçados pelas autoridades cubanas a deixar sua casa sob ameaça de prisão por causa da liderança dele e de sua esposa de um grupo religioso independente”, afirmou a chefe de advocacia da CSW, Anna-Lee Stangl.

Stangl ressaltou ainda que a comunidade internacional deve cobrar que o governo cubano garanta o direito à liberdade religiosa aos seus cidadãos.

"A escolha do exílio ou da prisão não é uma escolha; a comunidade internacional deve pressionar o governo cubano a parar de exilar à força qualquer pessoa que considere desfavorável e fazer reformas significativas”, afirmou ela.

“A partida do Pastor Toledano Valiente e sua família é uma grande perda não só para sua comunidade religiosa em Santiago de Cuba, mas para Cuba como um todo. Oramos para que as condições mudem para permitir seu retorno a uma vida livre e democrática”.

Fonte: Guiame com informações de Premier Christian News

Nenhum comentário

Postar um comentário